Home>Arte>Surrealismo

Surrealismo

Uma das artes de vanguarda europeias em Paris no início do século XX, o movimento surrealista originou-se como uma reação ao racionalismo social ocidental e ao materialismo

 

A arte surrealista não se limitou à pintura, também influenciou outras formas de expressão artística: escultura, literatura, teatro e cinema.

 

Origens do Surrealismo

Na Europa, o período entre as duas guerras (1918-1939) é conhecido como os “Anos Loucos”. Assim, a incerteza sobre o domínio da paz leva ao desejo de “viver apenas o momento”.

Foi nesse período de insatisfação, desequilíbrio e contradição que surgiram diversos movimentos artísticos voltados para novas interpretações e expressões da realidade.

Esses movimentos são conhecidos como a “Vanguarda Europeia”. O surrealismo é uma dessas tendências, cujos precedentes indispensáveis ​​são o dadaísmo e as pinturas metafísicas de Giorgio de Chirico (1888-1978).

André Breton (1896-1966), escritor francês e ex-participante do dadaísmo, rompeu com Tristan Chara, líder do movimento dadaísta.

Assim, ele lançou o Manifesto Surrealista em Paris em 1924, trazendo ao mundo uma nova forma de ver a arte. Segundo ele, o termo inclui:

Surrealismo, s.m. puro automatismo psicológico, pelo qual a verdadeira função do pensamento pode ser expressa, seja oralmente, por escrito, ou de qualquer outra forma. O ditado do pensamento, sem nenhum controle racional, fora de qualquer preocupação estética ou moral.

No manifesto, foram propostos os princípios do surrealismo, que incluíam uma imunidade à lógica e um culto à realidade superior, chamada de “maravilhosa”.

No mesmo ano, foi publicado o primeiro número da revista Revolução Surrealista, reunindo todas as formas de expressão artística, exceto a música.

 

Principais características do surrealismo

De forma simplificada, podemos listar as seguintes características dessa vertente artística:

  • pensamento livre;
  • expressividade espontânea;
  • influência das teorias da psicanálise;
  • criação de uma “realidade paralela”;
  • criação de cenas irreais;
  • valorização do inconsciente.

O surrealismo propõe o valor da fantasia, da loucura e do uso de respostas automáticas. Desse ponto de vista, o artista deve se deixar levar pela vontade de registrar tudo o que lhe vem à mente sem se preocupar com a lógica.

Artistas surrealistas pretendem aproveitar o potencial do subconsciente e do sonho como fonte para a criação de imagens fantásticas.

Como tal, as artes plásticas e a literatura são vistas como meios de fundir sonho e realidade em uma realidade absoluta, uma “surreal”.

Ao mesmo tempo, a pesquisa psicanalítica estava se desenvolvendo – principalmente por Sigmund Freud – que teve uma grande influência no Surrealismo.

 

Direção do surrealismo

Na pintura, o surrealismo tomou duas direções: a pintura surrealista figurativa e abstrata.

Em ambos, empregou a técnica de escrita automática do poeta surrealista. Seu objetivo é libertar a mente do controle consciente e gerar uma série de pensamentos da mente subconsciente. Essas obras são abstratas ou figurativas.

De outra perspectiva, o surrealismo baseia-se na reconstrução cuidadosa e meticulosa de mundos oníricos nos quais os objetos são colocados em justaposições inesperadas.

O surrealismo teve alguns nomes de destaque, entre eles:

  • Max Ernst
  • Joan Miró
  • René Magritte
  • Salvador Dalí

Surrealismo no Brasil

No Brasil, o surrealismo teve uma influência considerável no movimento modernista. O escritor Oswald de Andrade é um dos maiores expoentes.

Em seu Manifesto Antropófago, no romance Serafim Ponte Grande e na peça O Homem e o Cavalo e a Morta, podemos ver elementos relacionados às técnicas criativas surrealistas.

Além da literatura, essa vertente artística também influenciou artistas plásticos: Tarsila do Amaral, Ismael Nery e Cícero Dias.

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta