Publicado em Literatura

Jane Austen, A Vampira

Jane Austen foi umas das maiores romancistas que já existiu. Inglesa, nasceu em Steventon em 1775. Autora de obras como Razão e Sensibilidade, Emma, Persuasão e um dos romances mais famosos de todos os tempos: Orgulho e Preconceito. Suas obras, hoje, grandes clássicos, são conhecidas principalmente por nos trazer a forma mais pura do romance. Jane faleceu em 1817, aos 41 anos, em decorrência da Doença de Addison.

Isso é o que todos acham. Jane Austen não morreu! Ou melhor, morreu. Quer dizer não morreu. Na verdade, ela está morta e viva ao mesmo tempo. Isso porque ela é uma vampira! Agora com 233 anos e sob o nome de Jane Fairfax, Jane é dona de uma livraria numa pequena cidade no interior de Nova York. Durante todos esses anos Jane vem tentando publicar um novo romance escrito em sua época áurea. Mas após décadas de rejeições Jane está pronta para aceitar que não será mais publicada e decide se desfazer da obra. Até que ela recebe um e-mail de um editor, informando que adorou a obra e quer lançá-la o mais rápido possível. Após ter sido usada para alavancar as vendas de outras obras como O Livro de Fitness de Jane Austen, O Livro de Receitas de Jane Austen e até um livro ensinando a enfeitar a árvore de natal com a Jane, isso tudo sem receber nenhum tostão de direitos autorais, Jane não acredita que vai finalmente voltar a ser publicada.

Enquanto espera os preparativos para a publicação de sua nova obra, Jane continua com seu trabalho na livraria com sua assistente Lucy, que lembra muito sua irmã Cassandra, o que faz Jane ter grande carinho pela mesma. Além de Lucy, Jane também se ver rodeada por Walter que é loucamente apaixonado por ela e não a deixa em paz. E tudo continua em bem até que Lord Byron, seu criador, retorna, jurando amor por Jane e a querendo de volta, ameaçando inclusive, Lucy e Walter. E com a publicação do livro, os problemas de Jane só aumentam quando ninguém mais, ninguém menos que, a doida, literalmente, Charlote Brontë, também transformada por Byron retorna acusando Jane de plágio. E pra piorar ela possui o original em sua posse, em que confusão a Jane se meteu. Como isso vai acabar?

Confesso que o livro nunca tinha me chamado muita atenção, mas o recebi da Priscila em função da nossa parceria com a Lua de Papel, e quer saber? Adorei. Jane Austen A Vampira é um livro super divertido e que faz você rir bastante. Principalmente pelos transtornos da Jane e suas tiradas. A Jane do livro, não tem papas na língua e fala o que bem entende, gerando assim muitas passagens cômicas. Pensei que fosse mais uma história de vampiro, mas esse fato é mero detalhe neste livro. O autor busca na verdade com muito humor, fazer uma crítica a essa invasão de livros que tomam conta do mundo editorial atual, escritos apenas com o intuito de gerar dinheiro e sem nenhum conteúdo. Outra coisa bem bacana do livro é nos trazer além da Jane outros escritores e obras clássicas.

Quando o livro acabou deixou uma grande saudade das ironias da Jane. Mas na verdade o livro não acaba bem com um final, então pensei: Não será possível! E ao realizar uma busca descobri que o autor já está preparando a continuação do livro, intitulada Jane Goes Batty e sem data de publicação prevista. Mais ainda, descobri que provavelmente será uma trilogia. Agora é esperar os próximos livros. E você ainda não leu? Comentem aí, quem sabe não vem uma promoção =)

A história é deliciosa. É impossível não amar os dentes afiados dessa Jane Austen.

Por Coolture News

Publicado em Literatura

A Pluma do Diabo

Connie Burns, correspondente de guerra da Reuters, está cobrindo o brutal assassinato, envolvendo tortura e estupro, de cinco mulheres em Serra Leoa. Connie passa a suspeitar que esses assassinatos estejam sendo cometidos por um estrangeiro que se aproveita da anarquia causada pela guerra para sair impune de seus crimes.

Dois anos depois, ao cobrir a guerra do Iraque, Connie reconhece seu suspeito Keith MacKenzie, e tenta de todas as formas denunciá-lo pelos crimes cometidos em Serra Leoa. Até que Connie é sequestrada e mantida em cativeiro por três dias. Terá ela sido sequestrada por terroristas iraquianos ou seu novo inimigo?

Ao ser libertada, Connie não fala nada do ocorrido em seu cativeiro para ninguém. Larga tudo de sua vida anterior e passa a se esconder em Dorset, uma pequena cidade do interior da Inglaterra, com um nome falso, tentando deixar seu horror para trás e esquecer-se dos abusos e humilhações a que foi submetida. Continuar lendo “A Pluma do Diabo”

Publicado em Literatura

A Garota dos Pés de Vidro

Em um momento em que a literatura fantástica está saturada de vampiros, e agora anjos, eis que surge uma história bem diferente disso tudo. Em seu livro de estreia o britânico Ali Shaw cria uma romance fantástico indicado a vários prêmios e vencedor do The Desmond Elliot Prize.

O livro nos conta a história de Ida Maclaird, uma jovem aventureira que após começar a se transformar em vidro decide retornar ao arquipélago de Saint Hauda’s Land um lugar especial, diferente de qualquer outro. Um lugar que o autor descreve como monocromático, de florestas brancas, pântanos repletos de corpos de vidro e animais nada comuns. Continuar lendo “A Garota dos Pés de Vidro”

Publicado em Literatura

A Última Música

Resenhar livros do Nicholas Sparks é complicado, afinal toda a emoção que sentimos ao ler o livro volta a tona, e com isso tenho que me controlar para não escrever muito e contar toda a história e assim estragar sua leitura.

Poucos autores conseguem construir tão bem um personagem como Nicholas Sparks, confesso que no início achava Ronnie uma chata, mas com o tempo e conhecendo melhor a personagem é difícil não se apaixonar. A principio Ronnie não passa de uma garota mimada que mesmo tendo conhecimento de “certo vs errado” escolhe a segunda opção para atormentar a vida de seus pais, afinal ela nunca compreendeu ao certo os motivos que os levaram ao divórcio. Ok, é até compreensível, afinal ela não passa de uma adolescente, mas que cansa, cansa. Continuar lendo “A Última Música”

Publicado em Literatura

Espelho Quebrado

A cada livro que leio, me surpreendo mais com os autores brasileiros, Lima Neto tem uma forma de escrever e narrar a história que nos prende logo nas primeiras páginas. Tudo bem que a trama ajuda e muito, afinal começar um livro com uma morte de um ente querido, e visto através dos olhos de uma criança ajuda e muito; sim o livro já começa dessa forma, e apesar de ser uma trama secundária, tem um papel fundamental no desenvolvimento da história.

Gabriel, com apenas 9 anos de idade teve sua vida transformada por uma tragédia, seu irmão mais velho veio a falecer. E com isso sua vida inteira mudou, afinal sua mãe achou melhor mudarem de casa, e no caso de Gabriel isso significava mudar de escola, perder contato com seus amigos, sem contar com o medo de esquecer de seu irmão e as lembranças que a antiga casa trazia a tona.

O livro é basicamente a história de Gabriel, e os caminhos que a vida pode tomar. Acho difícil alguém não se identificar com a trajetória do personagem. No meu ponto de vista, a adolescência de Gabriel, é o melhor do livro, me trouxe lembranças a muito esquecidas (não que faça tanto tempo assim), mas é narrado com tanta naturalidade, que nos faz reviver um momento muito bom de nossas vidas, as descobertas, os medos, as mudanças, decepções. Continuar lendo “Espelho Quebrado”

Publicado em Literatura, Literatura Estrangeira

Onde Termina o Rio

Simplesmente não sei nem por onde começar… Quando li a sinopse do livro, confesso que fiquei doido para ler logo, mas não esperava que esse livro fosse me tocar e emocionar tanto como o fez. Falo sem sombra de dúvidas que ate o momento foi o melhor livro que já li nesse gênero, simplesmente perfeito! Minha primeira impressão ao receber o livro em casa foi “nossa, é grande!” (não que isso fosse um problema, afinal o li em 3 dias, devido a falta de tempo) quando cheguei ao final, minha impressão foi “nossa, é pequeno, quero mais!”.

Antes de falar sobre a história, devo dizer que adorei a forma com que o livro foi escrito. A história nos é contada por “Doss” e o fato dele intercalar o passado e o presente em cada capitulo foi uma jogada de mestre, em um ele contava sobre o presente e a aventura de descer o rio, no outro era contado a história do casal, ao final de um capitulo você fica “doido” para saber como continua, ai você começa a ler o outro, e quando termina você fica mais doido ainda para saber o resto do outro pedaço da história… Acredito que por isso o li tão rápido, simplesmente não conseguia parar, além da história ser ótima, o livro tem tanta riqueza de detalhes, que eu me senti como se estivesse vivenciando as cenas, e sou apaixonado pelo campo, florestas e rios, confesso que fiquei com vontade de conhecer o rio St. Mary. Continuar lendo “Onde Termina o Rio”