Amante Eterno

Antes de começar a resenha, preciso dar um aviso, em minhas resenhas procuro não focar em contar sobre a história, para isso coloco a disposição a sinopse logo acima, maiores detalhes que possivelmente poderia dar pode ser considerado spoiler para alguns leitores, portanto prefiro manter o foco sobre minha real opinião sobre a obra.

Essa é a resenha do 2º livro da série Irmandade da Adaga Negra, portanto se não leu o primeiro livro ainda, aconselho a se afastar. Porém tentarei ao máximo não soltar nenhum spoiler, o que não será difícil. Clique aqui para ler a resenha do primeiro volume da série.

Como disse na resenha anterior, sempre tive interesse em ler os livros da série, mas o meu maior receio era sobre a forma com que a série está estruturada, a cada livro temos um casal de protagonistas diferentes, um irmão da Sociedade e sua “fêmea”, juro que isso me causou um receio de que a série não seria boa e que iria me perder durante a leitura, graças a Deus sofri com isso atoa.

Realmente a história da saga é contada desta forma, mas mantém a trama principal e a linha do tempo intacta, a autora foi realmente muito feliz em nos apresentar a história desta forma, afinal em uma série grande a probabilidade de você passar a ter sentimentos contraditórios em relação aos personagens principais, e em alguns momentos passar a odiá-los é extremamente alta. Após ler o segundo livro da série, tenho certeza que isso não irá acontecer aqui. Por ter tantos personagens fortes (não estou falando fisicamente, apesar a autora deixar claro que são) a narrativa desta forma é extremamente funcional, afinal somente o foco da trama é alterado, tendo em vista a visão dos acontecimentos através dos outros personagens.

Como podem perceber, realmente gostei dessa forma de narrativa que a autora empregou, e se fosse ficar falando dos benefícios que a mesma proporcionou a obra como um todo, não pararia tão cedo, em todo caso, o uso desse artifício deve grande parte do seu sucesso em Irmandade da Adaga Negra aos personagens cativantes da série, através de todos, temos a oportunidade de ver os caminhos distintos que tomaram, o que isso causou em suas vidas e entendê-los através de uma ótica completa.

Esse livro em especial, é muito mais emocionante do que o anterior, a princípio pelas provações que nossos protagonistas são obrigados a enfrentar, eu não sei se teria fibra para passar por metade delas. Mary conseguiu, através de uma grande personalidade, se mostrar uma personagem muito mais forte do que Beth, e olha que ao terminar Amante Sombrio estava fascinado pela personagem. O que pude perceber através da leitura dos dois livros é que a série tem uma tendência enorme de nos impressionar e ficar melhor, mesmo que pareça estar no topo.

Definitivamente recomendo a leitura dos livros Irmandade da Adaga Negra, que apesar do tamanho e quantidade de livros, vale a pena a leitura, os livros são extremamente envolventes e sedutores. Apesar de ter um publico alvo feminino, toda a trama principal e a relação entre os irmãos é algo fascinante, um livro para todos (maiores de 18) ler, com certeza.

Por Júnior Nascimento

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.