Publicado em Literatura

Desafio Literário 2017 – abril: Angela Davis

Chegou o momento de falar sobre minha leitura de abril, do Desafio Literário: 12 livros escritos por muheres para 2017. Como sempre, antes de falar sobre o livro e minhas impressões da leitura, quero falar rapidamente sobre a autora e o porquê de ter escolhido ela para minha lista.

Quando pensei em fazer uma lista de 12 livros escritos por mulheres, decidi que incluiria livros que não fossem literários, pelo seguinte motivo: nós temos uma defasagem IMENSA nas escolas e universidades quando se trata de ler e estudar temas que tenham sido invetigados por mulheres. Eu fiz um curso de Ciências Sociais, imaginem vocês, um curso da área de Humanidades, que se propõe a debater diferentes pensamentos e teorias sobre a sociedade, a política, as organizações sociais. Teoricamente deveria haver uma pluralidade de vozes abordando todos esses temas, certo? Mas durante meus quatro anos de graduação e mais dois anos de mestrado, eu posso contar quais foram as poucas vezes que nos aprofundamos em uma obra escrita por uma mulher. Mais ainda, eu posso dizer quando nos aprofundamos em um livro escrito por uma mulher negra: NUNCA. Parece chocante? Na verdade não muito, quando nos damos conta de que a estrutura da universidade ainda é machista e racista.

Bem, se eu não tive a chance de ler pensadoras negras na universidade, resolvi fazer isso por conta própria. Essa foi a principal razão de incluir Angela Davis na minha lista. Ela é uma das intelectuais negras mais conhecidas e influentes. Infelizmente seus livros não estão traduzidos para o português, o que dificulta ainda mais o acesso (pelo menos eu nunca encontrei nenhum, se alguém souber de alguma tradução me avise, por favor). O que geralmente encontramos são alguns artigos traduzidos, ou entrevistas. Porém, no ano passado a Editora Boitempo publicou a tradução do livro “Mulheres, Raça e Classe”. Eu, que estava (e continuo) muito interessada em estudar mais sobre o feminismo interseccional, não pensei duas vezes em começar por este livro. Fiquei muito feliz com o lançamento dessa edição e espero que as editoras comecem realmente a traduzir e publicar mais livros de intelectuais negras. Precisamos disso!

Se você não conhece ainda Angela Davis, eu recomendo muito que procure conhecer. Ela é filósofa, professora, pesquisadora, militante pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos, fez parte do grupo Panteras Negras – organização marxista estadunidense, pelos direitos das pessoas negras -, e já escreveu diversos livros. Durante os anos 70, chegou a ser presa, acusada de conspiração, sequestro e homicídio (crimes dos quais foi absolvida totalmente depois) e seu julgamento tomou proporções gigantescas, devido à intensa mobilização por sua libertação. Angela Davis também chegou a ser candidata a vice-presidenta dos Estados Unidos nos anos 80 e 84, pelo Partido Comunista. Sua militância acompanha toda sua vida até hoje e desde que esteve presa, o assunto das prisões nos Estados Unidos tem sido uma de suas bandeiras. Para Davis, o sistema carcerário tem sido um grande negócio que reforça o racismo e a violência contra o negro.

Enfim, vale a pena se aprofundar em conhecer a contribuição de Angela Davis sobre racismo, feminismo e desigualdade social. Acredito que precisamos sair de algumas “caixinhas de pensamento”, para poder entender nossa sociedade de maneira mais completa e, assim, conseguir fazer algo que a transforme para melhor.

Abaixo vou deixar alguns vídeos que talvez interesse a quem quer conhecer mais sobre  Angela Davis.

Esse é o trailer legendado do documentário “Libertem Angela Davis”, de 2014. Eu ainda não assisti esse doc, mas está na minha lista para assistir (assim que eu conseguir ele em algum lugar). Se você por acaso já viu, comente aí o que achou.

Esse é um debate muito interessante, feito pela filósofa Djamila Ribeiro e a comunicóloga Rosane Borges, no momento do lançamento do livro “Mulheres, classe e raça”. O vídeo é longo, mas vale a pena.

Essa é uma conferência da própria Angela Davis, no Brasil, na UFRB, em ocasião do dia da Consciência Negra.

Se quiserem, procurem no YouTube por Angela Davis e vocês vão encontrar muito mais coisas. Aproveito e deixo também um link com artigos relacionados à filósofa, para quem tem interesse. Cliquem AQUI para ver.

Na próxima publicação vou falar sobre o livro “Mulheres, raça e classe”, não esqueçam de voltar aqui para ver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s