Home>Cultura>Saiba um pouco o que foi o abolicionismo no Brasil

Saiba um pouco o que foi o abolicionismo no Brasil

A assinatura da Lei Áurea se concretizou como uma conquista do povo, fruto de um crescimento que os movimentos abolicionistas obtiveram na segunda metade do século XIX. 

 

Os movimentos abolicionistas no Brasil agruparam pessoas de variadas classes sociais que estavam agindo de diversas formas na luta a favor da abolição da escravidão. 

Incluída nos movimentos abolicionistas não estão apenas as ações da parte livre do povo, mas também uma resistência de quem ainda era escravo.

Esse movimento abolicionista foi crescendo de forma notável a partir da década de 1870, e nessa época uma sequência de associações compostas por abolicionistas surgiram em diversas regiões do Brasil. 

A ação dos grupos era diversa, e esse crescimento de debates abolicionistas chegou na política, mesmo existindo uma resistência grande contra essa abolição.

As associações abolicionistas tinham como objetivo debater as estratégias conseguir promover a sua causa e atuavam de maneira publica para atrair algumas em apoio para a causa. 

Entre algumas personalidades com destaque que estiveram na luta pelo fim da escravatura no Brasil estão: André RebouçasJosé do Patrocínio, Luís Gama Joaquim Nabuco, entre outras.

Líderes do movimento

Esse movimento abolicionista teve como agregador a atuação e o envolvimento de diversas personalidades muito importantes daquela época. O movimento não contou com um único líder, mas teve o envolvimento e a liderança de algumas pessoas ao redor do Brasil. Entre os líderes em destaque estão:

  • Luís Gama: Ele foi vendido para ser escravo por seu próprio pai como dívida de jogo; Depois de conquistar a sua liberdade, se tornou um jornalista e rábula (advogado sem formação). É até hoje considerado o Patrono da Abolição da Escravidão do Brasil.
  • Joaquim Nabuco: Um dos maiores líderes, Joaquim tentou conquistar um apoio dos abolicionistas europeus para a luta da causa brasileira e era o defensor de uma realização da abolição sem restrições e acompanhada da reforma agrária com o objetivo de distribuir as terras para libertos.
  • José do Patrocínio: Um homem negro e jornalista, Patrocínio foi um dos criadores da Confederação Abolicionista e um redator do manifesto da associação.

 

Leis abolicionistas

Durante boa parte da segunda metade do século XIX e de acordo com que o abolicionismo ia ganhando força, um debate no âmbito político foi sendo mais dominado por esse tema. 

Essas mudanças foram acontecendo de uma forma mais lenta pois o interesse das elites era de estender o uso de trabalhadores escravos ao máximo que pudesse ser possível.

Dessa maneira, a transição desse período até uma abolição irrestrita no país foi seguindo gradualmente.

Duas leis tiveram importante influência nessa transição: a Lei do Ventre Livre, do ano de 1871, e a Lei dos Sexagenários, de 1885. Ambas decretavam o seguinte:

  • Lei do Ventre Livre: defendia que os filhos dos escravos nascidos em solo brasileiro a partir do ano de 1871 seriam completamente livres. Os senhores de escravos poderiam aproveitar de mão de obra dos filhos de escravos até eles completarem 21 anos e a partir disso deveriam conceder a sua liberdade, mas sem precisar de indenização. Caso preferissem, eles poderiam conceder essa liberdade dos filhos a partir oito anos, e com isso isso eles receberiam 600 mil-réis como indenização.
  • Lei dos Sexagenários: defendia que todos escravos com idade superior a 60 anos deveria ser alforriado após de trabalhar mais de três anos como uma indenização da sua alforria.

Abolição da escravidão

Ao longo de toda década de 1880, à medida que os movimentos abolicionistas ganhavam mais força, a situação ia saindo do controle daquele Império. 

O Brasil inclusive era a única nação de toda a América que ainda tinha o costume de usar trabalhadores escravos; algumas fugas desses escravos tinham tanto volume que “ameaçavam” toda a ordem interna daquele país.

As instituições, como a polícia e o Exército, costumavam a negar a procura de escravos fugidos; e uma pressão popular começou a ficar muito mais forte.

Encurralados, restou aos membros do Império assinar a abolição da escravidão, que aconteceu de forma oficial no dia 13 de maio do ano de 1888, quando ocorreu assinatura da Lei Áurea pela princesa Isabel. 

O grande medo dos membros do Império e das personalidades influentes da época era que essa debate por uma abolição acabasse em um guerra civil, assim como tinha acontecido nos Estados Unidos.

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta