Home>Biografia>Carlos Ruiz Zafón: Publicitário, Roteirista, Maior Escritor Espanhol

Carlos Ruiz Zafón: Publicitário, Roteirista, Maior Escritor Espanhol

Diferente de grandes autores, Zafón não veio de uma família ávida por livros. Suas áreas eram publicidade e cinema. Hoje coleciona prêmios literários.

 

Sobre o escritor

Ruiz Zafón é natural de Barcelona, Espanha. Nasceu em 1964 e seu pai trabalhava como corretor de seguros. Inicialmente, sua profissão era relacionada à marketing e anúncios. Aos 29 anos se mudou para Los Angeles, onde reside até hoje, para trabalhar como roteirista. 

Em paralelo, ele escrevia o seu primeiro livro que se chama “O Príncipe da Névoa” o qual teve excelentes vendas, além de ter sido traduzido para vários idiomas. Inclusive, foi premiado na categoria de literatura infantil e juvenil. Além disso, ele já foi o início da “Trilogia do Nevoeiro”. Sem dúvidas, é um excelente começo para uma carreira literária!

Embora Zafón não tenha sido influenciado por ninguém da família para se envolver com a literatura, ele encontrou inspiração nas obras de Dostoievski, Tolstói e Charles Dickens. Sua educação básica foi em uma escola de jesuítas e ele chegou a começar a faculdade de Ciências da Informação. Essa área o levou pra publicidade, no qual o seu primeiro emprego foi como diretor criativo de uma agência espanhola.

 

Da literatura ao cinema

 

É curioso o fato de que o escritor tenha enveredado pelo cinema, como roteirista, mas nunca foi a favor de adaptações cinematográficas dos seus romances. Porém, ele chegou a compor músicas-tema para os personagens de “A Sombra do Vento”, seu livro mais famoso, que ganhou uma adaptação musical. Além disso, no processo de criação, ele costuma imaginar as cenas dos livros de forma cinematográfica, por isso os seus personagens são tão curiosos.

Uma das mais extensas contribuições de Carlos para a Espanha foi a própria popularização de Barcelona. Graças a ele, há roteiros literários espalhados pela cidade com base em suas histórias. Ele mesmo escreveu um guia sobre a capital. É muito comum que as agências de turismo organizem seus itinerários de acordo com os lugares citados em “A Sombra do Vento” e com o guia lendo trechos da obra!

Hoje o autor é o mais lido de toda a Espanha, perdendo apenas para Miguel de Cervantes. Seu maior diferencial é provavelmente a forma com que tece o suspense e o mistério nas histórias. No seu site oficial há um jogo de fatos pessoais sobre o autor, que em tradução livre é:

 

Uma frase? 

O que você escreve é o que você mais pensa.

Um prato?

Cheesecake de manga.

Uma viagem?

Qualquer uma que me leve a um lugar desconhecido.

Uma canção?

Bagatelles n° 4 – Gerald Finzi.

Um herói?

Orson Welles

Um mau hábito?

Confiar às vezes em quem você sabe que não deve confiar.

Um pouco sobre seus livros 

Alguns elementos são recorrentes em seus trabalhos como a estética expressionista e a utilização de imagens e descrições que impressionam… enfim, algo que remonta a romances de 200 anos atrás. Depois da “Trilogia do Nevoeiro”, escreveu “Marina”, outra ficção juvenil, mas com uma pegada mais adulta.

Sua quinta obra foi o glorioso “A Sombra do Vento”, traduzido para 36 idiomas e publicado em 45 países — mais de 10 milhões de exemplares no planeta. O livro o fez lograr o Prêmio Fernando Lara e o Prêmio Libreter. Internacionalmente, também ganhou o Prêmio Correntes d’Escritas e o Melhor Livro de 2002 pelos eleitores do La Vanguardia. Depois dele, escreveu mais dois livros, finalizando a trilogia do “Cemitério dos Livros Esquecidos”.

Além de descrever Barcelona perfeitamente em seus romances, Zafón tem uma lista específica de sugestões de lugares para ir! Clique aqui e confira os 5 lugares indicados pelo escritor.

 

 

 

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta