Gente Pobre

Gente Pobre foi o primeiro livro de Dostoiévski, escrito quando ele tinha 25 anos. Ele é todo composto em forma de cartas trocadas entre os personagens principais, Varvara e Makar. O livro começa com uma carta de 8 de abril de Makar e termina com uma de Varvara, de 30 de setembro. Makar Diévuchkin é um copista de parcos recursos que se derrama em cuidados … Continuar lendo Gente Pobre

O Duelo

Acompanhando a obra “A Morte de Ivan Ilitch“, esse livro faz parte de uma coleção de clássicos russos. Quanto ao seu conteúdo, o livro traz a noveleta “O Duelo”, além de diversas ilustrações da obra. As personagens protagonistas de “O Duelo”, ou seja, os tais duelistas, são von Koren e Laiévski. O primeiro acredita que a humanidade se veria muito melhor se determinados tipos de pessoas … Continuar lendo O Duelo

Orgulho e Preconceito

Definitivamente preciso ler mais os clássicos, apesar de ter percebido isso ao ter o privilégio de ler “O Morro dos Ventos Uivantes” acabei deixando a ideia um pouco de lado e me dedicando aos grandes sucessos do momento. Não desmerecendo os outros, mas tanto nas obras de Jane como de Emily fica visível o seu maior trunfo, são atemporais. É simplesmente impossível não se identificar … Continuar lendo Orgulho e Preconceito

Lendo Ulysses – Curiosidades sobre a obra

O livro Ulysses é considerada um clássico da literatura. Com esse calhamaço em mãos, você não conhecerá apenas a história de Stephen Dédalus e Leopold Bloom. Também poderá conhecer uma das cidades mais belas da europa: Dublin. Joyce sempre escreveu sobre Dublin em suas obras. Joyce afirmou: Por mim, eu sempre escrevo sobre Dublin, porque se eu chegar ao coração de Dublin, eu poderei chegar ao … Continuar lendo Lendo Ulysses – Curiosidades sobre a obra

Desafio Literário 2017: junho – Ágatha Christie

Chegamos à leitura do mês de junho do Desafio Literário: 12 livros escritos por mulheres para 2017. É metade do ano, metade das leituras e uma experiência incrível até agora!

Junho foi o mês que li Hora Zero, da Ágatha Christie. Como tenho feito todos os meses, antes de falar sobre o livro, quero contar o porquê de ter adicionado essa autora à minha lista. A Ágatha Christie foi uma das escritoras que me influenciou, no sentido de ter alimentado meu gosto pela leitura. Houve uma fase da minha vida, durante parte da infância e adolescência, em que li muitos livros escritos por ela, devorava um atrás do outro e acredito que ter me deparado com essas obras que despertavam em mim a vontade de continuar lendo, foi algo essencial na minha formação como leitora. Continuar lendo “Desafio Literário 2017: junho – Ágatha Christie”

Sociedade Cruel – Porque Precisamos da obra Os Miseráveis

Enquanto, por efeito de leis e costumes, houver proscrição social, forçando a existência, em plena civilização, de verdadeiros infernos, e desvirtuando, por humana fatalidade, um destino por natureza divino; enquanto os três problemas do século – a degradação do homem pelo proletariado, a prostituição da mulher pela fome, e a atrofia da criança pela ignorância – não forem resolvidos; enquanto houver lugares onde seja possível a asfixia social; em outras palavras, e de um ponto de vista mais amplo ainda, enquanto sobre a terra houver ignorância e miséria, livros como este não serão inúteis.

Victor Hugo 1862

Há 155 anos atrás Victor Hugo escreveu a obra prima de sua carreira, levando a vidad e uma pessoa que cometeu um pequeno erro e como sofreu por toda vida por esse erro. Esse livro se chama Os Miseráveis.

A História de Jean Valjean relata como o sistema penitenciario corrompe os miseráveis e como o judiciário e a comunidade não permite aqueles que cometeram algum crime voltem à sociedade. Por onde Jean Valjean andava, era obrigado a mostrar um passaporte amarelo que informava que ele era um criminoso e havia sido solto. Por mais que Valjean se esforçasse e mostrasse isso, aquele passaporte o marginalizava. Continuar lendo “Sociedade Cruel – Porque Precisamos da obra Os Miseráveis”