Home>Resenhas>Brida – Paulo Coelho

Brida – Paulo Coelho

 

Paulo Coelho é um dos autores brasileiros mais vendidos no mundo, apenas esse que falaremos neste artigo chegou à marca de cinco milhões de exemplares vendidos no mundo inteiro. Por isso, podemos afirmar que Paulo Coelho é um dos autores bem mais sucedidos do Brasil.

Isso poderia ser uma marca de orgulho para o país, no entanto, o ocupante da cadeira 21 da Academia das Letras Brasileiras sofre com criticas devido à qualidade de seus escritos. Por esses motivos, podemos dizer que o autor é amado por muitos, mas também, odiado na mesma proporção.

Particularmente, este que vos escreve tem uma dívida literária com tal autor. Se não fosse pelos livros de Paulo Coelho, hoje, talvez, não teria uma estante com a soma de três mil livros. O amor pela leitura não nasce conosco, é adquirido.

Enfim, Brida foi lançado em 1990 e desde então, tem conquistado o mundo. Até os dias de hoje é possível acompanhar as vendas do livro, afinal de contas, os livros de Paulo são atemporais, não estão ancorados em um determinado tempo ou época. Esse é um ponto positivo em sua trajetória como autor e sua atemporalidade. 

 

Sinopse

 

‘Cada um precisa cumprir seu próprio destino.
“– E como posso saber quem é a minha Outra Parte? – perguntou Brida.
– Correndo o risco do fracasso, das decepções, das desilusões, mas nunca deixando de buscar o Amor. Quem não desistir da busca, vencerá.”
Brida é uma jovem irlandesa que sempre se interessou por magia. Em determinado momento, ela sente que é chegada a hora de mergulhar mais fundo nesse assunto e resolve procurar os sábios que dominam a arte da feitiçaria.
Nessa busca, duas pessoas são fundamentais: o Mago de Folk, que instrui Brida a confiar na bondade do mundo, e Wicca, que leva sua aprendiz a descobrir o seu Dom e a dançar a música do mundo.
Enquanto Brida tenta aplacar sua sede de conhecimento, também luta para vencer seus medos e encontrar o equilíbrio entre seus relacionamentos atuais e as descobertas de suas vidas passadas.
Esta é uma história de amor, paixão, mistério e espiritualidade, que trata do ancestral anseio humano por encontrar a alma gêmea.’

 

O livro convida o leitor a se embrenhar no mundo da magia com a protagonista, Brida, uma mulher que sente a necessidade de emprenhar-se pelo mundo da magia e conhecer os segredos dos caminhos através desse mundo desconhecido por tantos.

No decorrer da estória, vamos acompanhando Brida em seu aprendizado. Paulo Coelho é tão claro e intimo em sua narrativa que passamos a ter a personagem como alguém próximo e passamos a ficar aflitos diante de seus obstáculos, comemoramos ao superar seus medos e ao descobrir um pouco mais de si própria.

A busca por conhecimento mágico leva Brida a caminhos que jamais sonhou que trilharia, como por exemplo, conhecer a respeito de suas vidas passadas, sua alma gêmea e a essência verdadeira do amor. Tais pontos, tornam o caminho de Brida uma busca pela sua outra parte, aquilo que julga completa-la de alguma maneira.

Claro, em sua busca, Brida sente receio diante de suas escolhas, temendo por escolher errado, algo muito comum na condição humana. E talvez seja esse um dos grandes motivos do sucesso deste livro, o autor não retrata apenas a vida de uma personagem. Os livros de Paulo Coelho contam com essa utilidade reflexiva, os leitores se veem em suas tramas.

Como não poderia faltar, o livro é recheado de frases que podem ser consideradas como um livro de autoajuda, no entanto, devido ao teor da obra e de seu caminho ficcional,  assumisse que essas frases, pensamentos são apenas parte de um ensinamento, afinal, os livros não servem apenas para nos entreter.

Algo que a maioria dos livros do Paulo Coelho levam aos seus leitores: uma lição. Mesmo com tantas críticas severas, seus livros valem a pena ser lidos e não deve ser preconcetualizado devido a críticos literários que buscam em cada frase, sentença de um livro, um sentido oculto que poucos podem compreender.

Paulo Coelho vende muito pelo fato de escrever para as grandes massas. É um autor que está preocupado em contar uma estória, em passar algum conhecimento a respeito de seus aprendizados e, para isso, nada melhor do que fazer de uma maneira clara, algo que seus livros trazem como marca registrada.

Sempre digo: o que torna um livro bom é a sua estória, mas o que torna o livro inesquecível é a escrita do autor, sua capacidade de decorar nossas mentes com as cenas que cria com palavras. E poucos conseguem tal proeza.

Posso dizer que li este livro em grande parte pela curiosidade e também por gostar do autor. Não é uma narrativa que prende a atenção tanto quanto “O Alquimista”– um dos meus livros favoritos de todos os tempos – mas é uma boa leitura. Cheio de frases reflexivas, religiosidade, tradição e aspectos interessantes para quem se gosta de ficção, Brida acabou por me conquistar.

Se este é o seu primeiro livro de Paulo Coelho, indico que leia antes algum outro como “O Alquimista” que tem narrativa mais dinâmica e fará você compreender e apreciar mais a escrita do autor. Não indico para os leitores que curtem muita ação e tramas pesadas e sim para pessoas curiosas como eu e que gostam de um romance leve, ideal para uma tarde tranquila e despreocupada.

Você se surpreenderá pela religiosidade encontrada nos livros dele. Apesar de ser um livro sobre magia, uma cultura pagã, encontramos grande conexão entre ela e a crença em Deus. Além disso, tenho certeza que você precisará de marcadores para sempre voltar às suas frases preferidas do autor.

No mais, espero que tenham gostado da resenha e leiam o livro que é uma ótima indicação. Deixarei alguns dos meus quotes favoritos falarem por si. Leiam Brida e se apaixonem!!

 

Assinatura

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta