Home>Biografia>A trajetória do romancista Kazuo Ishiguro

A trajetória do romancista Kazuo Ishiguro

Kazuo Ishiguro é um romancista, músico e roteirista britânico. Ele é nascido no Japão, mas ainda pequeno se mudou para a Grã-Bretanha com seus pais, possuindo então dupla cidadania. Confira um pouco sobre a carreira e trajetória desse importante romancista.

 

Juventude

Kazuo Ishiguro nasceu na cidade de Nagasaki, no Japão, no dia 8 de novembro de 1954. Ele é filho de um oceanário físico, Shizuo com a sua esposa Shizuko. Quando ele tinha apenas 5 anos de idade, a sua família acabou deixando o Japão e se mudou para Surrey, quando o seu pai recebeu um convite para trabalhar como pesquisador no Centro de Oceanografia Nacional.

Ele não voltou a visitar o Japão até 1989, quase 30 anos depois, quando era um participante do Programa de Visitantes de Curto Prazo da Japan Foundation. Em uma entrevista Ishiguro afirmou que os cenários japoneses de seus dois primeiros romances eram imaginários: “Cresci com uma imagem muito forte em minha cabeça deste outro país, um outro país muito importante ao qual tive um forte sentimento emocional empate… Na Inglaterra eu ficava o tempo todo construindo essa imagem na minha cabeça, um Japão imaginário ”.

Sempre sendo descrito como um escritor de origem britânica e asiática, Ishiguro explicou para a BBC como crescer em uma família de japoneses no Reino Unido foi determinante para a sua escrita. Isso permitiu que ele conseguisse ver as coisas a partir de um olhar diferente quando comparava com seus colegas ingleses.

Ele frequentou a Stoughton Primary School e depois a Woking County Grammar School, em Surrey. Ishiguro também cantou solos no coro da sua igreja e coro da escola, e teve uma fama local devido às qualidades angelicais de sua voz. Ele também gostava de música quando adolescente, ouvindo canções de nomes como Bob Dylan, Leonard Cohen e Joni Mitchell.

Depois de concluir o colégio no ano de 1973, ele acabou fazendo um ano sabático, viajando pelo Canadá e Estados Unidos, o tempo inteiro escrevendo um jornal e enviando algumas fitas demo para as gravadoras. Ele também acabou trabalhando como um batedor de perdizes para a Rainha Mãe no Castelo de Balmoral.

 

Kent

Em 1974, ele começou seus estudos na Universidade de Kent, graduando-se em 1978 com um Bacharel em Filosofia e Inglês. Depois de passar um ano escrevendo ficção, ele retomou seus estudos na University of East Anglia, onde ganhou um Master of Arts no ano de 1980. Sua tese se tornou seu primeiro romance, A Pale View of Hills , publicado em 1982. Ele se naturalizou como cidadão britânico em 1983.

 

Carreira literária 

Ishiguro fez as suas duas primeiras obras ambientadas no Japão. Porém, em algumas entrevistas ele alega que tem pouquíssima familiaridade com a escrita do Japão e que as suas obras possuem também pouca semelhança com os títulos japoneses. 

Em uma entrevista do ano de 1989, ao discutir a sua herança do Japão e a sua influência na educação, Ishiguro afirmou: “Não sou totalmente como os ingleses porque fui criado por pais japoneses em uma casa onde se fala japonês. Meus pais se sentiram responsáveis ​​por me manter em contato com os valores do japoneses. Eu tenho uma formação distinta. Eu penso diferente, minhas perspectivas são um pouco diferentes. ” 

As obras de Ishiguro várias vezes acabam sem nenhuma resolução. As questões que os personagens enfrentam estão enterradas bem no passado, permanecendo sem nenhuma resolução. Dessa forma, o autor conclui muitos dos seus romances com uma nota de resignação melancólica. Os personagens acabam aceitando o passado e quem eles acabaram virando, geralmente descobrindo que essa percepção acaba trazendo um fim para a perturbação mental e mais conforto.

Ishiguro conta com Proust e Dostoiévski entre suas influências. Suas obras também foram comparadas a Jane Austen, Salman Rushdie e Henry James, mesmo que o próprio Ishiguro rejeite essas comparações. 

Ishiguro foi nomeado Cavalheiro Bacharel pelos serviços prestados à literatura nas homenagens de aniversário de 2018.  O oitavo romance de Ishiguro, Klara and Sun, foi publicado por Faber e Faber em 2 de março de 2021. Rumaan Alam, do The New Republic, escreveu que é “mais simples do que parece, menos romance do que parábola”.

O autor foi listado entre os nomes do Prêmio Booker de 2021. Em seu romance ele costuma discutir assuntos como as problemáticas do avanço da tecnologia, o futuro do nosso planeta e o significado do ser humano, que ele também aborda nos seus livros anteriores. No mesmo ano foi feito um remake britânico do filme japonês Ikiru intitulado Living, com roteiro adaptado escrito por Ishiguro, dirigido por Oliver Hermanus e estrelado por Bill Nighy.

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta