Relato de uma vivência dépêche a la mode

Decerto é muito mais difícil falar sobre algo que amamos do que qualquer outra coisa. Para os demais temas o distanciamento é corriqueiro. Vemos o objeto como algo fora de nosso alcance, o que torna o relato mais crível, sem o véu da emoção. E por se tratar da concretização de um sonho, uma paixão que foi movida pela ansiedade de um ano inteiro, uma vida praticamente, acarreta numa nébula

O Beco Indica #18

Estou um pouco desencantada com as linhas do tempo das redes sociais na internet. Se antes a maioria delas entregavam a possibilidade de serem agregadores de conteúdo, cuja curadoria seria do usuário, hoje os termos de política de privacidade de cada plataforma sugerem um certo tipo de monopólio sobre a informação. Contraditório, não? Olhamos fotos de 3 dias como se fossem de hoje. Lemos atualizações de amigos que deveriam circular

As lições da Turma da Mônica

Podemos dizer que um dos maiores sabores da infância seria a vivência plena do simples (ser/estar). Um eterno cair e levantar, onde ação e reação não possuem barreiras complexas, envoltas em medos e frustrações paralizantes. Quase. A infância é o primeiro momento em que vivenciamos camadas que serão parte de nós por toda a vida. Mas também é o tempo de estarmos sob constante vigília parental, onde os erros são

Os caminhos de Bidu

O primeiro personagem publicado por Maurício de Sousa também é o símbolo da editora. Ironicamente foi a primeira graphic MSP que li. Bidu é o cachorrinho que toda criança queria ter como amigo. Talvez seja por isso que o personagem mais inventivo e criativo da Turma da Mônica (depois do Cebolinha) tenha sido escolhido para ser o parceiro deste dócil e sagaz animalzinho. Franjinha é hábil com projetos e maquinações,

A Vida em Penadinho

A vida na morte pode ser paradoxal. Tudo depende do lado em que se está. Penadinho e sua turma, por exemplo, vivem plenamente sua existência na Morte e não há problema nisso. Inclusive, esta é a melhor parte, pois o tempo, um grande desafio para aqueles que respiram, não é uma prisão e eles a podem exploram por toda a eternidade. Mas, se para todo vivo a morte um dia

Para Walter

E pensar que em 1918 Walter Elias Disney era apenas um garoto de 17 anos que ainda não sabia o que poderia ser da vida. Olhar para o último século sem imaginar que toda uma indústria pudesse ser transformada e construída a partir deste nome e que em 2018 esta companhia fosse dona de um dos maiores mercados de todo um mundo era um palpite que nunca poderia passar pela