Publicado em Literatura, Literatura Estrangeira, Literatura Infanto-Juvenil

Amanhã você vai entender

Lançado pela Editora Intrínseca em  2011, Amanhã você vai entender (When you reach me) é um livro infanto-juvenil inspirado em uma história real de uma notícia de jornal sobre um homem que tinha amnésia e, também inspirado na própria vida da autora americana Rebecca Stead.

A obra já ganhou a Medalha John Newbery de literatura infantil, assim como outros prêmios em 2010.

“A experiência mais bela que podemos ter é o misterioso.” Albert Einstein, 1931.

É com esta frase que iniciamos a nossa leitura e, não estamos falando de um livro de ficção científica, de animais falantes ou voadores. Destinado à crianças e adolescentes, vemos sim uma parte imaginativa e misteriosa, a qual dá um toque a mais na história, situada em Nova Iorque.

Vemos Miranda, uma garota de doze anos que faz parte da geração “criança com chave” da cidade de Nova Iorque. Fácil perceber o significado dessa expressão, não é? Na década de 70 era normal que os filhos voltassem a pé da escola para casa e, eles ficavam sozinhos até os pais chegarem do trabalho. Do mesmo modo, algumas famílias deixavam uma chave reserva embaixo do tapete ou escondida perto da porta, para casos de perda. Miranda e sua mãe esconderam uma chave no extintor do prédio em que moravam. Um dia esta chave sumiu, iniciando a parte misteriosa da história.

A chave não apenas sumiu mas, um desconhecido invadiu a casa da nossa protagonista e, roubou um par de sapatos masculinos. Ah, esta pessoa deixou o primeiro, de quatro bilhetes para Miranda. O tom desses bilhetes parecia de alguém próximo, e mais importante do que isto, alguém que queria salvar a vida de Sal, seu melhor amigo e vizinho. Por que motivo uma pessoa levaria um par de sapatos e deixaria o resto da casa intacto? O que significava os bilhetes? Sal ficaria bem?

Amanhã você vai entender é uma história que celebra a amizade e que enfatiza a importância de leitura. No livro, presenciamos a garota com seu livro favorito na mochila e constantemente falando de sua leitura. Na minha opinião pessoal, nada melhor do que encontrar livros falando de livros.

Para dar uma vontadezinha de ler este livro de Rebecca Stead, citarei alguns frases que me fizeram pensar:

“Perder Sal era como uma longa lista de coisas ruins.”

“Costumava pensar em Sal como parte de mim.”

“São incríveis as coisas que as pessoas fingem não notar.”

Para finalizar, só posso recomendar este livro divertido e educativo, cheio de detalhes curiosos e engraçados sobre Nova Iorque. Uma leitura leve e ao mesmo tempo complexa, que te faz refletir.

Se você quiser conhecer melhor a autora e seu trabalho, acesse seu site pessoal e blog.

 

Autor:

Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s