Home>Principal>Émile Durkheim (1858-1917)

Émile Durkheim (1858-1917)

Émile Durkheim foi um sociólogo francês, criador da teoria da coesão social e, por esse, entre outros motivos é considerado o pai da Sociologia Moderna e esteve à frente da mais conhecida Escola Sociológica Francesa. Max Weber, Émile Durkheim e Karl Marx, formam os grandes pilares dos estudos sociológicos.

 

Sua formação e sua infância

 

No dia 15 de abril de 1858, na França, região de Lorena e localidade, Épinal, nasce Émile Durkheim, que, desde sua infância, foi criado para seguir os passos de sua família que era judia, entretanto, o jovem Émile, tinha outros planos para seu futuro e acabou por rejeitar sua herança judaica. 

 

Émile iniciou seus estudos na região que nasceu e cursou o Colégio d’Epinal e também o Liceu em Paris, foi durante seus estudos que se interessou pela filosofia e acabou se aprofundando no assunto, até começar a lecionar em outros liceus da província francesa.

A Sociologia chegou em sua vida após estudos desenvolvidos na Alemanha, isso ocorreu entre 1885 e 1886. Acabou sendo influenciado pelos métodos experimentais e psicológicos de Wilheim Wundt.

No ano de 1887, a Universidade de Bordeaux nomeou-o para a primeira cadeira de Ciências Sociais e, alguns anos depois, por volta de 1896, juntamente com um grupo de estudiosos lança uma revista chamada “L’Année Sociologique”. No ano de 1902, acabou sendo convidade para lecionar Pedagogia e Sociologia na Sorbonne.

 

Trabalhos sociais

 

Entre suas obras, uma delas se destaca como um farol para a sociologia, Divisão do Trabalho Social de 1893, trouxe uma contribuição à tal ciência pelo fato de analisar funções sociais em relação ao trabalho, incluindo a desumanização do trabalho, iniciado com a Revolução Industrial. 

 

Em seus trabalhos, Émile destacava tais pontos por julgar extremamente importantes para a evolução do trabalho e também da sociedade.

 

Os métodos sociológicos

 

Outra obra fundamental para conhecer o sociólogo é, sem dúvida alguma, As Regras do Método Sociológico, que traz a Sociologia como uma nova ciência social. O livro é de 1895 e foi nesse período que Durkheim cria uma linha delimitatória a respeito da metologia de estudo.

 

Em seus estudos, Durkheim deixa claro que o estudo da Sociologia não se faz pela soma de seus indivíduos, mais sim, pelo fato social. E, para ele, os fatos sociais devem ser considerados como algo, coisas, que podem ter suas próprias consciências. 

 

Émile e o Suicídio

Sobre o suicídio, Émile traz em seus estudos que o autoextermínio tem mais relação com uma situação social do que pessoal. Durkheim classificou o suicídio em três categorias.

 

  • Suicídio egoísta: é aquele que a pessoa se afasta dos demais;
  • Suicídio Anômico: inspirado pela crença a respeito do que pode existir ou não;
  • Suicídio Altruísta: aquele que é feito de coração e lealdade.

 

Émile e sua teoria da religião

 

Outra obra que vale destacar do sociólogo é As Formas Elementares da Vida Religiosa de 1912, que trata sobre os fenômenos religiosos e também, em diversas observações antropológicas, que possuía como finalidade a necessidade de explicar origens sociais e cerimoniais.

 

E com seus estudos, Durkheim concluiu que não existe religiões falsas, que a grande parte delas são sociais. No dia 15 de novembro de 1917, Émile Durkheim falece em Paris e encontra-se enterrado no cemitério de Montparnasse.

 

Obras de Émile Durkheim

 

  • Da Divisão do Trabalho Social, 1893
  • As Regras do Método Sociológico, 1895
  • O Suicídio: Um Estudo de Sociologia, 1897
  • As Formas Elementares da Vida Religiosa, 1912
  • A Educação e a Sociologia, 1922 (obra póstuma)
  • A Educação Moral, 1925 (obra póstuma)
  • Sociologia e Filosofia, 1929 (obra póstuma)

Assinatura

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta