Literatura Indiana: Conheça Amrita Pritam

Você já ouviu falar na Amrita Pritam? Ela foi uma escritora indiana de destaque. Confira um pouco mais sobre sua obra e porque ela se destacou assim.

Amrita Pritam foi uma escritora indiana que enveredou pelas novelas, poemas e ensaios. Em décadas de dedicação à escrita, Pritam escreveu mais de uma centena de livros, biografias, coleções e, inclusive, canções folclóricas e uma autobiografia. 

Uma biografia rápida de Pritam

A escritora nasceu no ano de 1919, em um lugar que hoje é o Paquistão. Seu pai era professor e sua mãe, poetisa e editora de um jornal literário. Quando Amrita tinha 11 anos, sua mãe faleceu e ela se mudou com o seu pai para a Índia. 

Aos 16 escreveu sua primeira antologia de poemas, publicada como “Amrit Lehran” ou, em tradução livre, “Ondas Imortais”. Nesse ano ela também se casou, com um editor que a conhecia desde a infância. Depois do livro poético, Pritam entrou para o movimento progressista, que se engajava em questões sociais. 

Na ocasião da divisão da Índia, pela colonização britânica, ela estava grávida e se mudou novamente, para Nova Délhi. Sua escrita passou a ser mais feminista e ela havia se divorciado. Em 1935, casou-se novamente, com Sahir Ludhianvi, mas em 25 anos também se separou. 

Por fim, ela encontrou Imroz, com quem manteve seu relacionamento até o fim. Imroz a ajudava com as capas dos seus livros e outras pinturas. Amrita faleceu aos 86 anos por problemas de saúde, em 2005. 

Como eram suas obras?

Pinjar foi um dos seus trabalhos principais. Trata-se de uma novela, de 1950, que conta a história de uma garota hindu, a Puro. Ela é sequestrada por Rashid, um muçulmano, mas consegue escapar. Essa história foi adaptada para o cinema, assim como foram os livros “Dharti Sagar te Sippiyan” e “Unah Di Kahani”. 

Ela foi uma das primeiras autoras a escrever em Panjabi, um idioma indo-ariano que era falado tanto pelos indianos quanto pelos paquistaneses. Pritam escrevia de forma intimista e expressiva mesmo nessa linguagem pouco falada no mundo como um todo. 

Prêmios conquistados

  • O ministro-chefe Panjabi capitão Amarinder Singh foi o primeiro a premiá-la, com o Punjab Rattan Award. Ele é dado para pessoas que se destacam no campo da arte, literatura, ciência, tecnologia, cultura ou política.
  • Ela também recebeu o Sahitya Akademi Award, em 1956, pelo seu magnum opus, o poema “Sunehade”, ou “Mensagem”. 
  • Já nos anos 60 ela recebeu o quarto maior prêmio do seu país natal, o Padma Awards. Em 2004 ela foi premiada novamente, com o Padma Vibhushan. 
  • Pritam conquistou Graus Honorários na D. Litt. devido as contribuições para a literatura indiana, em 1973.
  • Em 1979 ela recebeu um prêmio búlgaro, o International Vaptsarov Award. 
  • A próxima homenagem foi o Bhartiya Jnanpith Award, o mais importante prêmio da literatura indiana. Ela o logrou pela publicação do “Kagaj te Canvas”, nos anos 80.
  • Ela também foi agraciada com a Bolsa Sahitya Akademi, em 2004, pela Academia Nacional de Letras da Índia.

Em 2021, será lançado um filme sobre Amrita Pritam e um dos seus ex parceiros, Sahir Ludhianvi, com quem foi casada por mais de duas décadas, chamado “Tumhari Amrita”. Rafique, o diretor também indiano, relata ser um sonho lançar o filme. 

Sahir tinha até mesmo uma espécie de fobia por comprometimento, enquanto Pritam estava completamente apaixonada. Por que será que se separaram? Para quem não tem problemas de ler em inglês e não aguenta esperar pelo filme que estreará daqui a dois anos, o portal Indian Express conta um pouco como foi o romance desses dois, para ler clique aqui

 

Anúncios

Deixe uma resposta