Home>Principal>A vida e carreira de Jack Kirby

A vida e carreira de Jack Kirby

Jacob Kurtzberg, popularmente conhecido pelo seu nome artístico Jack Kirby, foi um desenhista, roteirista e editor de HQ estadunidense renomado na indústria.

Ele sempre foi amplamente conhecido como um dos grandes inovadores da cena dos quadrinhos, sendo também um dos criadores mais influentes da história. Suas principais obras são publicadas pela Marvel e pela DC Comics, e elas fizeram de Jack um quadrinista lendário. Conheça um pouco mais sobre a sua vida e carreira.

 

Juventude

Jacob Kurtzberg nasceu no dia 28 de agosto de 1917, na cidade de Nova York, onde ele foi criado. Descendente de austríacos, seus pais eram imigrantes judeus, sendo o seu pai um operário de fábrica de roupas, principal renda da família.

 

Na sua juventude, Kirby queria sempre escapar da sua vizinhança. Ela amava desenhar e procurava locais onde conseguisse aprender mais sobre essa arte. Ele sempre foi autodidata, e citou entre as suas maiores influências os artistas Milton Caniff, Alex Raymond e Hal Foster. 

 

Ele foi recusado na The Educational Alliance pois desenhou “muito rápido com o carvão”. Porém, mais tarde, ele achou uma saída para as suas habilidades, conseguindo trabalhos como desenhistas de cartuns para o jornal da Boys Brotherhood Republic, que era uma “cidade em miniatura”.

 

Com 14 anos ele foi matriculado no Instituto Pratt, localizado no Brooklyn, mas ficou lá apenas durante uma semana. Ele diz que não era o tipo de aluno ideal para o instituto, pois ele queria fazer as coisas, e não trabalhar com uma única coisa.

 

Carreira

Kirby começou a trabalhar para os estúdios Fleischer no ano de 1935, onde ele era encarregado de fazer as sequências do desenho “Popeye”. Ele então se juntou a Lincolns Newspaper Syndicate no ano de 1936, trabalhando lá até a empresa falir em 1938.

 

Jack Kirby conheceu o Joe Simon enquanto o mesmo fazia alguns trabalhos freelancers para várias editoras. Os dois jovens se juntaram e começaram a criar e vender HQs. A dupla de desenhistas criou o Capitão América para a Timely Comics, que mais tarde se tornaria Marvel Comics, em 1941.

 

As dinâmicas de Kirby, as técnicas cinematográficas, o seu uso de quebrar quadros sequenciais e uma grande senso de ação fez com que o título se tornasse um grande sucesso de imediato, revolucionando as regras das histórias em quadrinhos.

 

O nome Simon e Kirby se tornou sinônimo de HQs empolgantes de Super-Heróis. Depois de 10 edições do Capitão América, eles foram para a DC Comics, concorrente histórica da Marvel. Lá, eles assumiram o personagem “Sandman” na revista “Adventure Comics”. Os dois também produziram “Manhunter”, “Boy Commandos” e “Newsboy Legion”. 

 

As HQs de super-heróis acabaram caindo em popularidade depois do final da Segunda Guerra Mundial, e Kirby então passou a produzir histórias de outros gêneros também. A dupla recebe os créditos pela criação da primeira revista de romance “Young Romance Comics”. 

 

Além disso, criaram diversas HQs de horror, crime, faroeste e humor. A parceria entre Kirby e Simon chegaria ao fim no ano de 1954 com a indústria de HQs estagnada por uma censura e sua publicidade negativa. 

 

Entretanto, Kirby continuou produzindo histórias, reinventando o personagem Arqueiro Verde na revista “Adventure Comics”, além de criar o clássico Challengers of The Unknown.

 

Stan Lee e Marvel

Depois de um tempo afastado da revista, Kirby retornou para a Marvel, produzindo uma sequência de HQs de monstros, terror e  ficção científica. O visual bizarro das suas criaturas alienígenas foi um grande sucesso entre os consumidores da revista. 

 

A pedido de Martin Goodman e Stan Lee, Kirby retornou aos desenhos de HQs de super-heróis. Ele teve participação na criação de quase todos os personagens da Marvel dos anos seguintes. Podemos destacar o Quarteto Fantástico, Homem de Ferro, Hulk, Thor, X-men, Demolidor, Pantera Negra e alguns outros.

 

Ela era co-autor de HQs que desenhava com muita frequência, introduzindo alguns elementos que não eram citados nos scripts do Stan Lee. Em particular, Kirby era creditado como o criador do Surfista Prateado, que não foi citado no roteiro do Lee na história onde o personagem teve sua primeira aparição.

 

 

 

 

Morte e legado

No dia 6 de fevereiro de 1994, o grande Jack Kirby faleceu com 76 anos em decorrência de uma insuficiência cardíaca. Ele morreu na sua casa, na Califórnia. Ele deixou um grande legado para os fãs de histórias em quadrinhos.

 

O lendário desenhista é conhecido mundialmente como um dos mais influentes artistas do gênero. A sua produção acabou entrando para a história enquanto algumas estimativas apontam que ele desenhou mais de 25.000 páginas de histórias durante a vida, incluindo tiras de jornal e esboços.

 

Ele também era pintor, chegando a trabalhar para várias ilustrações para filmes de Hollywood. O grupo de Rock Monster Magnet cita a influência cultural do desenhista na canção “Melt” que inclui os versos “I was thinking how the world should have cried/On the day Jack Kirby died.”

 

O seu legado com certeza é eterno, se fazendo presente na vida de todas as pessoas que curtem histórias de super herói pelo mundo.

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta