Home>Política e Sociedade>O que é Fascismo

O que é Fascismo

O fascismo é um fenômeno de muitas faces. É um termo complexo que tenta resumir uma série de fatos históricos, regimes e ideias autoritárias. No entanto, uma forma de resumir esse debate é estabelecendo uma diferença entre fascismo histórico e fascismo como pensamento político.

 

Definição de Fascismo

 

Fascismo histórico faz referência a uma série de regimes autoritários que surgiram na primeira metade do século XX, em especial ao fascismo italiano e alemão. É importante lembrar que o mundo, em especial a Europa, vivia um período de grandes transformações econômicas, políticas e sociais. A revolução industrial muda as relações de trabalho, atrelado a um rápido processo de urbanização, valorização da ciência, crescimento do comércio e mercado financeiro e mudanças na relação da Europa com suas antigas colônias. Itália e Alemanha, países que se unificaram posteriormente como nações, sofriam de forma particular pelas consequências dessas mudanças sociais, políticas e econômicas.

Além disso, a Revolução Russa de 1917 trouxe uma nova perspectiva política que se confrontava com o então mundo conhecido. A reação, sobretudo nesses dois países, foi de um acirramento dos ideais nacionalistas e de uma tentativa de impor uma narrativa política de valorização de um ideal de grupo moralmente superior, criando um inimigo externo como causador dos males econômicos e sociais.

O fascismo surge então como uma solução autoritária, monopolista que se opôs frontalmente ao individualismo liberal do capitalismo, ao socialismo e ao comunismo, ao mesmo tempo. Ele tentou se firmar como uma terceira via naquele momento. A partir de 1922 Benito Mussolini e o fascismo consolidam-se na Itália. Eles foram responsáveis por mais de 440 mil mortes, frutos de conflitos, guerras, perseguição política a oponentes e legalização da pena de morte.

 

Fascismo em outros países

 

Na Alemanha, com a ascensão de Hitler na década de 1930, o pensamento fascista ganha sua forma mais avassaladora. O nazismo alemão se caracteriza pelo pensamento fascista adicionado de uma ideal racial ariano. Esse regime tornou-se uma verdadeira máquina genocida. Estima-se que esse regime foi responsável pela morte de até 26 milhões de pessoas. Entre esses judeus, eslavos, ciganos, homossexuais, pessoas com deficiência, prisioneiros de guerra soviéticos, entre outros que os alemães nazistas consideravam como indignos ou como raça humana inferior. Felizmente, países capitalistas e os soviéticos venceram o fascismo naquele momento, com o final da Segunda Guerra Mundial.

Práticas fascistas também foram comuns em outros regimes autoritários como o de Francisco Franco na Espanha, de António Salazar em Portugal e no Estatismo japonês, entre outros do século XX.

Por fim, entende-se como fascismo todo sistema, regime, movimento ou pensamento político que é caracterizado ou defende: o monopólio político de um partido único; culto a uma figura central, um chefe popular mitológico; exaltação do nacionalismo; desprezo aos direitos humanos e às liberdades individuais; tentativa de homogeneização da sociedade, negando a existência de classes e grupos sociais; aniquilamento da oposição política por meio de censura, técnicas de violência e terror.

 

Fascismo se forma lentamente

 

Obviamente, que essas características não surgem repentinamente. Esse pensamento autoritário vai formando-se lentamente, tentando contaminar a sociedade e o cenário político de forma gradativa, mas não menos impositiva. É importante ressaltar, que muitos dos líderes fascistas subiram ao poder por meio de eleições ou em situações de normalidade democrática. Hitler foi nomeado chanceler por Paul von Hindenburg, presidente eleito em 1932. Muitos usam o sistema pluripartidário e democrático para alcançar o poder e então tentam dar um golpe na ordem democrática, por vezes, autogolpe.

O fascismo surgiu e suas tentativas de retomadas acontecem ainda hoje após grandes crises econômicas e sociais. Trata-se de uma reação não racional e fechada aos problemas de uma sociedade complexa e diferenciada como a sociedade moderna. É um pensamento que busca eliminar o outro e as oportunidades dos outros quando suas condições são ameaçadas ou dificultadas. Essa vontade de eliminar o diferente do jogo político muitas vezes vem cercadas de misticismos, racismos, espiritualismo que tentam hierarquizar as pessoas em boas e más; em fiéis ao grupo e a pátria e infiéis; entre racialmente superiores e inferiores, entre muitas outras formas de diminuição do outro.

O ideal, é que sejam feitos contínuos ajustes políticos e econômicos para evitar crises, mas eventualmente elas podem acontecer. A solução racional, que valoriza a vida e a diferença humana deve ser a busca democrática pelas soluções, por vezes difíceis e complexas. O contrário disso são alternativas autoritárias, desumanas e de tentativa de resolução do conflito pela eliminação do outro. Ou seja, o pensamento fascista em todas as suas facetas atenta contra a própria existência da humanidade.

 

Referência/para saber mais:

 

BOBBIO, Noberto; MATTEUCCI, Nicola; PASQUINO, GIANFRANCO. Dicionário de política. 11. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1998. v. 1. Verbete Fascismo.

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta