Um tributo à nossa língua mãe no Museu da Língua Portuguesa

O Museu da Língua Portuguesa, no centro de São Paulo, é um destino popular entre os visitantes e um dos mais visitados da América Latina. Talvez esse fato também ocorra por conta da “brincadeira” onde dizem que o português é “meio-irmão” do espanhol dos nossos vizinhos. Com uma população de mais de 213 milhões, o Brasil é o maior país da América Latina e possui o … Continuar lendo Um tributo à nossa língua mãe no Museu da Língua Portuguesa

Oralidade em “Luuanda”: Uma análise da obra de José Luandino Vieira

luuandaMeu objetivo é analisar a obra Luuanda, de José Luandino Vieira, observando os traços de oralidade presentes nos contos. Esses traços serão observados levando em conta especialmente dois aspectos: a posição e o estilo do narrador em relação à tradição oral angolana da contação de histórias, e a estrutura do texto, tais como as construções frasais, sintáticas e do léxico. Antes, porém de fazer essa análise, será necessário falar rapidamente sobre a obra em questão, seu autor e o contexto em que ele a escreveu. José Luandino Vieira nasceu em Portugal, mas mudou-se ainda bebê para Angola. O autor considera-se angolano, ele mesmo disse: “se me perguntarem: ‘és angolano?’, eu tenho uma base cultural para responder a isso, e não apenas um passaporte.” Dessa forma, Luandino, assim como os demais angolanos, não aceita a condição de colonizador e passa a lutar pela libertação de seu país. Luandino é preso, e na cadeia, ele escreve Luuanda, publicado em 1964. Continuar lendo “Oralidade em “Luuanda”: Uma análise da obra de José Luandino Vieira”