Home>Biografia>Quem é Art Spiegelman?

Quem é Art Spiegelman?

Conhecido mundialmente por Maus, Art Spiegelman soube contar como ninguém a história do holocausto.

 

Art Spiegelman (Estocolmo, 15 de fevereiro de 1948) é um ilustrador, escritor e cartunista que nasceu na Suécia. Na década de 1990, trabalhou em desenhos, ilustrações e algumas capas para uma revista nova-iorquina “The New Yorker”. Duas das suas obras que são mais famosas são o semi-biográfico Maus e a história em quadrinhos “Shadow Without Tower”. Em 1992, o artista venceu um Prêmio Pulitzer. Com isso, Art Spiegelman é um nome importantíssimo para a trajetória da arte moderna.

 

Obras

Spiegelman se consagrou como uma figura proeminente no conhecido movimento underground de quadrinhos na década de 60 e 70. Contribuiu bastante para as publicações como “True Pulp”, “Young Desire” e “Weird Sex”. No entanto, no início de 1968, ele teve um colapso mental no Hapur College em Binghamton, Nova York. Após o episoódio, Spiegelman se recuperou após ser internado em um hospital psiquiátrico.

Porém, logo depois, a sua mãe, Anja Spiegelman, uma sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz no período nazista, cometeu um suicídio. Isso ocorreu enquanto o Art curtia um final de semana junto da sua namorada da época. Ele incluirá essa história de 1973 “Prisioner on Hell Planet” em MAUS, que descreve esse evento traumático.

A Later Art atuará como ilustradora dos adesivos e dos pôsteres. Ele co-fundou duas coleções de publicações de quadrinhos com Bill Griffith, e co-fundou RAW e RAW com a sua mulher, artista e uma quadrinista Françoise Mouly. No ano de 1986, lançou o primeiro exemplar do Maus (Maus: A Survivor’s Tale), onde descreve as histórias de como os seus pais sobreviveram a todas as atrocidades do Holocausto na segunda guerra.

O segundo exemplar de “Maus: Trouble From Here” será publicado em 1991. [2] Este trabalho atraiu grande atenção da indústria de quadrinhos, relacionando ainda uma exposição no Museu da Arte Moderna de New York, e venceu o Prêmio Pulitzer Especial em 1992. É por essa razão que Art Spiegelman com certeza é um artista bem premiado, e muito prestigiado pelos fãs de quadrinhos.

 

The New Yorker

Spiegelman atuou e coloborou para a The New Yorker, mas renunciou alguns meses após os ataques do 11/09 ao World Trade Center. Logo após o incidente, sua capa de revista “New Yorker” foi amplamente elogiada. Ele foi inspirado em uma pintura em preto e branco de Ad Reinhardt: a princípio parecia completamente preto, mas após uma inspeção mais detalhada, o contorno da torre do World Trade Center parecia ainda mais escuro.

Spiegelman disse que sua renúncia do The New Yorker foi uma espécie de protesto contra a “concordância geral” da mídia estadunidense. Ele é uma crítica persistente ao governo Bush e afirmou que a então mídia estadunidense tem sido “conservadora e recuada”. Ele declarou que “The New Yorker” revisou seu trabalho, incluindo a capa de 4 de julho com uma bomba de átomo na capa, e outra edição de Ação de Graças com o título de um avião militar dos EUA jogando um peru no Afeganistão. Da “Operação Turquia Duradoura”.

Em setembro do ano de 2004, ele publicou o livro “The Shadow Without Towers”, que descreveu sua experiência do ataque ao World Trade Center e os subsequentes efeitos psicológicos. Essa tragédia chocou o mundo naquele momento e muitos ainda possuem traumas

No ano de 2005, a revista Time selecionou Spiegelman como uma das 100 personalidades mais influentes da revista World Times.

A arte é uma importante promotora de quadrinhos e costuma dar palestras chamadas Comix 101 em todos os Estados Unidos. Ele e a Françoise também editaram uma sequência de quadrinhos infantil chamada Little Lit. Ele sempre foi bastante amplo em relação a suas artes, escrevendo e desenhando trabalhos de diferentes segmentos.

Hoje em dia

Atualmente, o cartunista continua trabalhando. Ele se envolveu em uma polêmica recentemente, quando o artista foi censurado pela Marvel após críticas ao ex presidente estadunidense Donald Trump. O cartunista alega que recebeu o pedido direto do Isaac Pelmutter, atual presidente da Marvel Entertainment. No pedido, o artista deveria mudar a citação feita ao então presidente Donald Trump.

Isaac Pelmutter alegou que que a mudança era para manter a Marvel Comics apolítica diante do atual cenário político, e que por isso não permitiria que as suas publicações tomem algum posicionamento.

Porém, Art relembrou que Pelmutter era um amigo pessoal de Trump. O presidente da Marvel fez algumas doações que chegaram ao valor de US$ 360 mil para comitê de arrecadação dos fundos para a campanha para a reeleição de Donald Trump.

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta