Anúncios

Ernest Hemingway

Ernest Hemingway foi um escritor americano. Nasceu no dia 21 de Julho de 1899 em Oak Park e trabalhou para jornais como correspondente durante a Guerra Civil Espanhola em Miami. Este período de sua vida inspirou a escrever um de seus mais conhecidos trabalhos, Por quem os Sinos Dobram.

A Guerra Civil Espanhola durou cerca de três anos, de 1936 a 1939, depois de executar seu trabalho, Hemingway passou a relatar os fatos que ocorreram durante a Segunda Guerra Mundial, ao final da guerra, mudou-se para Cuba. 

Ernest Hemingway é um dos autores mais importantes e celebres de nossa cultura. Prova disso são os filmes inspirados em sua vida e também, na verdadeira razão de ser um correspondente de guerra. Historiadores e estudiosos que o autor utilizava de seus serviços para espionar.

No ano de 1953, Hemingway ganhou seu primeiro Pulitzer e no ano de 1954, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. Algo que poucos autores conseguiram conquistar durante suas carreiras.

 

Um pouco sobre a vida de Ernest Hemingway

Podemos dizer que as emoções fortes sempre chamou atenção de Hemingway, ainda jovem, quando a primeira grande guerra aterrorizava o mundo. Recém formado no segundo grau, Hemingway estava decidido em ir à Europa.

Ele trabalhou durante algum tempo como jornalista no Jornal The Kansas City Star. E, estar próximo a todos notícias que rolava pelo mundo naquela época, pode ter acendido aquela chama no coração do autor.

Decidido, Ernest se alistou no Exército Americano, porém, por causa de um problema de visão, acabou sendo dispensado, mas isso não faria o obstinado autor desistir, se não poderia ir como soldado, ao menos estaria próximo ao front como motorista de ambulância da Cruz Vermelha.

Em um determinado período de sua vida, na Itália, Ernest acaba conhecendo, Agnes Von Kurowsky, uma enfermeira que conquistou o coração do escritor de tal forma, que acabou se inspirando na mulher para criar a heroína de Adeus as Armas de 1929. 

Mas, Hemingway acaba sendo forçado a voltar para sua pátria amada, logo após ser atingido por uma bomba. Provavelmente, os efeitos da explosão não foram suficientes para manter o autor longe da agitação, já que, depois de seu retorno, ficara infeliz com sua vida monótona.

Em 1921, recém casado com Elizabeth Hadley Richardson, com quem teve um filho, se muda para Paris. Nesta época, Ernest trabalhava para uma revista chamada Toronto Star Weekly e como o nome sugere, uma revista de origem canadense.

 

Vida de Hemingway na Europa

Nessa época, Paris era mais conhecido como o lugar destinado para escritores expatriados e por isso, Ernest Hemingway, pode ter contato com outros grandes autores, nomes como: Scott Fitzgerald, Ezra Pound e Gertrude Stein que dera ao nome ao grupo de: geração perdida.

Apesar de ter vívido durante algum tempo em Paris e na Itália, Ernest Hemingway nutria um certo amor pela Espanha, país que morou durante quatro anos. Para você ter uma ideia do tamanho dessa paixão, Hemingway, em Pamplona no início do século XX, chegou a aprender a tourear como amador, sua experiência pode ser comprovada em seu livro O Sol também se levanta de 1926.

No ano de 1927, Ernest Hemingway casa-se pela segunda vez, desta vez, como uma jornalista de moda, Pauline Pfeiffer, a qual teve dois filhos. Com um ano de casamento, Ernest e Pauline decidem mudar para Key West na Flórida, e foi nesse momento que seu casamento passou a declinar.

Ernest era muito amigo de Joe Russell, um empresário dono de um bar conhecido como: Sloppy Joe’s Bar. Hemingway e Russell eram amigos e companheiros de farra e por causa dessa amizade, seu segundo casamento tornou-se instável.

Para você ter uma ideia do tamanho dessa amizade, na década de 30, Russell e Hemingway saíram para uma pescaria que os levou diretamente à Havana, Cuba. Depois desse momento, anualmente, Ernest Hemingway visitava o país.

 

Hemingway e seu amor por Cuba

Depois de ir e vir durante muitos anos, Hemingway decidiu fixar residência no bairro Habana Vieja, que além de ser conhecido como o bairro mais antigo da cidade, agora era conhecido também como lar de Hemingway.

E durante 23 anos, Cuba e o seu bairro, se tornaram a fonte de inspiração e vida do autor. Foi em Cuba que conheceu Jane Mason, a qual se tornou amante pelo fato de ser casada com um diretor de uma importante empresa de aviação, isso até se apaixonar, em 1936, por uma intrépida jornalista, Martha Gelhorm.

Martha foi responsável pelo segundo divórcio de Hemingway e a confirmação que seu amigo, Fitzgerald havia dito sobre ele: você vai precisar de uma mulher a cada livro. Martha estava na Espanha e Hemingway partiu atrás da amada, pelo menos até os conflitos políticos se intensificarem e o autor voltar para Cuba com sua nova esposa. Foi nessa época que veio ao mundo sua obra-prima “Por quem os sinos dobram”.

 

Últimos anos

Durante a Segunda Guerra Mundial, Hemingway montou uma espécie de rede de informantes para recolher informações e repassá-las ao governo dos Estados Unidos, além disso, começou a patrulhar o litoral em seu iate a procura de submarinos alemães.

Apesar de sua postura ser de um verdadeiro patriota, o próprio governo americano via-o com desconfiança devido a simpatia que o escritor tinha com o comunismo. No ano de 1946, Hemingway casou-se com Mary Welsh. 

No ano de 1952, publicou “O velhor e o mar” que lhe rendeu um Prêmio Pulitzer de ficção, para no ano seguinte, ganhar o Prêmio Nobel de Literatura. E no dia 02 de Julho de 1961, com um tiro na cabeça, Ernest Hemingway tira sua própria vida.

 

Trabalhos de Ernest Hemingway

 

Romances

 

1925 – The Torrents of Spring (br:; pt: As Torrentes da Primavera)

1926 – The Sun Also Rises (br: O Sol Também Se Levanta; pt: O Sol Nasce Sempre (Fiesta))

1929 – A Farewell to Arms. (br: Adeus às Armas; pt: O Adeus às Armas)

1937 – To Have and Have Not (br/pt: Ter e Não Ter)

1940 – For Whom the Bell Tolls (br/pt: Por Quem os Sinos Dobram)

1950 – Across the River and Into the Trees (br: Do Outro Lado do Rio e Entre as Árvores; pt: Na Outra Margem, Entre as Árvores)

1952 – The Old Man and the Sea (br/pt: O Velho e o Mar)

1962 – Adventures of a Young Man (br: Aventuras de um Homem Jovem; pt)

1970 – Islands in the Stream (br: As Ilhas da Corrente; pt: Ilhas na Corrente)

1986 – The Garden of Eden (br/pt: O Jardim do Éden)

 

Não ficção

 

1932 – Death in the Afternoon (Morte à tarde)

1935 – Green Hills of Africa (As Verdes Colinas de África)

1960 – The Dangerous Summer (O Verão Perigoso)

1964 – A Moveable Feast (Paris é uma Festa)

1999 – True at First Light (Verdade ao Amanhecer)

2003 – Ernest Hemingway Selected Letters 1917-1961

2005 – Under Kilimanjaro (As Neves do Kilimanjaro)

 

Contos e pequenas estórias

1923 Three Stories and Ten Poems

1925 In Our Time

1927 Men Without Women

1932 The Snows of Kilimanjaro

1933 Winner Take Nothing

1938 The Fifth Column and the First Forty-Nine Stories

1947 The Essential Hemingway

1953 The Hemingway Reader

1972 The Nick Adams Stories

1976 The Complete Short Stories of Ernest Hemingway

1995 Collected Stories

Assinatura

Anúncios

Deixe uma resposta