Fotografia em Preto e Branco

Durante bastante tempo (bastante tempo mesmo) a fotografia em preto e branco era a única forma mais viável e popular de se fotografar. Com o desenvolvimento e com a rápida popularização dos filmes coloridos, a fotografia em PB foi ficando um pouco mais de lado e se tornando uma prática mais voltada para o meio artístico.

Com a chegada das fotografias digitais no fim dos anos 90 e sua natural evolução tecnológica, os sensores de hoje em dia conseguem capturar com maior nitidez e reproduzir as cores cada vez mais vibrantes e com perfeita saturação. Ainda assim, a fotografia em PB não desapareceu e ainda é uma opção presente na maioria das câmeras modernas e até mesmo os softwares de pós edição também possuem diversas ferramentas que ajudam a extrair o máximo em qualidade da imagem monocromática. Mas porque ainda fotografar em preto e branco hoje em dia já que, com a tecnologia atual, os sensores conseguem capturar de forma nítida as cores vibrantes do mundo?

TIMESSQUARE_KISS
Alfred Eisenstaedt – 1945

Como dito antes, a fotografia em PB hoje é mais comumente usada como uma opção artística. Nela trabalha-se com o preto, o branco, as escalas de cinza, as luzes e os altos contrastes. Tudo o que compõe a fotografia em PB também é essencial ter equilíbrio tal qual o trabalho com a fotografia em cores. As cores auxiliam uma composição a trabalhar com as sensações do observador. O estudo da teoria das cores atribuem significados às cores e o que elas podem transmitir a quem observa.

Entretanto as cores podem, em alguns casos, causar uma distração no observador quando o que se espera é transmitir mais expressividade, uma carga maior de emoção ao que é retratado. A fotografia em PB, no geral, consegue ter uma maior efetividade em ser mais carregada emocionalmente por se focar diretamente no assunto, no momento que é capturado. Ela aumenta a dramaticidade do momento e direciona toda essa carga para o que está sendo retratado com apenas três cores básicas.

Screenshot from 2018-11-03 10-18-22
David Uzochukwu – 2013

A fonte de captura da imagem foi sendo alterada com o passar do tempo. Durante muito tempo usamos os filmes de acetato 35mm e a textura que esse material fornecia para a imagem em PB era importante para a composição. A granulação, como é chamado essa textura, é um componente importante porque ela dá uma sensação de naturalidade a imagem. Esse efeito é conseguido facilmente em câmeras digitais modernas bastando alterar algumas configurações, especialmente o ISO que é o responsável pela sensibilidade do sensor a luz. A ausência dessa textura causa uma certa estranheza deixando a imagem muito “limpa” e as luzes muito sólidas. Geralmente, em imagens a cores, buscamos uma boa resolução e maior nitidez da imagem e fazemos isso trabalhando com o ISO mais baixo. Na fotografia em PB não há tanta essa preocupação. Uma leve textura na imagem é bom e dá um tom mais natural a composição.

O uso da fotografia em PB deve ser escolhido com cuidado. Se está fotografando algo que se destaque principalmente pela explosão de tonalidades, como um jardim, por exemplo, não é bom fotografar em PB porque isso irá tirar muito do impacto do assunto retratado. O uso da fotografia em PB é interessante quando a aplicação do alto contraste é uma opção ou quando existe uma necessidade de valorizar as linhas e texturas causadas por luzes e sombras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.