Publicado em Principal

Bonequinha de Luxo

Todo mundo já assistiu ou ouvir falar do filme Bonequinha de Luxo (1961). Mas poucos tiveram a oportunidade de saber que a tão famosa película estrelada por Audrey Hepburn foi baseado no livro do grande autor Truman Capote. Publicado pela Companhia das Letras, o livro fininho de capa azulada pode até chamar atenção pelo título e por ter na capa Hepburn, mas o coração do leitor é conquistado mesmo pela obra, que na deixa ninguém contrariado.

No livro encontramos quatro contos, o primeiro e mais famoso deles dá título ao livro. Holly Golightly é uma jovem do interior dos EUA que foge da pobreza em busca de fama e dinheiro. Após uma breve temporada na Califórnia, Holly vai para Nova York onde se torna acompanhante (nome pomposo para prostituta) onde vive rodeada por festas e sonhos de ser rica.

Bonequinha de Luxo

A história em si começa a ser contada com a chegada de seu novo vizinho, o qual Holly o chama sempre de Fred, em homenagem ao seu irmão. Fred fica encantado com o glamour e o jeito de Holly, que não tem papas na língua e não mede esforços para se tornar rica. No decorrer da história vamos conhecendo também Fred, um aspirante a escritor que busca sucesso em Nova York. A relação de Holly e Fred se torna muito próxima, eles acabam se tornando confidentes, formando laços de um amor fraternal bem forte.

Muitos de vocês devem estar confusos por eu usar a palavra fraternal no parágrafo acima, mas sim, essa é a palavra correta. Ao contrário do filme, o personagem de Fred é homossexual. Não se choquem leitores, a explicação para isso é muito simples. Capote se inspirou na época em que morou em Nova York para escrever o livro. Nesse tempo, ele viveu rodeado de muitas modelos e mulheres que buscavam o sucesso (seja na carreira ou na vida). O autor acabou utilizando muitas referências dessa época, e assim como a personagem de Holly se baseou em algumas amizades desse tempo, Fred personificou o próprio Truman, que era gay.

Vale ressaltar que existe muito burburinho por aí que diz que a personagem de Holly foi baseada em Marilyn Monroe. Isso nunca foi confirmado, o que se sabe que ao iniciar as produções do filme, Capote exigia que a personagem fosse feita pela amiga Marilyn, pois ele acreditava que ela seria perfeita para o papel. No entanto o diretor recusou e após muita discussão conseguiu dar o papel para Audrey Hepburn.

É difícil falar de um livro como este. Holly tem uma personalidade e audácia que poucas pessoas possuem. Ao mesmo tempo em que ela corre atrás de seus objetivos, ela não demonstra ser uma pessoa que engana alguém para conseguir o que deseja. Em muitos momentos percebemos que Holly possui seu código de ética, embora seja bem simples, ingênuo e prático: se ela não vê maldade na pessoa ou na situação, ela não se importa com a repercussão. Como no relacionamento com Tony Tomato, onde ela não vê mal algum em visitar um homem na prisão. Holly não se interessa por detalhes, o que faz com que seu mundo se torne superficial, mas ao mesmo tempo mais leve.

Holly não tem a profissão mais bem vista do mundo, mas faz inveja em muita gente que se estressa em vidas cheias de problemas. Percebe-se no livro que ela não olha para trás, não fica remoendo a vida dura que teve no Texas. Ela traça seu objetivo e só pensa no futuro, em como chegar ao seu sonho.

Uma história que todos devem ler. Audrey está perfeita no papel de Holly, mas aqueles detalhes impossíveis de serem transmitidos na película merecem ser conhecidos por todos.

Uma casa de Flores

Uma história que se passa no Haiti, onde uma jovem conta sua vida em um bordel em Porto Príncipe e se apaixona por um rapaz. Após se casarem, a jovem passa a viver sozinha e sem diversão.

É interessante ver a transição que a vida pode ocasionar quando mudamos nosso estilo de vida. A história no mostra as dificuldades passadas nesse período e os sonhos e lembranças que e passam na cabeça da jovem.

Um violão de Diamante

Dos quatro contos, o que mais impressiona por ser totalmente diferente dos demais. Um novo prisioneiro utiliza a boa “lábia” que possui e seu poder de sedução para que os colegas o ajudem a fugir da prisão. O violão cravejado de pedras é como um amuleto de encantamentos.

A personagem principal é o oposto de Holly (que se mostra honesta e direta), se aproveitando a ingenuidade alheia e sendo trapaceiro.

Memória de Natal

Dos quatros, o mais cativante conto. É um relato de uma criança que, junto com uma senhora prepara bolos no natal para os amigos. Os amigos na história são pessoas aleatórias, que se encontraram uma única vez ou jamais, como o presidente dos Estados Unidos.

A velha senhora parece ter problemas mentais, muito simples e com os pensamentos e ações de uma criança. As lembranças desses momentos, economizar dinheiro para comprar os ingredientes, a quantidade de bolos a serem feitos e para quem enviar e até guardar um trocado para o cinema mostra a união de duas pessoas com idades tão diferentes mas com uma amizade tão forte. Emociona qualquer leitor.

 

Autor:

Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s