Guel Arraes

O cinema nacional tem se destacado devido alguns diretores brasileiros que tem levado para as telonas, não apenas grandes filmes, mas verdadeiras provas de que o nosso país é um grande expoente de ótimos filmes.

 Entre os grandes diretores brasileiros podemos citar Guel Arraes que, na verdade, seria mais digno de sua importância, dizer que é um profissional importantíssimo para a história da televisão brasileira, afinal de contas, Guel Arraes está por trás de algumas ótimas produções. 

Como tudo começou para um dos melhores diretores brasileiros 

Miguel Arraes de Alencar Filho, nasceu em 12 de Dezembro de 1953 e é filho de Miguel Arraes, ex-governador de Recife, onde moravam, pelo menos até a Ditatura exilar a família Arraes para Argélia.

 Foi no ano de 1972 que Guel Arraes passou a ter contato com a sétima arte, ao matricular-se no curso de Antropologia na Universidade de Paris, acabou ingressando no Comitê do Filme Etnográfico. O que possibilitou seu início na direção de novelas.

 Sua estreia no cinema foi em grande estilo, provando que o diretor tinha todo o profissionalismo e o feeling para produzir filmes fantásticos, como aconteceu em O Auto da Compadecida, que coroou seu trabalho com alguns prêmios.

 Lembrando que O Auto da Compadecida primeiramente foi uma série de quatro capítulos que encantou o país inteiro com as estórias e tramoias de Chicó (Selton Mello) e João Grilo (Matheus Nachtergaele), isso sem mencionar o time fantástico de atores, como: Marco Nanini, Fernanda Montenegro, Diogo Vilela, Denise Fraga, Lima Duarte, entre outros. O filme foi tão bem sucedido que se transformou em filme com duas horas de direção.

 Além dessa estreia positiva, Guel Arraes decidiu repetir algumas parcerias com Lisbela e o Prisioneiro de 2003, Meu tio matou um cara (2004), O Coronel e o Lobisomem (2005) e a Grande Família: o filme (2007). Isso sem mencionar os demais programas de sucesso que Guel Arraes ajudou a transformar em um sucesso de público.

Séries que contam com o toque de sucesso de Guel Arraes

 Na década de 80, uma das séries de maior sucesso da TV brasileira era, sem dúvida alguma, Armação Limitada e Guel Arraes atuou como diretor de 1986 a 1988. Também esteve a frente da TV Pirata, Doris para Maiores, A Comédia da Vida Privada e trabalhou no fantástico Os Normais, o filme de 2003 como produtor.

 Guel Arraes também esteve presente nas primeiras temporadas de Casseta & Planeta, um programa de humor irreverente e ácido que conquistou um horário nobre devido a qualidade de profissionais. 

Os prêmios de Guel Arraes

 No ano de 1990, Guel Arraes faturou seu primeiro prêmio por Melhor Programa humorístico com TV Pirata. Em 1996, mais uma série humorística ganhando prêmio, desta vez, A Comédia da Vida Privada com três temporadas de sucesso; O Auto da Compadecida, também ganhou prêmio como série em 2000 e no ano de 2002, Brava Gente.

 Em 2003, Guel Arraes ganha o Prêmio de Melhor Diretor, tanto no Rio de Janeiro quanto em São Paulo pelo seu trabalho em O Auto da Compadecida. O paí, Ó de 2009 coroou um dos maiores diretores brasileiros como Melhor Autor de Série. Mas, de todos os trabalhos de Guel Arraes, nenhum foi tão premiado quanto em O Auto da Compadecida.

 E para encerrarmos esse pequeno artigo a respeito de um dos mais importantes e influentes diretores do cinema nacional, vale destacar seu trabalho em: A Grande Família, um programa humorístico com grandes estrelas e com piadas saudáveis e muito bem boladas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.