A Abadia de Northanger

imagesJane Austen é bem conhecida no mundo literário, principalmente pelas moças que suspiram pelos seus atraentes mocinhos. Porém, não são todos que conhecem uma de suas mais interessantes obras: A Abadia de Northanger.

Enquanto seus outros livros discutiam características dos relacionamentos sociais, este vai além e literalmente brinca com o tipo de literatura em voga na época: o romance gótico.

Desde seu inicio o livro faz uma paródia desses romances obscuros, com mocinhas indefesas, vilões asquerosos e heróis determinados. Só que, como essa é uma história da Austen, percebemos aos poucos que o principal vilão é na verdade, a falta de bom senso. Continuar lendo “A Abadia de Northanger”

Emma – Jane Austen

emma-livroEmma foi meu segundo livro do desafio literário de 2017. Eu li com um pouco de dificuldade e devo dizer que fiquei aliviada em terminar a leitura. Fãs da Jane Austen, não me odeiem! Continuem a leitura para conhecer minhas impressões sobre o livro.

A escolha de Emma para a minha lista de livros desse ano não foi aleatória. Eu tinha a intenção de incluir uma escritora clássica e Jane Austen apareceu como minha primeira opção nesse sentido. Primeiro, porque o único livro que eu havia lido dela até hoje era Orgulho e Preconceito. Eu queria ler outra obra. Segundo, porque minha irmã é praticamente fã de carteirinha da Jane Austen, ela tem todos os livros (Emma eu peguei emprestado da biblioteca dela), sempre elogia as histórias da autora e isso, de certa maneira me influenciou. Terceiro, porque todos os comentários que li sobre o livro apontavam uma protagonista diferente das demais heroínas da Jane Austen, as quais dependem de um “bom casamento” para garantir seu futuro. Segundo as críticas, Emma era a mais independente das personagens e isso chamou minha atenção. Continuar lendo “Emma – Jane Austen”

Amor e Inocência

Todos nós já nos emocionamos com as obras de Jane Austen, e é por esta razão que ela é a nossa autora escolhida como clássico do mês. E assim como suas obras são belas e tiveram finais felizes, sua vida não seguiu o mesmo caminho.

No filme Amor e Inocência (2007) trouxe para as telas a vida dessa autora que se tornou a mais lida entre os soldados durante a guerra e, quiçá, no mundo inteiro.

A intenção do filme é mostrar como o desejo de escrever de Jane apareceu, como foi recebido pela família e as razões que a fizeram conseguir realizar esse desejo. Continuar lendo “Amor e Inocência”

Conhecendo Mansfield Park, enfim!

mansfield-parkDesde adolescente sou apaixonada pelas obras da Jane Austen. Hoje, orgulhosa, posso dizer que possuo todas elas em minha prateleira. Mesmo quando a crise financeira me abateu e eu precisei vender mais da metade dos meus livros, olhei para os romances da Jane de maneira especial e os mantive. O primeiro que li foi “Orgulho e preconceito”, seguido por “Razão e sensibilidade”, “Emma”, “Persuasão”, “A Abadia de Northanger” e… Faltava um! Eu sabia seu nome, mas não o encontrava de nenhuma maneira. Cheguei a pesquisar na internet, procurar em bibliotecas, livrarias… Só havia a opção em inglês. Creio que em algum momento Mansfield Park foi traduzido, mas imaginei que, provavelmente, essa tradução era bem antiga e sua edição já não estava mais disponibilizada. Essa foi minha hipótese, mas a verdade é que realmente não sei o porquê de eu ter tido tanta dificuldade em encontrar esse romance.

Para minha enorme alegria, no ano passado fiquei sabendo que a Martin Claret havia há pouco tempo editado todos os romances da Jane Austen em edições belíssimas! Esperei ansiosamente pela Festa do Livro da USP (mais de 150 editoras oferecem um desconto mínimo de 50% em seus títulos), que geralmente acontece entre o final de novembro e começo de dezembro. Graças a Deus, apesar de ainda não ter me recuperado totalmente da crise, eu já pude me dar ao luxo de comprar alguns livrinhos lá… Mesmo que todas as minhas aquisições tenham sido muito boas, ter em mãos Mansfield Park me deixou verdadeiramente emocionada. Enfim! Sou fã da Jane há uns 15 anos e só agora pude desfrutar de uma de suas grandes histórias. A edição, com a capa alaranjada e detalhes floridos em dourado, é mesmo muito bonita. Quanto ao corpo do texto, observei alguns problemas de tipografia e de revisão final, mas nada que não dê para relevar. Continuar lendo “Conhecendo Mansfield Park, enfim!”

O Clássico do Mês: Jane Austen

jane-austenJane Austen é um dos nomes mais conhecidos da literatura mundial. Seus livros já foram traduzidos, lidos, analisados e estudados em muitas partes do mundo. Com o passar dos anos, se tornou praticamente uma leitura obrigatória. Mais do que isso, os livros escritos por Jane Austen adquiriram verdadeiros fãs ao redor do mundo e todas as adaptações para o cinema e para a televisão só reforçaram essa grande admiração pela autora.

Mas o que torna os livros de Jane Austen tão queridos e populares? É uma pergunta difícil. Há quem diga que são seus personagens cheios de carisma. Outros gostam do estilo de escrita da autora e de certa ironia presente em seus livros. Motivos há de sobra, tudo vai depender do olhar e do gosto do leitor, obviamente. Há ainda quem não goste muito das histórias de Jane Austen e, ao contrário do que pensam alguns fãs mais empolgados, não há nada de errado nisso. Mas é um fato: Jane Austen é um clássico e é o primeiro do ano homenageado aqui no Beco das Palavras. Continuar lendo “O Clássico do Mês: Jane Austen”

Tempos fraturados

Até ler este livro, eu não conhecia Eric Hobsbawm. Fiz minha lição de casa e busquei mais informações sobre ele. Alguns artigos, como este da Revista Veja, o classificam como o historiador comunista, ao invés de o ressaltar como um dos melhores historiadores atuais. Falecido em 2012 e de nacionalidade britânica, lecionou em universidades americanas como Cornel, Stanford e MIT. Escreveu mais de quinze livros … Continuar lendo Tempos fraturados