Home>Resenhas>FTD Educação participa do festival Burburinho Literário

FTD Educação participa do festival Burburinho Literário

Participantes falam sobre os desafios e responsabilidades de traduzir obras infantojuvenis de grandes autores latino-americanos, como Contos da Selva, de Horacio Quiroga, e Uma viagem cósmica a Porto Ficção, de Juan Pablo Villalobos 

 

Para falar sobre o trabalho de tradução de grandes obras da literatura latino-americana clássica e contemporânea, os tradutores Sérgio Molina e Miguel Del Castillo participam da 4ª edição do Festival Burburinho Literário, a convite da FTD Educação.

No evento promovido pelo Goethe-Institut São Paulo, eles vão abordar os desafios, a satisfação e as responsabilidades de se trabalhar com obras importantes de renomados autores do continente. O encontro acontece no dia 8 de outubro, às 13 horas, no auditório do instituto, e tem mediação de Bruno Salerno Rodrigues, editor de literatura da FTD Educação. A entrada é gratuita. 

Argentino radicado no Brasil, Sérgio Molina traduziu Contos da selva, do uruguaio Horacio Quiroga, editado pela FTD Educação. Publicado pela primeira vez na Argentina em 1918, o clássico da literatura infantojuvenil reúne oito contos que narram as histórias de animais e suas aventuras nas matas da província argentina de Misiones. Molina é especialista no trabalho com clássicos da língua espanhola. Sua tradução de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, foi reconhecida com o prêmio Jabuti em 2004.

“No caso de Contos da selva, ou de qualquer obra infantojuvenil escrita num passado já distante, a busca do equilíbrio entre adaptar e preservar é complicada por uma segunda dimensão estrangeira, a do tempo. O que me norteou foi a vontade de não roubar da pequena leitora ou do pequeno leitor da minha tradução aquele misto de estranheza e maravilha que senti ao ler o livro também na infância”, conta Sergio Molina.

O escritor e tradutor Miguel Del Castillo foi responsável pela tradução de Uma viagem cósmica a Porto Ficção, do escritor mexicano Juan Pablo Villalobos, um dos mais renomados autores latino-americanos da atualidade. O primeiro romance infantojuvenil em português do autor, lançado pela FTD Educação no Brasil, conta a história da garota Nellie, dos gêmeos Sabina e Sabino e do cachorro Boris, que moram na rua e precisam se virar todos os dias para arranjar os Sagrados Tacos e matar a fome.

Para Del Castillo, o principal desafio de traduzir a obra foi saber que o escritor é fluente em português — Villalobos já morou no País e é casado com uma brasileira. As especificidades do espanhol do México e as gírias locais também desafiaram o tradutor. “Por exemplo, ‘taquero’, que é a pessoa que faz os tacos [tortilhas de milho], acabei optando, nesse caso, por ‘cara dos tacos’, para soar informal como a palavra em espanhol, de uso bem corrente. Além disso, como se trata de um autor vivo e atuante, temos a possibilidade de sanar dúvidas diretamente com ele, o que eu e a editora fizemos para chegar a boas soluções. Havia um trocadilho com uma maneira de falar do norte do México, e acabamos optando por mudar o diálogo completamente nesse caso”, revela o tradutor.

 

Tradução infantojuvenil 

Além de Juan Pablo Villalobos, Miguel Del Castillo verteu diversos livros do espanhol para o português, de autores como Juan Carlos Onetti, Alejandro Zambra e Julián Herbert. Para ele, os livros infantojuvenis permitem ao tradutor uma liberdade maior de abordagem e de escolhas em relação ao texto traduzido, o que tende a acontecer menos em um livro adulto — a depender do livro e do autor —, pela necessidade de se manter mais próximo ao texto. Eventualmente, são necessárias notas de rodapé para contextualizar ou explicar algumas expressões não muito traduzíveis.

“Num infantojuvenil, em vez de recorrer às notas, podemos propor mudar um pouco o que é dito, mantendo um sentido parecido de fundo; quando se trata de um autor vivo, é sempre rica a troca com ele para encontrar novas e divertidas soluções; no caso de autores já falecidos ou ‘incomunicáveis’, a mesma troca é interessante com editores e preparadores de texto”, explica.

Para Sérgio Molina, que já traduziu grandes autores como Jorge Luis Borges e Mario Vargas Llosa, na literatura voltada para crianças ou jovens o mais delicado é ajustar o ponto de equilíbrio entre a liberdade de adaptar e o imperativo de preservar, tanto no plano do conteúdo como, principalmente, no da forma. “A expectativa geral é que a tradução de literatura infantojuvenil, em nome da fluência, penda mais para a ‘domesticação’. Isso é bem justo e acertado, pois as doses da marca estrangeira aceitáveis na literatura adulta podem ser fatais para a leitura dos públicos em anos iniciais, mas sempre paira o risco de errar a mão na facilitação e achatar a obra, a ponto de ela perder sua identidade e atrativo”, comenta o profissional.

A 4ª edição do Festival Burburinho Literário acontecerá no dia 8 de outubro das 10 às 20 horas, no Goethe-Institut São Paulo, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O evento contará com a participação de 27 editoras, feira de livros e programação especial com foco em tradução, para comemorar o Dia do Tradutor (30 de setembro). A participação é gratuita e não há necessidade de inscrição prévia. Mais informações clicando aqui.

 

Serviço: 

Painel: “FTD Educação: A tradução de literatura latino-americana clássica e contemporânea”

Participantes: Sérgio Molina, tradutor de Contos da selva, e Miguel Del Castillo, tradutor de Uma viagem cósmica a Porto Ficção

Mediação: Bruno Salerno Rodrigues, editor de literatura da FTD Educação

Data: 8 de outubro — sábado
Horário: das 13h às 14h

Local: Auditório do Goethe-Institut — R. Lisboa, 974, Pinheiros, São Paulo (SP)

 

Sobre os tradutores  

Sérgio Molina nasceu em Buenos Aires, Argentina, em 1964, e vive no Brasil desde os 10 anos. Estudou Ciências Sociais, Letras, Editoração e Jornalismo. Atualmente cursa Pedagogia. Começou a traduzir profissionalmente em 1986 e desde então verteu cerca de cem livros, a maioria de ficção espanhola e hispano-americana. Entre os autores sobre os quais trabalhou, destacam-se, além de Horacio Quiroga: Jorge Luis Borges, Alejo Carpentier, Mario Vargas Llosa, Adolfo Bioy Casares, Ricardo Piglia, Roberto Arlt, Ernesto Sabato, Rodolfo Walsh, Carmen Martín Gaite, Luis Gusmán, Selva Almada, César Aira, Javier Cercas, Rodrigo Fresán, Lina Meruane, Max Aub, Tomás Eloy Martínez e Juan Pablo Villalobos. Sua tradução de Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, foi reconhecida com o Prêmio Jabuti de 2004.

Miguel Del Castillo é escritor, tradutor, editor e curador. Carioca radicado em São Paulo desde 2010, é autor do livro de contos Restinga (2015) e do romance Cancún (2019, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura), ambos publicados pela Companhia das Letras. Foi escolhido um dos vinte melhores jovens escritores brasileiros pela revista Granta, em 2012. Em 2018, foi escritor residente na Fondation Jan Michalski, na Suíça, e, em 2019, um dos convidados da programação principal da Flip. Atua como curador da Biblioteca de Fotografia do Instituto Moreira Salles, e foi editor da Cosac Naify, do site da ZUM e da revista Noz. Como tradutor, verteu diversos livros do espanhol para o português, de autores como Juan Carlos Onetti, Alejandro Zambra e Julián Herbert. É também mestrando no departamento de Teoria Literária e Literatura Comparada da USP, com pesquisa sobre o escritor uruguaio Felisberto Hernández.

 

Sobre a FTD Educação

Há 120 anos, a FTD Educação tem como missão transformar o futuro por meio da Educação, pensando além e inspirando a descoberta, a escolha, a liberdade e a cidadania. Reconhecida como uma empresa inovadora, parceira, flexível e humana, é movida pelo slogan “Conectamos Histórias. Construímos Futuros”. Sua proposta é integrada para escolas, alunos, professores e sociedade e conta com: materiais didáticos e de literatura; soluções educacionais (com suporte para escolas, consultoria educacional, formação de professores, entre outros); novas tecnologias (ferramentas que ampliam possibilidades de ensino dentro e fora da sala de aula); obras e serviços que envolvem a família na busca por uma educação completa.

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta