Casa Museu Dostoievski

A literatura russa se tornou uma das queridinhas dos brasileiros. Repleta de autores consagrados e com uma forma única de produção, os russos tem cadeira cativa no coração dos leitores de todo o mundo. Um dos maiores nomes desse país é Fiodór Dostoiévski.

Residência que se tornou Museu

Apesar de ter nascido em Moscou, Dostoiévski viveu grande parte de sua vida em São Petersburgo (até então capital do Império russo). Ali viveu em vários apartmentos alugados nas regiões um pouco mais afastadas do centro. Dostoievski não era rico, nasceu em família de classe média e sempre viveu dessa forma (ao contrário de Tolstoi e Checkov, que eram mais abastados).

A residência que foi transformada em museu foi o último apartamento de Dostoievski, onde ele viveu entre 1878 até sua morte em 1881. Foi nesse apartmento que Dostoievski escreveu algumas de suas obras, entre elas Os Irmãos Karamázov, sua última obra (que você pode ler clicando aqui). A mudança aconteceu após a morte de seu filho, que deixou o autor muito abalado a ponto de não querer viver mais ali com as lembranças da criança.

Apesar do apartamento ser pequeno, grande parte do prédio foi incorporado ao museu. Nos andares abaixo do apartamento, existe uma área com fotografias, livros e informações sobre a obra de Dostoiévski e também uma pequena área para exibições especiais.

História e vida relatada

O apartamento em si foi reproduzido com algumas peças que ainda exisitam da casa de Dostoievski e outras cópias reproduzidas. Por um bom tempo muitas coisas ficaram guardadas em porões e não conseguiram sobreviver ao tempo. Mas ainda há coisas do escritor, como seu chápeu e a mesa onde escrevia.

As informações que se encontram ali são interessantes. Detalhes sobre como Dostoievski vivia (guardados por sua esposa Anna após sua morte) ajudaram a criar a atmosfera e esclarecer como era o dia a dia da família. Anna era quem editava e vendia os livros de Dostoievski, e no apartamento ela mantinha um quarto com o estoque dos livros, fazia o envio das encomendas além dos afazeres domésticos. Ela era quem mantinha as finanças da família em ordem, uma verdadeira mulher de negócios.

O escritor produzia à noite, horário que havia total silêncio e ele conseguia criar melhor. Ele trabalhava entre 23 as 6 da manhã todos os dias em seu escritório sempre acompanhado por chá, sua bebida preferida. Por isso, a família só se reunia no jantar, horário que todos estavam em casa e acordados. Foram raras as pessoas que entravam em sua sala de estudos, somente os mais próximos eram convidados.

Dostoiévski amava seus filhos e sempre teve um carinho grande por eles. Ele areditava que a vida não havia sentido sem os filhos Ele lia para seus filhos regularmente histórias, passando o amor pela literatura desde cedo: Pushkin, Zhukovsky, Karamzin, Gogol, Dickens, Hoffman, Schiller, Hugo, eram alguns dos autores que ele lia para os filhos, além da bíblia. Esse amor pelos filhos é reforçado no museu, que mantém o quarto das crianças e a proximidade do autor com seus filhos.

Funcionamento

O Museu funciona de terça à domingo com horários diferenciados de acordo com a época do ano. Se for estudante, não esqueça de levar sua carteirinha (não precisa da internacional) e pagará meia entrada

Valor – 200 Rublos

Site – http://www.md.spb.ru/

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.