Home>Biografia>George Orwell: Negação e Aceitação à Literatura

George Orwell: Negação e Aceitação à Literatura

No início, o escritor de “1984” teve uma certa resistência à vida de literato. Mas a vida acontece e ele chegou a escrever dois grandes sucessos.

 

George Orwell é o pseudônimo de Eric Arthur Blair, que nasceu em 1903, em uma colônia britânica da índia. Ele tinha duas irmãs, Marjorie e Avril. Com um ano de idade, eles se mudaram para o interior de Oxfordshire, Inglaterra.

Na nova casa a família era bem unida e estava sempre envolvida com atividades artísticas e sociais, exceto pelo pai que trabalhava na Irlanda. Posteriormente eles se mudaram para um vilarejo ainda mais pacato e Eric conhece Jacintha Buddicom, uma amiga que tinha os mesmos interesses literários que ele. Ela se tornou poetisa quando adulta. O pequeno George já era fã de H.G. Wells nessa época.

Com cinco anos, ele inicia seus estudos em um internato católico. A seguir, ele vai para a escola São Cipriano, em Sussex, o qual odiava e isso foi documentado em vários ensaios escritos no futuro e publicados postumamente. Alguns anos depois, na faculdade, tem Aldous Huxley como professor de Francês por um curto período.

Orwell não era um bom aluno, suas notas eram sempre baixas. Seus pais desistiram de ajudá-lo na carreira acadêmica e o incentivaram a entrar para a Polícia Imperial Indiana. Ele passou no exame de seleção com uma ótima colocação e decidiu morar na Birmânia, próximo da avó.

 

A vida Adulta

Ser policial aparentemente fez muito bem a Eric. Mesmo jovem ele era responsável pela segurança de aproximadamente 20 mil pessoas, enquanto seus amigos estavam em salas de aula na Inglaterra.

Em 1924, com 21 anos, ele chegou a ganhar uma promoção para o cargo de Assistente de Superintendência Distrital da Birmânia. Depois ele contraiu Dengue no país, foi liberado precocemente do trabalho e acabou repensando a carreira, dedicando-se felizmente à vida intelectual e a virar escritor.

Acredita-que ele adotou o pseudônimo porque ao publicar o primeiro livro ele sentia que seria um fracasso e então não queria associar seu nome real a ele. Porém, para a sua surpresa, o livro fez sucesso e ele manteve o novo nome mesmo assim. “George Orwell” foi inspirado no rio Orwell, que se localiza em um condado inglês. Ele chegou a sugerir outras opções para o seu agente, como P.S. Burton e Kenneth Miles.

Sua primeira mulher foi Eileen Blair, uma psicóloga, e Eric manteve o casamento até ela falecer por doença cardíaca. Depois de cinco anos sozinho, Orwell se casa com Sonia Brownell.

Em 1928 ele se muda para Paris e, além de alguns romances, escreve para vários jornais. Ele não ganhava muito e chegou a ser lavador de pratos em um hotel de luxo, mas existe a hipótese de que ele trabalhou com isso para se inspirar e escrever. Ele era socialista e faleceu aos 46 anos de idade, por Tuberculose.

Orwell, o autor

George Orwell escreveu seis romances, três livros não-fictícios, alguns poemas e vários ensaios. “Revolução dos Bichos” e “1984” certamente foram as obras mais grandiosas e populares. H.G. Wells, umas de suas inspirações, escrevia suas histórias futuristas para o lado utópico, diferente dele, que imaginava um mundo mais chato e desumanizado. 

Além disso, sua aproximação com a política o fez expor o totalitarismo nos seus cenários distópicos, algo que também carrega uma função social muito importante como crítica bem elaborada. 

Em 2017, “1984” ocupou o primeiro lugar de livro mais vendido na Amazon. Agora em 2020, com 70 anos da morte de Orwell, as vendas já aumentaram de novo. Leia esse artigo e entenda o porquê.

 

 

Anúncios
Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta