Um Homem de Sorte – Nicholas Sparks

    Nicholas Sparks pode ser considerado um dos maiores contadores de estórias de amor de nosso tempo. Seus livros são recheados de doses maciças desse sentimento que tem a capacidade de enternecer até os corações mais duros. Hoje falaremos um pouco sobre Um Homem de Sorte, livro de sucesso do autor que, como de costume, inspirou o filme com o mesmo nome.   Sinopse: Era estranho pensar nas reviravoltas que

Brida – Paulo Coelho

  Paulo Coelho é um dos autores brasileiros mais vendidos no mundo, apenas esse que falaremos neste artigo chegou à marca de cinco milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro. Por isso, podemos afirmar que Paulo Coelho é um dos autores bem mais sucedidos do Brasil. Isso poderia ser uma marca de orgulho para o país, no entanto, o ocupante da cadeira 21 da Academia das Letras Brasileiras sofre com

Pandemia

Filme da gigante Netflix se tornou um fenômeno durante o período atual que se parece tanto com o relato do filme.   Apesar de um monte de filmes inspirados em pandemias, acredito que a maioria das pessoas jamais imaginaram que isso poderia acontecer realmente. Algo automático ao assistir uma produção audiovisual, nossas mentes associam com algo improvável, quer dizer, pelo menos até acontecer uma pandemia. Claro que isso não é

A Fera

Nunca fui um grande fã de contos de fadas e acho que passei grande parte da minha infância sem conhecer a maioria deles, afinal isso era “coisa de menininha”. Por incrível que pareça vim a conhecer mais sobre o assunto após o nascimento de minha sobrinha, sério, ela deve ter TODOS os filmes da disney e me via “forçado” a assistir aos filmes com ela. A Bela e a Fera

Cinquenta tons de cinza

Sei que ao final desta resenha poderei ser crucificado por fãs xiitas que esse livro deve atrair, entretanto acredito que alguns outros possam vir me agradecer por tentar avisar. Como devem ter percebido, infelizmente, não vou conseguir falar muito bem deste livro mesmo que consiga visualizar algumas qualidades. Cinquenta Tons de Cinza (Intrinseca, 2012) é um fenômeno e sempre tenho medo ao ler livros que se enquadram neste padrão, mas