Home>Biografia>Federico García Lorca: Genialidade e “Amor Estéril” 

Federico García Lorca: Genialidade e “Amor Estéril” 

García foi um importante poeta e dramaturgo espanhol. Embora tenha sido forte, pela repressão sofrida ao longo da vida, o poeta teve um fim trágico.

 

Lorca nasceu em uma localidade de Andaluzia, Espanha, em 1898. Sua mãe era professora e seu pai era um poderoso fazendeiro que viveu um excelente período da economia rural. Entrou para o curso de Direito na Universidade de Granada com apenas 17 anos e depois se mudou para Madri. 

García também enveredou nas artes plásticas, composição musical e piano. Quanto ao piano, ele já havia praticado dos 11 aos 17 anos. Como dramaturgo, explorou a farsa, o drama histórico e, por fim, se consolidou na tragédia. Sua primeira peça foi uma história sobre o amor impossível entre uma borboleta e uma lagarta.

 

Início da vida criativa

Aos 27 anos, ainda na faculdade, ele se apaixonou por Salvador Dalí, seu vizinho de dormitório. Mas ele não assumia sua homossexualidade e o pintor também não o correspondia, o que causou em Lorca um quadro depressivo. Ele escreveu, sem a intenção de publicar, a angústia que sentia por nutrir amor por outro homem, um amor que considerava estéril. 

Quando terminou o curso, fez uma viagem aos Estados Unidos e à Cuba — onde deu início as suas produções surrealistas. O curioso é que o navio que ele utilizou para ir aos EUA era da mesma empresa e da mesma classe do navio Titanic, que naufragou 17 anos antes.

Ao voltar para a sua terra natal, também participou de outro projeto: o La Barraca, uma companhia de teatro itinerante que visitava povoados. Os integrantes queriam disseminar o repertório do teatro espanhol clássico no país, mas entre as classes operárias e camponesas. O projeto foi idealizado por estudantes de filosofia da faculdade em que o poeta se formou e eles chamaram Lorca para ser o diretor artístico. 

 

Fim trágico

Federico foi assassinado em 1936, com 38 anos, na ditadura Franquista. Ele estava na casa de amigos quando foi detido e levado ao fuzilamento. Acreditava-se que um esquadrão sem ligação com o General Franco havia sido o responsável. Porém, em 1965, a investigação apontou que sim, foi uma ordem do militar espanhol. 

O relatório do governo apontava o artista como um socialista maçom homossexual. Até hoje existe o debate se o motivo do seu assassinato foi pela sua orientação sexual ou por causa da sua posição política. Seu corpo não foi encontrado até hoje, depois de 84 anos do ocorrido.

 

Estilo literário de Lorca

Suas obras mais famosas eram também as mais dramáticas. Sua genialidade o fez ser colocado no mesmo patamar de Miguel de Cervantes e o binômio “poeta e dramaturgo” talvez seja a definição que o mais agradava já que, para ele, o “teatro é a poesia que se levanta do livro e se faz humana”.

“Bodas de Sangue” é uma dessas obras mais célebres. Na história há uma noiva que mora com o pai em um local isolado e seu vizinho é o noivo, que mora com uma mãe que está de luto. No fatídico dia das bodas, um ex-noivo da noiva, Leonardo, surge tentando reatar. Ela cede e foge com o ex; logo passam a ser perseguidos pelo deserto espanhol. Estão presentes também elementos surrealistas na narrativa, quando a lua e a morte são seres com vida e ativos na peça. A obra faz parte de uma trilogia. A primeira história se chama “Yerma” e a segunda “A casa de Bernarda Alba”. 

Por fim, a quem se interessar, há mais detalhes sobre a juventude e os sentimentos de Lorca no post da Obvious.

 

 

 

Anúncios
Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta