Home>Cultura>Artes>Quem foi Oswald de Andrade

Quem foi Oswald de Andrade

Oswald de Andrade foi um importante dramaturgo e escritor brasileiro. Ele, juntamente com Tarsila do Amaral, fundou o “Movimento Antropófago”

 

Ele também é considerado uma das figuras mais polêmicas do movimento modernista. Confira um pouco mais sobre a trajetória desse importante escritor.

 

Vida

Nascido José Oswald de Sousa Andrade, o escritor nasceu na cidade de São Paulo no dia 11 de janeiro de 1890. Ele era filho único de José Oswald Nogueira de Andrade e Inês Henriqueta Inglês de Souza Andrade fez seus primeiros estudos no Ginásio de São Bento, onde ouviu de um professor que ia ser escritor. Passou a comprar livros e a escrever.

Ele começou como jornalista no ano de 1909, no Diário Popular, que publicou o seu primeiro artigo “Penedo” uma reportagem da excursão do presidente aos estados de Santa Catarina e Paraná. Nessa época, ele começou como crítico teatral.

Em 1911, fundou a revista semanal “O Pirralho”, que ele mesmo dirigiu, junto com Alcântara Machado e Juó Bananère. O semanário contava, entre outros colaboradores, com o pintor Di Cavalcanti.

Em 1912, Oswald de Andrade fez sua primeira viagem à Europa, de onde voltou com a estudante francesa, Kamiá, a primeira de suas várias mulheres e mãe de seu primeiro filho nascido em 1914.

De volta a São Paulo, alugou um apartamento na Rua Líbero Badaró, o local era frequentado por muitos intelectuais, entre eles: Monteiro Lobato, Guilherme de Almeida e Mário de Andrade.

 

Semana de Arte Moderna

No ano de 1918, o escritor se formou em Direito na Faculdade de São Paulo, mas não exerceu a profissão. Começou uma amizade forte com o Mário de Andrade, e reunidos decidiram representar as lideranças principais no processo da definição de literatura modernista em terras brasileiras.

Oswald de Andrade era gozador e irônico, teve uma trajetória atribulada, foi militante e idealizador dos principais manifestos do modernismo. Ao lado da pintora, e sua esposa, Anita Malfatti, do escritor Mário de Andrade e outras pessoas que apoiam, ele organizou a Semana da Arte Moderna de 1922.

Participou intensamente da Semana de Arte Moderna de 22 atuando sobre o desenrolar dos fatos, e contaminando seus contemporâneos com o entusiasmo vibrante, às vezes irreverente.

 

Manifesto Pau-Brasil

Oswald de Andrade lançou em 18 de março de 1924, um dos mais importantes manifestos do Modernismo o Manifesto Pau-Brasil, publicado no Correio da Manhã.

Explicando o nome do manifesto, o autor diz “Pensei em fazer uma poesia de exportação. Como o pau-brasil foi a primeira riqueza brasileira exportada, denominei o movimento Pau-Brasil”.

Em 1925, em Paris, Oswald de Andrade lançou o livro de poemas Pau-Brasil, ilustrado por Tarsila, onde apresenta uma literatura extremamente vinculada à realidade brasileira, a partir de uma redescoberta do Brasil.

 

Movimento Antropofágico

No ano de 1926 ele se casou com a importante pintora Tarsila do Amaral. No ano de 1927, se radicalizando cada vez mais no movimento nativista, decidem fundar, tanto na literatura quanto na pintura, o “Movimento Antropofágico”. Esse movimento tem como proposta um Brasil que devorea cultura de fora e crie uma revolucionária própria.

No ano de 1928, junto com Antônio de Alcântara Machada e Raul Bopp, começaram a “Revista Antropofágica”, que já no seu início divulgou um dos textos do autor, que era “O Manifesto Antropofágico”

Dissidente do grupo mais ligado a Mário de Andrade, lançou nesse texto, “contra todos os importadores de consciência enlatada”, um dos seus lemas de maior futuro: “Tupy or not tupy, that is the question.”

No ano de 1929 ele se separou de Tarsila do Amaral e se filiou ao Partido Comunista. Lá, conheceu a escritora e militante Patrícia Galvão. Os dois se casaram em 1931, e juntos decidiram fundar o jornal “O Homem do Povo”, que falava sobre a luta dos operários que durou até o ano de 1945.

Do casamento com Pagu nasceu o seu segundo filho. Em 1944 ele se casa novamente, desta vez com a Maria Antonieta D’Alkmin, com quem ele teve duas filhas e continuou casado até o fim da sua vida. Oswald de Andrade morreu no dia 22 de outubro de 1954, em São Paulo.

 

Poesia de Oswald de Andrade

Oswald de Andrade sempre foi um escritor crítico e irônico, que estava sempre pronto para satirizar a burguesia e os meios acadêmicos. Ele, mesmo sendo original da burguesia, criticava sem nenhum pudor. Sem ser ufanista e ingênuo, o mesmo defendia a valorização das origens brasileiras, só que de maneira crítica.

Uma proposta importante do projeto de arte do escritor era romper com os padrões linguístico culto da nossa literatura. Ele queria uma busca por prosódia brasileira, que conseguisse incorporar os erros gramaticais. Em sua visão, tenta captar uma natureza e as cores únicas do Brasil, flagra de forma igual as contradições moderno-primitivista das nossa realidade.

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta