O Beco Indica #19

Dez links para enriquecer sua semana

#1

Já se passaram 20 anos desde o lançamento do anime japonês Cowboy Bebop. Com trilha sonora única criada pela artista Yoko Kanno e interpretada pela banda Seatbelts, a história futurística é um dos melhores no segmento e vem sendo motivo de diversas matérias enaltecendo a obra de Shinichiro Watanabe e como a representação interplanetária reflete muito sobre como lidamos com o cotidiano, perdas e guerras. Vou colar aqui duas matérias que fazem todo esse paralelo: Vice que fala sobre cenário pós-2001 e da Vulture que retrata um pouco sobre a trilha sonora como parte do processo de assimilação da história.

1319346_latvian_showmasterkeyart_3dc2d090-deff-e611-8175-020165574d09

#2

O fotógrafo britânico Dan Holdsworth passou os últimos cinco anos junto a geologistas da Universidade de Northumbria, desenvolvendo método de visualização de rios de gelo e como seu derretimento ocorre lentamente. As observações foram feitas em Newcastle na Inglaterra e nos Alpes Franceses. O resultado é uma série de fotografias realizadas a partir de um processo de captura em exposição prolongada e manipulação digital. Algumas das imagens foram selecionadas para uma exibição no Museu de Arte de Denver, assim como reunidas no livro a ser lançado em maio com o nome Dan Holdsworth: Mapping the Limits of Space.

Dan-Holdworth--You-Can't-Take-This-Photo

#3

O Nexo publicou uma matéria sobre o site Filosofia Africana, uma biblioteca de textos de autores africanos traduzido para o português. O projeto é uma iniciativa do professor Wanderson Flor do Departamento de Filosofia da UnB com contribuição dos estudantes de graduação e pós-graduação da universidade. A matéria cita que o ensino de cultura africana e afro-brasileira é obrigatória desde 2003 para o ensino fundamental, contudo o acesso a obras em português limita a difusão do saber, além de perpetuar a predominância da leitura filosófica europeia. A ideia do projeto é diminuir essas barreiras e facilitar o acesso tanto para os docentes quanto para os estudantes.

site_filosofia_africana

#4

O mundo não é feito apenas de Humanas X Exatas. Inclusive, aquele que inventou que um deve ir contra o outro estava muito do errado. Ambas as áreas de conhecimento são multidisciplinares e não só devem ser cruzadas como ampliadas. Quem é de Humanas, Biológicas, Exatas ou Ciencias Aplicadas já deve ter passado pela experiência de não conhecer um determinado tema, por não ser de sua área de atuação. A partir desta dificuldade, diversas comunidades, Tech Dojos e coletivos vem possibilitando o ensino em diversas áreas do conhecimento. Numa dessas de começar a entender melhor o mundo da Lógica, caí numa matéria da Galileu que apresenta cinco iniciativas online para ampliar seus conhecimentos. Lá esbarrei com o Veduca (que já havia visto em um RT do Twitter), uma plataforma de cursos livres (você só paga o certificado, reconhecido pelo mercado) com aulões de Libras, Física, Matemática Financeira, Projetos e tantos outros.

people-coffee-notes-tea.jpg

#5

Semana passada o Google trouxe ao Brasil sua iniciativa chamada WomenWill. A ideia é capacitar mulheres em diversas áreas de conhecimento como liderança, negociações, markerting e finanças pessoais. O Meio e Mensagem fez uma matéria sobre comentando a ação em Paraisópolis, em São Paulo, no mês de março. A ação foi o piloto do programa, com sede em São Paulo, que pretende alcançar especialmente mulheres sub-representadas como mães solo, mulheres trans, negras e deficientes. O Brasil é o quinto país a receber o programa que está presente na Índia, Japão, México e Indonésia.

womanwill

#6

O Mulher no Cinema, site dedicado a falar e ampliar as oportunidades do gênero no campo de trabalho cinematográfico, trouxe uma postagem interessante sobre uma nova plataforma de resenhas e críticas que prima autoras mulheres para tratar sobre cinema. A ideia é reverberar as vozes femininas neste campo que tem maioria masculina e aumentar a atuação das mulheres também na área de crítica às obras. O CherryPicks foi anunciado durante o festival South by Southwest, criada pela diretora, produtora e atriz Miranda Bailey e pela autora e produtora Rebecca Odes.

pexels-photo-976863.jpeg

#7

Eu tinha 19 anos lá pelos idos de 2003 quando assisti um anime que meio que se tornou um dos meus favoritos de todos os tempos. Criado pelo diretor Kazuya Tsuruma e produzido pela gigante GAINAX, FLCL (ou furi curi, como preferir) teve apenas seis episódios em formato OVA (foi direto pro DVD), trilha sonora da minha banda de rock favorita no Japão, The Pillows e uma história cheia de costuras sem pé e nem cabeça (literalmente) sobre zumbis (não os mortos, mas os de smartphone) numa technocracia alienígena. Mas, ok, eu tenho um gosto peculiar para as coisas. O lance é que agora, pleno 2018, a Adult Swim resolveu que já estava na hora de dar continuidade para essa doidera. A segunda temporada, digamos assim, tem o nome de Progressive (trailer aqui) e vai ao ar ainda no verão americano (lá pra junho/julho), seguida da terceira, chamada Alternative (trailer aqui). Pelo trailer nada mudou, ATOMSK ainda está por aí controlando tudo e bem, assim esperamos.

 

#8

Dia 2 de abril é reconhecido mundialmente como o Dia Internacional de Conscientização sobre o Autismo. A cada ano, cresce o número de diagnósticos, sendo que para mulheres, ele ainda é um pouco mais precário. Muitas das peculiaridades do espectro autista são mascaradas culturalmente com ações que impedem que as mulheres tenham um comportamento distante, por assim dizer, socialmente. Com isso, diversas dificuldades na interação do trato social se tornam marcas psicológicas durante a vida das pacientes. A BBC fez uma reportagem interessante com sete mulheres que descobriram apenas na vida adulta que possuem espectro autista e, a partir disso, perceberam uma nova maneira de se enxergar e de se socializar em seu meio.

pexels-photo-748778.jpeg

#9

O mundo está um pouco saturado das histórias de herói, mas algumas ainda valem a pena. A primeira temporada de O Justiceiro já está disponível há algum tempo, mas o que o torna peculiar é a forma como foi retratada, inclusive nos detalhes. Em diversos momentos, Frank Castle é flagrado lendo, como uma preparação a um conjunto de cenas importante na trama. Nathalie Lourenço escreveu um post publicado no site Quadrinheiros, reunindo todas as referências aos autores e obras que aparecem durante a temporada.

cyborg

#10

Nessas de voltar pra blogosfera (já contei um pouco disso aqui), encontrei o Anatomia das Palavras há alguns meses e tenho gostado muito do espaço. Um blog de literatura, mas também com leitura técnica, poesia autoral e até dicas de wordpress. Mas vamos falar das resenhas mesmo, separando dois momentos: a série (três textos já pode ser considerado série?) de leituras do Philip K. Dick e sobre o Silmarillion, porque é um dos meus Tolkiens prediletos.  Alan tá de parabéns.

pexels-photo-775998.jpeg

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s