Home>Cultura>As Blue Stockings: um Começo para o Feminismo Entre Chá e Bolinhos

As Blue Stockings: um Começo para o Feminismo Entre Chá e Bolinhos

Na pintura de Richard Samuel, de 1779, intitulada “As Nove Musas Vivas da Grã-Bretanha”, estão retratadas nove mulheres vestidas no estilo das musas gregas. O quadro recria o templo de Apolo, o deus da Arte, segundo a mitologia grega.  Na tela de Samuel, datada do século XVIII e criada em um ambiente de pensamento iluminista, nove mulheres inglesas influentes que integravam a sociedade das Meias Azuis, o Blue Stockings. Os encontros eram uma alternativa às reuniões sociais convencionais, nos quais a discussão intelectual era uma posição exclusivamente masculina e as damas tomavam chá e bordavam.

As mulheres participantes da Blue Stockings eram nascidas na alta sociedade e se reuniam em salões de mansões. Apesar de parecer que os encontros, iniciados em 1750, tratavam de assuntos frívolos e eram regados a chá e bolinhos, as “meias azuis” promoviam debates visando o aprimoramento moral e a igualdade de direitos para as mulheres. Como mandavam os códigos da aristocracia da época, os jogos eram proibidos.  Nos encontros, as mulheres que não podiam ir à universidade nem tinham voz na sociedade trocavam conhecimentos e compartilhavam, mesmo que para um público pequeno, suas obras e aspirações artísticas. 

 

As Musas que Discutiam e Criavam

As intelectuais retratadas não posaram para o  “As Nove Musas Vivas da Grã-Bretanha”. Richard Samuel procurou idealizar as mulheres ligadas às artes e às ciências que chamavam atenção na época. No centro da imagem, está retratada a cantora Elizabeth Ann Sheridan que segura uma lira. Angelica Kauffman, pintora, está à direita sentada em frente a um cavalete. Ainda estão retratadas nomes importantes como 

Muitas das figuras retratadas na tela faziam parte das Blue Stockings, mas algumas participantes importantes como Elizabeth Vesey – junto com Montagu era uma das mais influentes colaboradoras dos encontros – e Catherine Talbot que era escritora e muito próxima a Elizabeth Carter. A Blue Stockings Society, ou Sociedade das Meias Azuis, buscava encorajar o debate sobre literatura e arte, pelas mulheres que eram postas de lado quando expunham suas ideias sobre arte. 

Os encontros aconteciam como saraus, mas tinham em seu norte a busca pela educação e pela inclusão das mulheres nos assuntos ligados às artes.  Além disso, os encontros promovidos e, que tinham também a participação de alguns homens, ajudavam as intelectuais, artistas e escritoras, incluíam as mulheres nas discussões sobre cultura e literatura. Mesmo num ambiente altamente restrito, é possível dizer que há nos encontros um primeiro passo para o movimento feminista.  Há uma lista de homens ilustres que chegaram a participar dos encontros: o pensador Dr. Samuel Johnson; o estadista e filósofo Edmund Burke; e o primeiro presidente da Royal Academy e artista proeminente, Sir Joshua Reynolds.

 

Uma Constelação de Intelectuais

A cena criada por Richard Samuel transfere para o Reino Unido a imagem clássica, mas na representação do século XVIII, as nove musas não servem só como inspiração para os artistas homens, elas são seres atuantes que pintam, discutem e fazem música. É um jeito de destruir a imagem da musa sempre alheia à criação. É nessa tônica, de proporcionar a inclusão feminina na cultura e na filosofia, que os salões ciceroneados por Elizabeth Montagu se mantinham.

As mulheres retratadas por Samuel e que ocupavam as cadeiras na Blue Stocking Society eram escritoras, críticas de arte, educadoras, cientistas, cantoras e pintoras. A época era de patriotismo – a vitória britânica na Guerra dos Sete Anos era recente – e pela primeira vez as mulheres eram retratadas como um orgulho da pátria. Havia uma atmosfera de alta cultura e sofisticação que coincidiu com o interesse de  mentes brilhantes como as de Montagu e Macaulay.   

 

Elizabeth Montagu: A Rainha das Blue Stockings

Montagu era especialista na obra de Shakespeare e influente entre a nobreza e os mais ricos. Além disso, a principal anfitriã dos encontros das Blue Stockings era conhecida por seu título de rainha das Blue Stockings vem à medida que a fama dos encontros se espalhou, especialmente na década de 1780, quando as reuniões tornaram-se cada vez mais grandiosas e opulentas. 

Foi quando ela se mudou para sua nova mansão em Portman Square, que ela descreveu como seu ‘templo para a virtude e a amizade’. Apesar da riqueza inigualável de Montagu, outras anfitriãs mais modestas também eram celebradas por sua hospitalidade e habilidades sociais.

A rádio BBC contou a história da Bluestockings em seu programa In Our Time. Clique aqui para assistir o programa.

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta