Home>Política e Sociedade>Capital de Giro na Indústria: Veja o Que É

Capital de Giro na Indústria: Veja o Que É

A contabilidade empresarial é abrangente, reúne dados e números e, por isso mesmo, aponta resultados como o capital de giro na indústria e no varejo, independente de qual setor produtivo uma organização esteja inserida. 

O capital de giro na indústria e o fluxo de caixa estão intimamente ligados. 

Para funcionar de maneira adequada, uma empresa deve ter recursos disponíveis suficientes para financiar as operações: 

  • Acordos com fornecedores;
  • Compra de matéria-prima;
  • Contas a pagar e receber;
  • Despesas operacionais;
  • Pagamento de funcionários.

Nesses pontos entra o capital de giro na indústria, e em qualquer outro empreendimento comercial, deve-se ter uma atenção por parte do departamento de contabilidade da empresa, assim como o concentrador de oxigênio preço é importante para o setor de RH (Recursos Humanos)

 

Definição de capital de giro na indústria

O capital de giro na industrial é uma métrica contábil que mostra, em números, como uma empresa usa o dinheiro. 

Este é um conceito muito importante em termos de gestão de fluxo de caixa. 

Em termos práticos, essa métrica representa os recursos disponíveis para uma empresa pagar as despesas de funcionamento até obter o pagamento dos clientes.

 

Capital de giro líquido total

O capital de giro é o capital que uma empresa usa para cumprir as obrigações financeiras na rotina econômica de qualquer empreendimento comercial. 

Ter visibilidade do fundo de maneio permite gerir os negócios de forma mais eficiente, isso porque se sabe antecipadamente quais as despesas que pode cobrir sem recorrer a um empréstimo.

Em termos práticos, todo empreendedor, ou mesmo executivos, precisam estar atentos nessa métrica, pois ela permite que se financie, de forma sustentável, os investimentos que uma empresa precisa se dedicar.

 

Composição do capital de giro geral

O capital de giro líquido geral se divide em 3 categorias principais, são elas: capital ou fundo de capital, capital de empréstimo de médio e longo prazo e ativos fixos.

 

1. Capital ou fundos de capital

Os fundos de capital representam os recursos próprios do negócio. Eles vêm dos lucros obtidos pela própria empresa, ou pelas entradas de investidores. 

Esses recursos financeiros disponíveis ajudam a sustentar os investimentos e o ciclo operacional de um negócio, quando se torna necessário a guilhotina industrial  para melhor funcionamento de equipamentos eletrônicos.

Quanto mais fundos de capital uma empresa tem, mais o valor é impulsionado.

Se os fundos de capital forem positivos, significa que a empresa possui reservas financeiras para realizar investimentos de longo prazo, como máquinas e mão de obra especializada.

No entanto, pode ir além, como a possibilidade de financiar a atividade empresarial, como despesas com bens e crédito contábil.

Por outro lado, se o patrimônio líquido for negativo, isso significa que o valor é zero, ou mesmo negativo, e implica que o negócio teve prejuízo em anos anteriores. 

Nesse contexto, o negócio deve construir todo o patrimônio de volta.

 

2. Capital de empréstimo de médio e longo prazo

O capital de empréstimo representa os montantes concedidos por uma instituição financeira sob a forma de empréstimos a prestações para um centro de usinagem investir nos negócios. 

De fato, corresponde muitas vezes a empréstimos e investimentos de acionistas bloqueados a médio ou longo prazo.

 

3. Ativos Fixos

Ativos fixos, que também podem ser chamados de ativos de longo prazo, significam os ativos da empresa que se destinam a ser retidos no anos consecutivos, e que não devem ser destituídos.

Os ativos fixos são divididos em três categorias, sendo eles intangíveis, tangíveis, como  propriedades, instalações e equipamentos, e financeiros, que se apresentam como investimentos permanentes.

Os ativos fixos imobilizados podem ser lançados no balanço patrimonial como terrenos, incluindo instalações e benfeitorias, edificações, com as instalações gerais, estruturas e infraestruturas e, por fim, as instalações técnicas, como equipamentos e máquinas de uma linha de produção.

Até que sejam concluídos, o ativo imobilizado é registrado em um item de trabalho em andamento, como uma parceria com uma empresa de junta de vedação.

Os ativos fixos intangíveis incluem despesas preliminares, custos de pesquisa e desenvolvimento, concessões, patentes, licenças, marcas e software, ou seja, eles representam os investimentos em intangíveis realizados pelo negócio.

O ágio consiste em itens intangíveis, incluindo direitos de arrendamento, em conjunto com os investimentos permanentes. 

Os investimentos permanentes contam com participações societárias, como ações disponíveis no mercado, por exemplo, e empréstimos concedidos a funcionários e acionistas. 

Títulos de dívida, depósitos e garantia também estão inseridos em investimentos permanentes, e podem ser recuperados dentro de prazos instituídos pela própria empresa. 

 

O que é fórmula de capital de giro?

A fórmula de capital de giro mede a saúde financeira de curto prazo de um negócio. Permite verificar se uma empresa tem dinheiro suficiente disponível para cumprir as obrigações financeiras a curto prazo. 

Este é o cálculo do capital de giro: 

Capital de giro = ativo circulante – passivo circulante

O principal funciona com base em que a empresa tem dinheiro entrando por meio de pagamentos de clientes, por exemplo, tratados como (AC), isto é, ativos circulantes, e saída de dinheiro para pagamentos diversos, como suporte de TI e telecomunicações, ou seja, PC (Passivo Circulante).

De qualquer maneira uma empresa precisa gerar uma quantia regular de dinheiro para fazer esses pagamentos de rotina e cobrir custos inesperados, como o Balança comercial dentro de uma empresa.

Sem um fluxo de caixa positivo, a empresa simplesmente não será capaz de cobrir os custos, resultando em um eventual fracasso nos negócios. 

Sendo assim, em todo o cenário econômico empresarial, toda empresa precisa de uma quantidade substancial de capital de giro para lidar com qualquer emergência inesperada.

A fórmula permite que se compreenda a situação do fluxo de caixa das contas gerenciais. Um capital de giro positivo significa que a empresa pode pagar as obrigações de curto prazo. 

Considerando que um capital de giro negativo significa que não consegue pagar as dívidas.

Os problemas de fluxo de caixa são uma das principais causas de falência de empresas, por isso é crucial compreender e monitorar toda a contabilidade com cuidado. 

 

Para que serve o capital de giro?

Nos tempos atuais, esse instrumento contábil mede os recursos que uma empresa possui no médio e longo prazo para financiar operações rotineiras, fora do faturamento. 

Ele oferece uma visão precisa da saúde financeira dos negócios para gerenciar com confiança e construir a estratégia de desenvolvimento em Manutenção de máquinas industriais de custo totalmente calculado.

Para otimizar o fluxo de caixa, o capital de giro na industrial pode ser considerado como uma reserva, e deve estar sempre adaptado ao ciclo operacional dos negócios. 

Fato importante é que o capital de giro deve ser suficiente para cobrir parcialmente a necessidade de capital de giro para sustentar e manter o ciclo operacional.

 

Tipos de capital de giro que podem ser encontrados

O capital de giro na indústria, ou em qualquer outro setor produtivo, pode ser encontrado em 4 modelos distintos, e é importante conhecer cada um deles. 

 

1. Capital de giro positivo

Quando o capital de giro líquido é positivo, isso significa que o negócio gera um excedente de caixa, o que permite financiar toda ou parte da parcela estrutural da necessidade de capital de giro. 

Quando calculado no longo prazo, um capital de giro na indústria que se mostra positivo comprova que o negócio possui recursos estáveis, e pode ser acompanhado por um Anéis de segmento interna ou terceirizada.

Por outro lado, quando um capital de giro positivo é calculado no curto prazo, significa que as dívidas podem ser pagas com a realização de ativos de curto prazo.

2. Capital de giro negativo

Quando uma empresa tem um capital de giro negativo, ela é descrita como subcapitalização. Esta é uma situação de risco, pois o negócio não consegue arcar com todos os investimentos. 

Se o capital de giro for negativo no longo prazo, isso implica que os recursos não são suficientes para que o negócio funcione corretamente. 

Em um cenário de risco, caso o capital de giro for negativo no curto prazo, a empresa não consegue pagar as dívidas, mesmo que realize os ativos.

3. Zero capital de giro

Zero capital de giro na indústria significa que o negócio não tem adiantamento de caixa de longo prazo, o que prejudica o equilíbrio financeiro, tornando-o inseguro.

4. Capital de giro e caixa líquido

O caixa líquido abrange todos os ativos líquidos que estão disponíveis no curto prazo, e nos termos empregados pelo setor de contabilidade, também é conhecido como “saldo à vista”. 

A relação entre caixa líquido e capital de giro é que o primeiro corresponde aos ativos de caixa de uma empresa, menos o financiamento e a necessidade do segundo.

 

Conclusão

Dentro de um cenário adequado, as empresas mantêm o capital de giro na indústria com saldo positivo, contando com um período de tempo em que haja um atraso relativo de caixa disponível, mesmo que o ciclo negativo seja o desejável. 

Por fim, a Máquina De Solda Mig Mag deve ficar sob a responsabilidade de profissionais responsáveis, com técnicas e habilidades que possam garantir o capital de giro circulando.

Tudo para que o crescimento no setor seja contínuo e atraente para investidores e clientes. 

 

Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta