Home>Cultura>Cinema>Roberto Rossellini

Roberto Rossellini

Eis um dos maiores e mais importantes diretores da história do cinema italiano. Roberto Rossellini ficou conhecido como um dos mais importantes representantes do neo-realismo italiano, contribuindo para esse movimento com sua obra de arte: Roma, cittá aperta, traduzindo para o português: Roma: Cidade Aberta, Paisà e Germania anno zero.

 

Um pouco sobre a vida de Roberto Rossellini

 

Roberto Rossellini e a atriz Ingrid Bergman

Filho de um escultor e arquiteto bem sucedido, Roberto teve uma vida abastada, tendo viajado constantemente pela Europa graças ao trabalho do seu pai. Porém, em 1931 toda a fortuna da família foi confiscada pelo governo facista que estava no poder.

Roberto Rossellini se interessou pela Sétima Arte devido a influência de seu avô que tinha uma casa de espetáculos, onde chegou a fazer alguns curtas-metragens. Por ser nascido em uma família rica, Roberto teve facilidade em entrar para o mercado e dar asas a sua vocação.

Sua carreira foi iniciada em um período transitório, na época do fascismo. Roberto começou a trabalhar de verdade para o cinema como assistente de direção e depois, passou a ser supervisor de filmes, o que foi alimentando e profissionalizando o futuro diretor e roteirista.

Durante o período de guerra ele foi afiliado a um grupo de resistência contra o Governo italiano, gravando secretamente as atividades do grupo. Foram essa experiência que o moldou para a criação do realismo no cinema italiano.

 

Período Pós Guerra

 

Algo que culminou no final da Segunda Guerra Mundial com três trabalhos que foram considerados obras-primas: Roma, città aperta, o qual recebeu o Prêmio de Melhor Filme no Festival de Cannes em 1945, Paisà de 1946, indicado ao Oscar como Melhor Roteiro e Germania anno zero. 

Essas três obras de Roberto Rossellini deram ao diretor/roteirista o reconhecimento profissional, colocando seu nome entre as grandes estrelas mundiais da Sétima Arte. Mas a vida de Roberto não se limitou somente ao sucesso de suas obras, também contou com tumultuosos relacionamentos.

Roberto estava casado com a atriz Anna Magnani, mas acabou se separando para ficar com a premiada e uma das maiores estrelas de Hollywood, Ingrid Bergman, que lhe deu três filhos, entre eles a atriz Isabella Rossellini.

No ano de 1963, Roberto Rossellini escreveu o roteiro Les Carabiniers (Tempo de Guerra) para Jean-Luc Godard, outro diretor conceituado e cultuado pelos amantes de cinema. Roberto faleceu em 1977 aos 71 anos devido a um ataque de coração. Seus últimos trabalhos foram voltados para a televisão e com conteúdo educativo.

 

Filmografia

 

1976 – Il messia

1974 – Cartesius (TV)

1974 – Anno uno

1973 – L’età di cosimo de medici (TV)

1972 – Agostino d’Ippona

1971 – Blaise Pascal (TV)

1970 – De Gerusalemme a Damasco

1970 – Socrate (TV)

1969 – Atti degli apostoli (TV)

1967 – Idea di un’isola (TV)

1966 – La prise de pouvoir par Louis XIV (TV)

1964 – L’età del ferro (TV)

1963 – Ro.Go.Pa.G

1962 – Anima nera

1961 – Torino nei cent’anni (TV)

1961 – Vanina Vanini

1961 – Vila l’Italia!

1960 – Era notte a Roma

1959 – Il generale della Rovere

1959 – India

1954 – Giovanna d’Arco al rogo

1954 – La paura

1954 – Dov’è la libertà?

1954 – Amori di mezzo secolo

1954 – Viaggio in Italia

1953 – Siamo donne

1952 – Europa’ 51

1952 – La macchina ammazzacattivi

1952 – Les sept péchés capitaux

1950 – Francesco, giullare di Dio

1950 – Stromboli, terra di Dio

1948 – L’amore

1948 – Germania anno zero

1946 – Paisà

1946 – Desiderio

1945 – Roma, città aperta

1943 – L’uomo dalla croce

1942 – La nave bianca

1941 – Un pilota ritorna

1941 – Il ruscello di ripasottile

1940 – Fantasia sottomarina

1939 – Il tacchino prepotente

1939 – La vispa Teresa

1937 – Prélude à l’après-midi d’un faune

1936 – Dafne

 

Roberto Rossellini nasceu em Roma no dia 08 de maio de 1906 e faleceu em sua cidade no dia 03 de Junho de 1977. 

Assinatura

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta