Home>Literatura>O que é Oração

O que é Oração

Muitas pessoas não sabem o que é uma oração. A definição de oração é bem simples: é um enunciado que pode ou não possuir um sentido completo.

As orações são formadas por predicado e sujeito. Ou seja, as orações sempre vão possuir um verbo.

Na oração “Temo pela sua saúde”, por exemplo, ela possui um sentido completo e a mensagem que ela transmite está em torno do verbo “temo”. 

Já na frase “Não sei se ele vem aqui em casa”, possui duas orações. Em uma delas, o sentido é completo (Não sei, onde a mensagem gira em volta do verbo “sei”). Já na outra oração não possui sentido completo (se ele vem aqui em casa, onde a mensagem está em volta do verbo “vem”).

Preste atenção que a segunda oração vai depender de forma direta da primeira para que ambas façam sentido juntas.

Sabendo desse conceito básico, vamos ver um pouco mais sobre os detalhes da oração. Portanto, confira a seguir os seus tipos e variações.

 

Tipos de oração

Existem alguns tipos e variações de oração. Elas podem ser coordenadas, subordinadas ou absolutas. 

As orações absolutas são as que possuem somente uma oração. Ou seja, o período da frase é simples. Na frase “Contemple a beleza das flores”, por exemplo, onde possui somente uma oração.

Já a oração coordenada é aquela que o período é composto, mas essas orações funcionam de forma independente. Elas não precisam das outras para fazerem sentido. Na frase “Cheguei, tirei os sapatos, respirei fundo e me joguei no sofá.” por exemplo. Nessa frase temos quatro orações, onde cada uma delas tem um sentido completo. Oração 1 (Cheguei), oração 2 (tirei os sapatos), oração 3 (respirei fundo) e oração 4 (me joguei no sofá).

No caso da oração subordinada é quando o período é composto e essas orações dependem completamente uma da outra para se fazer sentido. Por exemplo, na oração “Se precisar de ajuda, chame”.

Perceba que nessa frase nós temos duas orações. A oração 1 (Se precisar de ajuda) depende da oração 2 (chame) para fazer sentido.

 

Diferença entre oração e frase

A oração e a frase se diferenciam pelo fato de que as orações nem sempre apresentam um sentido completo, mas sempre apresentam verbos.

Por outro lado, a frase sempre possui um sentido completo, mas nem sempre possui um verbo. 

Podemos citar como exemplo de oração “Você está falando sério?” que possui verbo, mas não tem sentido completo. Enquanto uma simples frase “sério?” já possui sentido, mas não possui o verbo.

 

Orações coordenadas

Essas são aquelas orações do período composto e que se comportam de maneira independente. Ou seja, esse tipo de oração não depende de forma sintática das outras. Essas orações podem ser sintéticas ou assindêticas.

As orações coordenadas sindéticas se ligam por meio da conjunção. Por exemplo, na oração “Deitou e adormeceu” temos duas orações. A oração 1: Deitou e a oração 2: adormeceu. Elas são conectadas através da conjunção “e”.

Por outro lado, as orações coordenadas assindéticas, ao contrário das sindéticas, não são conectadas por nenhum conectivo. Por exemplo, na oração “Saímos, dançamos, jantamos, rimos” não existe nenhuma conjunção, e somente as 4 orações (saímos, dançamos, jantamos e rimos).

 

Orações subordinadas

As orações subordinadas são as de período composto e que dependem sintaticamente entre elas. As orações subordinadas podem ser adjetivas, substantivas e adverbiais.

As substantivas podem exercer variadas funções: predicado nominal, sujeito, complemento nominal e verbal, além do oposto.

Por exemplo, na oração “Alguém disse que o professor não viria?” temos a oração 1 (alguém disse) e a oração 2 (que o professor não viria). A oração 2 possui a função de objeto direto pois complementa todo o sentido do verbo “disse”. Perceba que ela faz isso sem ter a necessidade de utilizar uma preposição. 

Já as orações adjetivas possuem uma função de adjunto adnominal. Por exemplo, na oração “Falei com a Ana que possui os olhos azuis”. Temos a oração 1 (Falei com a Ana) e temos a oração 2 (que possui os olhos azuis).

Nesse caso, a oração 2 possui um função de adjunto adnominal, pois ela especifica com que Ana o sujeito falou ( A Ana que possui os olhos azuis).

As orações adverbiais possuem a função de adjunto adverbial. Por exemplo, na frase “Ele canta como um rouxinol canta.” temos a oração 1 (Ele canta) e a oração 2 (Como um rouxinol canta). A oração 2, por exemplo, possui a função de adjunto adverbial de comparação, pois ela compara a maneira de cantar de uma pessoa com a do rouxinol. 

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta