Publicado em Literatura, Literatura Estrangeira

O meu Alentejo

“O Alentejo, a pouco mais de uma hora de viagem de Lisboa, é uma região adorável de Portugal, cheia de surpresas, que merece mais tempo de desfrute que a habitual fugida para um almoço típico. Tem o jeito de Provença e da Toscana, em idioma português.”

Esta é a descrição encontrada no final do livro (Editora Record), feita por Christina Autran, a qual nos faz desejar ler o livro e conhecer o Alentejo, o qual, em Portugal, se diz Alentéjo.

A autora, por conta do trabalho do marido diplomata, já morou em vários lugares do Brasil e da Europa, porém apenas uma vila ganhou sua admiração a ponto de querer morar no lugar. O casal construiu uma casa na cidade portuguesa, com direito a plantações, jardins e oliveiras. Ah, além de dois labradores que costumam fugir da companhia da dona para se aventurarem nos campos vizinhos.

Para os que podem viajar, o livro é um ótimo guia, com dicas de passeio, alimentação, estadia, compras. Para os que podem apenas sonhar (o meu caso), as descrições de Autran deixam os leitores maravilhados.

O Alentejo é dono de paisagens planas, construções antigas, campos de oliveiras, trigos e jardins de girassóis. A arquitetura é basicamente de influência romana, ou seja, castelos, fontes e catedrais mais velhas do que o Brasil. Algumas conservadas, outras são ruínas que também oferecem beleza aos visitantes.

Além das paisagens arrebatadoras, diferentes das que os brasileiros estão acostumados, os habitantes da vila realizam feiras de artesanato e festas típicas portuguesas. A alimentação, vinda também dos romanos, é feita de óleos, azeites, peixes, pães e ervas. Christina Autran deixa claro em suas descrições a paixão dos portugueses em cozinhar e, ela mesma nos deixa algumas receitas.

O meu Alentejo parece uma recomendação estranha de leitura, até porque são poucos os que podem fazer as malas e viajar para a Europa. Acredito, contudo, que é uma leitura-escape, uma fugida da realidade e, podemos tirar algum proveito dela.

Para terminar, deixo uma citação que a autora coloca no começo do livro. Para os que leram um dos meus livros favoritos, A cidade e as Serras, do autor português Eça de Queirós, o personagem Jacinto Tormes, apaixonado pela tranquilidade e simplicidade do campo diz: “(…) e qualquer pequenino gozo lhe bastava, desde que nele entrassem paz ou doçura”.

Abaixo, algumas fotos do Alentejo.

Autor:

Formada em Letras pela PUC-SP. Adora ler, assistir filmes e musicais, conhecer bandas novas, sair para bater papo. Tenta ver a beleza nas coisas mais insignificantes. Acredita no ensino. Ensina na You Move.

12 comentários em “O meu Alentejo

  1. Gostei da sua postagem sobre esse livro *—*
    Na verdade gostei do seu blog inteiro ;DD
    Tem bastante conteúdo sobre o que eu mais gosto na vida: Livros *—*

    Adoro o universo literário ;D

    Em meu blog falo sobre livros também, se quiser visitar: http://palavrasquememotivam.blogspot.com/

    sempre voltarei aqui ;D
    realmente ameii *–*

    Parabéns pelo blog *-*

  2. Parece um bom livro, por mais que muitos não tenham a oportunidade de ir lá , conhece-lo é muito bom saber sobre, ver os lindos lugares ao qual podemos contemplar mesmo atravez de fotos.

  3. Oi Luciana, vejo que você está arrebatando multidões de admiradores das suas resenhas que por sinal demonstram a aguçada inteligência que sempre pautaram sua conduta.
    Parabéns, seu trabalho me tem me facilitado o dia-a-dia como livreiro.
    Edmilson Rodrigues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s