Home>Principal>Principal 2>Quem Foi Fra Angelico

Quem Foi Fra Angelico

Considerado um dos pintores mais importantes da igreja Católica, Fra Angelico mostrou talento como sacerdotes assim como artista

 

Giovanni da Fiesole, popularmente conhecido como Fra Angelico, foi um pintor nascido na Itália, que foi beatificado pela igreja católica. Ele é considerado o pintor mais importante de toda a península na época do Gótico Tardio até o começo do Renascimento.

O Papa João Paulo II, no ano de 1982, indicou a sua festa litúrgica para a data da sua morte e dois anos mais tarde, o mesmo papa o declarou como “Padroeiro Universal dos Artistas”. Confira um pouco mais sobre a história do Fra Angelico.

 

Biografia

Nascido Guido di Pietro em Roma no ano de 1395, pouco se sabe sobre a sua vida, principalmente sobre a sua infância. Quando ingressou no convento, ele já tinha tido treinamento artístico.

Durante a sua vida, passou por um momento de exílio junto com a comunidade de onde vinha, por terem se oposto ao Papa Alexandre V. Esse exílio ocorreu entre os anos de 1409 e 1418.

No ano de 1436, ele e a sua comunidade se deslocaram para um convento em Florença, e foi lá onde ele começou a pintar paredes. Em 1447 e 1448 foi para Roma trabalhar, retornando somente em 1452, onde trabalhou na corte do papa, decorando as paredes do Papa Nicolau V, no Vaticano, e aceitando também encomendas em Orvieto.

Alguns pesquisadores supõem que ele estudou a arte da iluminação com Lorenzo Monaco, que foi o cultivador do gótico internacional. Influenciado diretamente por Lorenzo Ghiberti e Gentile de Fabriano, Fra Angelico adotou algumas formas da renascença nos seus painéis e afrescos, desenvolvendo um estilo só seu.

Esse estilo era caracterizado pelas cores suaves e claras, pelas formas elegantes, suas composições muito contrabalançadas.

Acrescente na sua linguagem pictórica algumas contribuições de Masaccio, que eram enriquecidas com o uso da luz com a intenção nada naturalistas, mas estética, expressando por meio de um uso inteligente da cor.

 

Religiosidade

A sua pintura essencialmente da religião está dominada por um espírito contemplativo pois concebe a pintura como um tipo de oração. Os seus temas mais característicos e frequentes são a Virgem com o Menino, a Anunciação e a coroação da Virgem.

Ainda, em suas pinturas do paraíso ele retrata com amor e dedicação franciscanos ervas e flores dos prados onde andam os selecionados. Uma de suas obras com mais substância é “A Descida”, onde se presta mais atenção à veneração e amor dos santos que ao sofrimento de Jesus.

Ao partir para um ponto de vista mais técnico, Fra Angélico parte do posto de preciosista e delicado da era gótico internacional. Ele enriqueceu com o interesse pela perspectiva característica daquela época. Insiste mais na linha do que nas cores. Ele é considerado um renascentista sem equívoco algum.

Tudo isso graças a sua incorporação da arquitetura, pelo seu tratamento com a natureza e outros detalhes que fazem parte de um bom renascentista.

Enquanto vivo pintava de forma frequente nas colaborações feitas com seus discípulos. Nas suas Nas suas pinturas também expressa o sentimento interior das pessoas, como na Obra O Juízo Final, Fra Angelico tenta expressar o amargo e a alegria numa sintonia de cores vivas saindo do padrão Medieval que era voltado somente a Deus e entrando no Renascimento que era voltado ao homem.

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta