Lucy Maud Montgomery –

A canadense Lucy Maud Montgomery é uma autora lembrada por sua famosa obra, “Anne of Green Gables”, romance que teve uma sequência de outros livros devido ao sucesso de Anne, a principal personagem. Entre seus trabalhos, Lucy publicou romances, contos, ensaios uma autobiografia e até um livro de poesia, aclamado entre os críticos. Apesar do sucesso de todos os seus livros, a sequência de Anne … Continuar lendo Lucy Maud Montgomery –

Assassin’s Creed – Renascença

Por Júnior Nascimento Eu juro, juro mesmo. Sério, estou aqui de pés juntos da forma mais cristã possível, jurando para vocês que o meu objetivo era dar uma indicação positiva de um romance histórico para vocês. Eu sou simplesmente fascinado por romances históricos bem desenvolvidos, principalmente quando envolve “distorções” interessantes da História real. Some a isso a inclusão de sociedades secretas, uma guilda de assassinos … Continuar lendo Assassin’s Creed – Renascença

Um tributo à nossa língua mãe no Museu da Língua Portuguesa

O Museu da Língua Portuguesa, no centro de São Paulo, é um destino popular entre os visitantes e um dos mais visitados da América Latina. Talvez esse fato também ocorra por conta da “brincadeira” onde dizem que o português é “meio-irmão” do espanhol dos nossos vizinhos. Com uma população de mais de 213 milhões, o Brasil é o maior país da América Latina e possui o … Continuar lendo Um tributo à nossa língua mãe no Museu da Língua Portuguesa

Gabriel García-Márquez – Vida e Obra

Gabriel García-Márquez (1927-2014) foi um romancista colombiano estando entre os maiores escritores do século passado na literatura latino-americana. Era conhecido afetuosamente como Gabo, e reconhecido por seu estilo literário de combinar elementos mágicos e sobrenaturais sem esforço com o ambiente natural e normal. Sua habilidade como escritor estava no fato de que suas obras não só atraíam os leitores comuns, mas também recebiam muitos elogios da … Continuar lendo Gabriel García-Márquez – Vida e Obra

Se um Viajante Numa Noite de Inverno

Certa vez, eu li um livro e lá pela metade dele percebi que houve erros na encadernação, 271, 283, 272, 274…282, 284, 270 e, assim, num vai e vem consegui (felizmente!) entender a história. O livro estava completo, só um pouco desordenado. Ficaria realmente frustrada se, absorta já pela trama, descobrisse que do meio para o final a história fosse completamente diferente! Por essa mesma … Continuar lendo Se um Viajante Numa Noite de Inverno