Home>Biografia>O cinema de Mário Monicelli

O cinema de Mário Monicelli

No dia 16 de maio de 1915, na cidade de Viareggio, Itália, nascia um dos maiores e mais saudosos cineastas italiano: Mário Monicelli, que conseguiu um lugar especial na Sétima Arte Italiana devido aos seus roteiros e sua direção peculiar.

 

Mário Monicelli – Biografia

 

Mário Monicelli, desde muito cedo, já contava com uma presença artística em sua vida, seu pai, Tommaso Monicelli, além de jornalista, era um crítico teatral. Isso foi algo importante na vida do profissional, ainda mais por ter vívido na década de 30 a efervescência cultural em Viareggio.

Apesar de sua carreira cinematográfica, Mário não estudo para isso no Liceu Clássico Giosuè Carducci, o diretor formou-se em Filosofia e História. Agora, sua carreira no cinema começou por causa de seu amigo Giacomo Forzano, que era filho de Giovacchino Forzano, um comediógrafo que fundou um estúdio cinematográfico chamado Pisorno.

Foi nesse período que Mário começou a dar seus primeiros passos no universo cinematográfico e, um detalhe muito importante de sua obra, já nos primeiros trabalhos, era perceptível a sua pegada mais toscana, que acabou se transformando em uma particularidade de sua poética cinematográfica.

No ano de 1934, em parceria com Alberto Mondadori, Mário dirigi o curta-metragem “Cuore Rivelatore”. E neste mesmo ano realiza um média-metragem mudo chamado “I Ragazzi dela via Paal”, que além de apresentado, foi premiado em Veneza. E no ano de 1937, dirige seu primeiro longa metragem, Pioggia d’estate, sob o pseudônimo de Michele Badiek.

 

Onde tudo realmente começou

 

Apesar de estar envolvido em diversas obras e no meio cinematográfico, o começo da carreira de Mário Monicelli, oficialmente começou no ano de 1949, com uma nova parceria, desta vez, com Steno na produção “Totò cerca casa”. 

Foi neste trabalho que podemos ver a característica que marcou os demais trabalhos deste cineasta, com um estilo simples de narração, mas completamente funcional e eficaz, para deixa-lo completamente concentrado no desenvolvimento do filme.

Essa parceria rendeu ótimos resultados para ambos, o que foi repetido em mais oito filmes, todos produzidos em um espaço de quatro anos, entre eles, destaca-se os mais célebres e importantes: Guardie e ladri de 1951 e Totò a colori de 1962.

 

Mário Monicelli e seus trabalhos próprios

 

No ano de 1953, Mário começa a trabalhar sozinho já que, devido aos trabalhos anteriores, conseguiu diversos contatos com outros grandes cineastas da época. Tanto é que seus trabalhos, até hoje são considerados grandes obras do cinema italiano, pós-guerra.

No ano de 1958, com um elenco especial, Monicelli entrega ao público “I soliti ignoti” que é considerado pelos críticos o primeiro filão da verdadeira comédia italiana. Em 1959, o cineasta ganha o Leão de Ouro com “La grande guerra” no Festival  Internacional de Veneza e ainda, recebi sua primeira indicação ao Oscar. A segunda indicação viria com “I compagni” de 1963.

 

Mário Monicelli e sua morte

 

O cineasta estava sofrendo com um câncer de próstata em fase terminal no ano de 2010 e, provavelmente, foi por essa razão que preferiu tirar sua própria vida, no dia 29 de novembro, atirando-se pela janela do Hospital San Giovanni, atirando-se pela janela do edifício. A comunidade cinematográfica lamentou essa perda. Abaixo conheça os trabalhos do diretor, roteirista e ator.

 

Como diretor

 

1935: I ragazzi della Via Paal, com Alberto Mondadori

1937: Pioggia d’estate

1949: Al diavolo la celebrità, com Steno

1949: Totò cerca casa, com Steno

1950: Vida de Cão, com Steno

1950: È arrivato il cavaliere!, com Steno

1951: Guardie e ladri (pt: Polícias e ladrões), com Steno

1952: Totò e i re di Roma, com Steno

1952: Totò e le donne, com Steno

1953: Le infedeli, com Steno

1954: Proibito

1955: Un eroe dei nostri tempi

1955: Totò e Carolina

1956: Donatella

1957: Il medico e lo stregone

1957: Padri e Figli

1958: I soliti ignoti (pt: Gangsters falhados)

1959: La grande guerra (pt: A grande guerra)

1960: Risate di gioia

1962: Boccaccio ’70, com Vittorio De Sica, Luchino Visconti e Federico Fellini (segmento Renzo and Luciana)

1963: Os Companheiros

1964: Alta infedeltà, com Luciano Salce, Elio Petri e Franco Rossi

1965: Casanova ’70

1966: Le fate, com Mauro Bolognini, Antonio Pietrangeli e Luciano Salce

1966: L’armata Brancaleone

1968: La ragazza con la pistola

1968: Capriccio all’italiana, com Mauro Bolognini, Steno, Pino Zac, Pier Paolo Pasolini e Franco Rossi

1969: Toh, è morta la nonna!

1970: Brancaleone alle Crociate (br: Brancaleone e as Cruzadas / pt: Uma aventura nas Cruzadas))

1971: Le coppie, com Alberto Sordi e Vittorio De Sica

1971: La mortadella

1973: Vogliamo i colonnelli

1974: Romanzo popolare

1975: Amici miei (pt: Oh! Meus Amigos)

1976: Caro Michele

1976: Signore e signori, buonanotte, com Luigi Comencini, Nanni Loy, Luigi Magni e Ettore Scola

1977: Un borghese piccolo piccolo (pt: O pequeno burguês)

1977: I nuovi mostri (pt: Os novos monstros), com Dino Risi e Ettore Scola

1979: Viaggio con Anita (pt: Viagem com Anita)

1979: Temporale Rosy (pt: Uma mulher furacão)

1981: Camera d’albergo (pt: Quarto de hotel)

1981: Il Marchese del Grillo

1982: Amici miei atto II (pt: Oh amigos meus 2ª parte)

1984: Bertoldo, Bertoldino e Cacasenno

1985: Le due vite di Mattia Pascal

1986: Speriamo che sia femmina (pt: Oxalá seja menina!)

1987: I picari (pt: Os alegres pícaros)

1989: La moglie ingenua e il marito malato

1989: 2 registi per 12 città – documentário, segmento Verona

1990: Il male oscuro

1991: Rossini! Rossini!

1992: Parenti serpenti

1994: Cari fottutissimi amici

1995: Facciamo paradiso

1996: Esercizi di stile – segmento Idillio edile

1997: Topi di appartamento – curta-metragem

1999: Panni sporchi

1999: Un amico magico: il maestro Nino Rota – documentário

2000: Come quando fuori piove – TV mini-série

2001: Un altro mondo è possibile – documentário

2002: Lettere dalla Palestina – documentário

2003: Firenze, il nostro domani – documentário

2006: Le rose del deserto

 

Como roteirista

 

I ragazzi della via Paal (1935)

Pioggia d’estate (1937)

La granduchessa si diverte (1940)

Brivido (1941)

La donna è mobile (1942)

Cortocircuito (1943)

Il sole di Montecassino (1945)

Aquila nera (1946)

Gioventù perduta (1947)

La figlia del capitano (1947)

Il corriere del re (1947)

Follie per l’opera (1948)

I Miserabili (1948)

L’ebreo errante (1948)

Il cavaliere misterioso (1948)

Accidenti alla guerra! (1948)

Il tradimento (1949)

Al diavolo la celebrità (1949)

Totò cerca casa (1949)

Il lupo della Sila (1949)

Il conte Ugolino (1949)

Vita da cani (1950)

Soho Conspiracy (1950)

L’inafferrabile 12 (1950)

È arrivato il cavaliere! (1950)

Il brigante Musolino (1950)

Botta e risposta (1950)

Vendetta… sarda (1951)

Guardie e ladri (1951)

Tizio, Caio, Sempronio (1951)

È l’amor che mi rovina (1951)

Core ‘ngrato (1951)

Accidenti alle tasse!! (1951)

Amo un assassino (1951)

Totò e i re di Roma (1952)

Totò e le donne (1952)

Totò a colori (1952)

Perdonami (1952)

Cinque poveri in automobile (1952)

Cani e gatti (1952)

Un turco napoletano (1953)

Il più comico spettacolo del mondo (1953)

Le infedeli (1953)

Cavalleria rusticana (1953)

Giuseppe Verdi (1953)

Guai ai vinti (1954)

Proibito (1954)

Un eroe dei nostri tempi (1955)

Totò e Carolina (1955)

La donna più bella del mondo (1955)

Donatella (1956)

Il medico e lo stregone (1957)

Padri e Figli (1957)

I soliti ignoti (1958)

La grande guerra (1959)

Risate di gioia (1960)

A cavallo della tigre (1961)

Boccaccio ’70 (1962) – segmento Renzo e Luciana

Frenesia dell’estate (1963)

Os Companheiros (1963)

Casanova ’70 (1965)

I nostri mariti (1966) – segmento Il marito di Olga

L’armata Brancaleone (1966)

La ragazza con la pistola (1968)

Toh, è morta la nonna! (1969)

Brancaleone alle crociate (1970)

Vogliamo i colonnelli (1973)

Gran bollito (1977)

Amici miei, (1975)

Un borghese piccolo piccolo (1977)

Temporale Rosy (1979)

Camera d’albergo (1981)

Il marchese del Grillo (1981)

Amici miei atto II (1982)

Bertoldo, Bertoldino e Cacasenno (1984)

Le due vite di Mattia Pascal (1985)

Speriamo che sia femmina (1986)

I picari (1987)

Il male oscuro (1990)

Rossini! Rossini! (1991)

Parenti serpenti (1992)

Cari fottutissimi amici (1994)

Facciamo paradiso (1995)

Panni sporchi (1999)

Un amico magico: il maestro Nino Rota (1999) – documentário

Come quando fuori piove (2000) – TV mini-série

Le rose del deserto (2006)

 

Como ator

 

Rue du Pied de Grue (1979)

Sono fotogenico, dirigido por Dino Risi (1980)

Il ciclone, dirigido por Leonardo Pieraccioni (1996) – voz

Sotto il sole della Toscana, dirigido por Audrey Wells (2003)

 

 

 

 

Assinatura

Anúncios
Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta