Home>Política e Sociedade>Saiba tudo sobre o PIX e como irá mudar as transferências bancárias

Saiba tudo sobre o PIX e como irá mudar as transferências bancárias

PIX do Banco Central chegou – saiba o que é e qual o objetivo principal para a população e comércio

 

O sistema estará totalmente operacional em todas as organizações a partir de 16 de novembro e será aberto a todos os cidadãos registrados do país.

Em meados do mês de fevereiro, a diretoria do Banco Central (BC) comunicou o lançamento de um novo sistema para pagamentos instantâneos, o Pix, que mudará a maneira como o país faz as transferências e os pagamentos.

O lançamento desse Pix tinha a mete de ser mais rápido, econômico, moderno e utilizável por todas as pessoas, então teve um grande impacto.

É previsível que um dos maiores lançamentos dos bancos nas últimas décadas desperte a desconfiança das pessoas para acomodar essa novidade. Afinal de contas, a gente sempre fica com um pé atrás quando o assunto é as nossas finanças.

Mas, afinal de contas, como esse novo sistema funcionará para mudar a maneira como negociamos os fundos? Confira a seguir.

Afinal, o que é esse Pix do BC?

Pix é um novo sistema de pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central. A sua promessa é se tornar um meio para pagamentos mais seguro, ágil e competitivo.

Na verdade, suas diversas funções permitem transferir e efetuar pagamentos em dez segundos, e essas transferências podem ser realizadas 24 horas ao dia, todos os dias do ano, incluindo os finais de semana e os feriados.

Também permite digitar apenas o número do celular ou o CPF do cliente que receberá o valor para fazer a transferência, sem a precisão de inserir todas as informações da conta bancária

Com o sistema Pix, além de pagar as contas da água e energia e até mesmo a arrecadação de impostos, você também pode fazer os pagamentos em tempo real para lojas, os restaurantes e outros ambientes comerciais.

Resumindo tudo, o Pix vem como uma alternativa bem mais ágil para transferências. Você que precisa pagar seus funcionários ou contas do dia a dia, vai poder ser mais ágil utilizando o sistema Pix.

Como funciona esse cadastro

Para se cadastrar, pessoas físicas e jurídicas necessitam possuir uma conta para transações (a conta corrente, a poupança ou a de pagamento) em um provedor de serviços financeiros (como banco, fintech ou plataforma de pagamentos).

O cadastro será feito por meio dos canais próprios do banco, como banco online ou aplicativos. Os clientes devem informar suas instituições financeiras qual chave Pix eles desejam usar para o registro.

Definida a chave e acertado o registro, a organização financeira enviará as informações do cliente ao BC para finalizar o registro no seu sistema.

Portanto, bancos, empresas de fintech e outras organizações financeiras atuarão como intermediários entre a Colúmbia Britânica e ao consumidor final.

Para cadastrar essa chave e começar a utilizar o sistema Pix, precisa procurar a seção “Pix” no app do banco ou internet banking.

De acordo com os regulamentos da Colúmbia Britânica, todas as organizações financeiras participantes devem exibir novas opções em seus menus de plataforma.

No entanto, desde o começo do registro em 5 de outubro, a maioria das organizações enviou notificações para relembrar os clientes de se registrar.

Portanto, para conseguir se cadastrar é só entrar no aplicativo ou internet banking de seu banco. Todas as organizações estão destacando o Pix em suas telas iniciais. Basta seguir o passo a passo e aderir a essa inovação do BC.

Vantagens

De acordo com British Columbia, Pix promete melhorar a velocidade de pagamentos e transferências.

Tem potencial para aproveitar a competitividade e a eficiência de mercado e poderá reduzir os custos de transação, pois é 100% de graça para as pessoas físicas e taxas de juros mais baixas para as empresas.

De acordo com o Banco Central, outros benefícios incluem: maior segurança e melhor experiência do cliente e promoção da inclusão financeira para o pessoal sem conta – porque o sistema pode ser usado sem conta em um banco.

O uso de contas digitais ou plataformas de pagamentos (como o Mercado Pago ou o Pic Pay) requer menos documentos e as burocracias do que os bancos, portanto os pagamentos já podem ser feitos através do Pix. Permita que os usuários se registrem.

Apesar das desconfianças por parte de algumas pessoas, o Banco Central garante total segurança no processo de cadastro de uso dessa função.

A partir da data disponível para uso, o Pix vai poder auxiliar milhares de pessoas que utilizam alguma organização bancária no país, trazendo mais praticidade e segurança. 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta