Amor pelos Clássicos da Literatura – Parte 1

Hoje em dia são inúmeros os sites e  blogues sobre livros por aí. Enquanto a maioria fala de seu amor por livros que estão nas listas de mais vendidos ou os autores atuais mais badalados, sinto que sigo o sentido contrário a essa corrente.

Talvez seja porque comecei a ler muito cedo, mas de uma década e meia tenho mais interesse por clássicos que qualquer outro livro. Por muitos anos, devido à grande demanda de editoras e do trabalho como livreira, acabei dedicando mais tempo aos livros de autores mais recentes. Mas sempre separava um tempinho para ler pelo menos um ou dois livros que desejava muito ler.

Foi assim, entre diversas leituras contempôraneas que li Os Irmãos Karamázovi, Anna Karienina, Os Miseráveis e tantas outras grandes obras (tanto de tamanho, páginas e riqueza). Hoje percebo que desejar ler essas obras não foi o acaso, mas sim a evolução do hábito. Continuar lendo “Amor pelos Clássicos da Literatura – Parte 1”

Livrarias – Lello e Irmão

Uma das livrarias mais antigas e belas de Portugal, A livraria Lello e Irmão está naquela lista de que devemos visitar em Porto. Como tudo começou José Pinto de Sousa Lello abriu a livraria em 1881, e em 1894 Mathieux Lugan vendeu sua antiga Livraria Chardron a José Pinto de Sousa Lello que, junto a seu irmão António Lello, e fundaram a companhia Lello e Irmão. Com o … Continuar lendo Livrarias – Lello e Irmão

Precisamos de novos nomes

Finalmente venho falar do livro de fevereiro do meu Desafio Literário: 12 livros escritos por mulheres negras para 2018. Foi uma leitura rápida, mas, por outro lado, minha velocidade para escrever é um pouco lenta. Estou tentando me organizar melhor para manter pelo menos as publicações do desafio em dia, vamos ver se dá certo.

Bem, então vamos lá. Assim como fiz com Ponciá Vicêncio, quero começar falando um pouco da minha experiência de leitura. Me dei conta de como isso influencia na hora de qualificar um livro como bom ou ruim, por exemplo. Essa experiência é o que faz com que um mesmo livro pareça ótimo ou péssimo. Claro que existem outros fatores, digamos, mais técnicos. Mas, na minha opinião, esse aspecto tão subjetivo é essencial na hora de indicar uma leitura. Continuar lendo “Precisamos de novos nomes”

Desafio Literário 2018: fevereiro – NoViolet Bulawayo

Estou de volta com o livro de fevereiro do meu desafio literário: 12 livros escritos por mulheres negras para 2018. Minha leitura está em dia, o que significa que já terminei o livro de março também, mas não consigo ser tão rápida escrevendo no blog quanto lendo, então agradeço a paciência de quem me acompanha por aqui. Desde o ano passado tenho dividido os comentários sobre a leitura do mês em duas publicações: a primeira para falar sobre a escolha da autora e da obra e a segunda para contar minhas impressões sobre o livro. Então vamos lá, sem enrolações.

NoViolet Bulawayo era uma escritora totalmente desconhecida por mim até a montagem da lista do meu desafio literário desse ano. Talvez muitos de vocês também não a conheçam, primeiro, pelo motivo triste – mas verdadeiro – de que escritoras negras não recebem a mesma atenção do mercado editorial para divulgação de seus livros (quando finalmente são publicados). Continuar lendo “Desafio Literário 2018: fevereiro – NoViolet Bulawayo”