Precisamos de novos nomes

Finalmente venho falar do livro de fevereiro do meu Desafio Literário: 12 livros escritos por mulheres negras para 2018. Foi uma leitura rápida, mas, por outro lado, minha velocidade para escrever é um pouco lenta. Estou tentando me organizar melhor para manter pelo menos as publicações do desafio em dia, vamos ver se dá certo.

Bem, então vamos lá. Assim como fiz com Ponciá Vicêncio, quero começar falando um pouco da minha experiência de leitura. Me dei conta de como isso influencia na hora de qualificar um livro como bom ou ruim, por exemplo. Essa experiência é o que faz com que um mesmo livro pareça ótimo ou péssimo. Claro que existem outros fatores, digamos, mais técnicos. Mas, na minha opinião, esse aspecto tão subjetivo é essencial na hora de indicar uma leitura. Continuar lendo “Precisamos de novos nomes”

O Poder do Agora

O Poder do Agora fala sobre  buscar aí dentro de você o que há de melhor! Está em suas mãos O Poder do Agora! Um guia como o livro de fato propõe sobre a iluminação espiritual. E espiritual não têm nada a ver com espiritismo ou religiosidade e sim, acessar o que há de melhor em nosso interior. Sim! Você tem o melhor! Você é a sua própria bênção e na vida do outro. Continuar lendo “O Poder do Agora”

As boas mulheres da China

Se eu fizesse uma lista dos cinco livros que mais gostei de ler ano passado (2017), com certeza As boas mulheres da China estaria entre eles. Não porque seja um livro lindo e encantador, pelo contrário, é um livro duro com verdades dolorosas. Porém, talvez seja esse choque de realidade dado por meio de uma ótima narração feita pela Xinran, que, além disso, nos coloca … Continuar lendo As boas mulheres da China

Desafio Literário 2017 – setembro: Xinran

Ainda falando do desafio literário de 2017, quero compartilhar minha leitura de setembro. Como vocês já sabem, estou retomando os comentários sobre o desafio do ano passado desde onde havia parado quando dei uma pausa nas publicações. Em fevereiro começarei a falar sobre desafio de 2018. Bem, como sempre, antes de falar sobre o livro, gosto de contar o motivo da minha escolha. Continuar lendo “Desafio Literário 2017 – setembro: Xinran”

Desafio Literário 2017 – agosto: Soledad Acosta de Samper

A leitura de agosto do meu Desafio Literário: 12 livros escritos por mulheres para 2017 foi realmente desafiadora. Primeiramente, porque não foi muito fácil escolher a autora.  Em segundo lugar porque tive acesso apenas ao formato digital do livro escolhido e, digamos, esse não é meu modo preferido de ler. Mas venci o desafio com sucesso e quero contar como foi. Como sempre, antes de falar do … Continuar lendo Desafio Literário 2017 – agosto: Soledad Acosta de Samper

Prisão de ventre – Um conto de Gadi Taub

Conto do autor israelense Gadi Taub.
Traduzido por Mariana Ferreira de Toledo, como atividade prática em sala de aula, com o professor Moacir Amâncio (FFLCH – USP).

A primeira vez que Mariana percebeu que alguma coisa não estava bem com Daniel foi num sábado pela manhã. Nesse dia ele acordou cedo e se sentou na beirada da cama, olhando para fora. As cortinas do quarto não estavam totalmente fechadas, e lá fora parecia que ia chover. Fazia frio. Daniel passou a mão no cabelo. Durante alguns minutos ele ficou sentado imóvel. As pontas de seus pés encostavam no chão gelado. Havia silêncio na casa.

Uma hora depois, quando Mariana acordou, ela encontrou sobre a mesinha da sala pilhas organizadas de livros. No sofá havia uma mala aberta e ao seu lado roupas dobradas. Não havia nada dentro da mala. A porta para o jardim estava aberta e um vento fraco entrou na casa. Ela se aproximou para olhar lá fora e viu Daniel de pé na grama com o cachorro. Ele abraçava o animal, apertando-o contra o peito. As patas dianteiras e a cabeça do animal alcançavam seu ombro. Estava vestido com calças de veludo cotelê e um suéter. “O que aconteceu?”, ela perguntou. “Aconteceu alguma coisa?” Continuar lendo “Prisão de ventre – Um conto de Gadi Taub”