Home>Biografia>Isabel Allende: Ativismo e Beleza Feminina

Isabel Allende: Ativismo e Beleza Feminina

Allende sobreviveu uma ditadura no passado, mas hoje é a escritora de língua espanhola mais lida do planeta. Conheça sua vida pessoal e seis fatos sobre ela.

Isabel Allende Llona nasceu em 1942, no Peru. Seu pai era Tomás Allende, primo-irmão de Salvador Allende, outrora presidente do Chile. Quando ela tinha três anos de idade, Tomás desapareceu; algo provavelmente relacionado ao seu cargo na embaixada chilena. Sua mãe, Francisca Llona, se mudou para o Chile e casou-se com Ramón Huidobro, um diplomata.

Com o seu padrasto, Isabel viajou e estudou em alguns países: Bolívia, Líbano e Beirute. Por todo esse tempo, ela frequentava escolas americanas e lia bastante as obras de William Shakespeare. Mais tarde, na universidade, ela conhece Miguel Frías, um estudante de engenharia que virá a ser seu esposo.

Allende começou a trabalhar com tradução de novelas, mas foi demitida porque tendia a tornar as falas das personagens femininas mais inteligentes, alterando, assim, o sentido das cenas. Em sua vida adulta, Allende foi conhecida por ser feminista no campo profissional, mas obediente e uma excelente esposa na vida pessoal. Com Frías, ela teve dois filhos: Paula e Nicolás.

Depois que Pinochet tomou o poder, Isabel Allende ajudava os perseguidos pelo ditador, mesmo pondo em risco a vida dos seus familiares. Quando ela também passou a ser perseguida, fugiu para a Venezuela, onde ficou por 13 anos. Foi nessa época que ela escreveu seu primeiro livro “A Casa dos Espíritos” (livro que já mencionamos aqui). Hoje ela reconhece que se não tivesse saído do Chile, nunca seria escritora — teria continuado mãe, esposa e dona de casa. Apenas.

Nesse país, ela também virou colunista do El Nacional. Isabel se divorcia de Miguel, em 1987, e, no ano seguinte, se casa com um advogado, na Califórnia, em uma turnê de livros. Mas em 2015 se separa do segundo marido também. Hoje ela reside em San Rafael, na Califórnia, com seus filhos.

6 fatos sobre Isabel Allende

A vida da escritora é envolvida por algumas curiosidades, como estas:

  • É possível encontrar em grande parte das suas histórias fictícias, o tema de opressão e libertação, mulheres vs. patriarcalismo.
  • Allende afirma que não se arrepende de nada da sua vida. Para ela, “os eventos acontecem apesar de mim”. Algumas coisas simplesmente fogem ao nosso controle, na visão da autora.
  • Nos anos 90, ela recebeu a Ordem de Mérito Gabriela Mistral, sendo a primeira mulher da história a receber essa honra. Trata-se de uma distinção voltada a personalidades, nacionais ou estrangeiras, que obtiveram destaque na educação, cultura ou ensino.
  • Isabel conta que, além de ocupação profissional, a escrita a ajudou nas suas estadias nos diversos países. Para ela, nunca foi fácil ser forçada a sair de um lugar, deixar tudo para trás e recomeçar do zero. A escrita ajudou a aliviar esses sentimentos de perda.
  • Criou a Fundação Isabel Allende em homenagem a sua filha Paula, que faleceu aos 29 anos por uma doença hematológica rara chamada Porfiria.
  • Em 2006, ela conduziu a bandeira olímpica, junto com outras sete mulheres, na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, na Itália.
  • Isabel palestrou no TED Talks de 2007.
  • Embora cidadã norte-americana, até hoje ela escreve em espanhol.
  • Recebeu um título honorário pela Universidade Estadual de São Francisco, Califórnia, em 2008, por suas contribuições distintas como artista literária e humanitária. Também recebeu o título de Doutora em Letras pela Universidade de Harvard pelas contribuições à literatura.

Uma das mais belas e importantes mensagens que Allende passa em seus romances é o de se responsabilizar pelas próprias emoções. Conheça esse e mais outras filosofias da autora neste post.

 

 

 

Anúncios
Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta