Home>Biografia>Conheça o Impressionismo de Édouard Manet

Conheça o Impressionismo de Édouard Manet

Manet foi um importante pintor do século XIX. O que você sabe sobre ele? Seu estilo, suas obras mais famosas e quem ele influenciou?

Édouard Manet nasceu na França, no ano de 1832. Ele era descendente de monarcas suecos e seu pai era um juiz que tinha expectativas que o seu filho também seguisse na área do Direito. Porém, seu tio, Fournier, o influenciou para o caminho da arte, levando-o para conhecer pela primeira vez o Louvre.

Em 1848, Manet também tentou entrar para a Marinha, mas falhou — mais uma vez a Arte o escolheu. Trabalhando com pinceladas soltas e detalhes simples, abriu seu primeiro estúdio. Influenciado por Gustave Courbet, sua arte se aproximava bastante do Realismo — fase em que pintavas cafeterias, bares, ciganos e touradas. Em 1861, teve suas primeiras telas aceitas.

Mais tarde o pintor se casou, com uma professora de piano, teve um filho e fez amizade com outros grandes artistas como Claude Monet, Renoir e Cézanne os quais influenciou e também foram bastante influenciados por ele. Entre esses novos contatos, Monet foi o que mais o estimulou a aderir traços do Impressionismo: cores mais claras, fundos menos escuros.

No ano de 1866, o escritor francês Émile Zola, um velho amigo de Cézanne, escreveu sobre Manet. Ele o defendia profissionalmente e Manet, em agradecimento, se ofereceu para pintar um retrato seu. 

Em 1879, Manet começou a apresentar sintomas de dor e paralisia nas pernas, foi diagnosticado com Sífilis e Reumatismo. Seu pé esquerdo ficou necrosado e precisou ser amputado, em quatro anos desde o diagnóstico, no mesmo ano, ele faleceu na mesma cidade em que nasceu. 

Algumas obras do grande artista e seu legado

“Música nas Tulherias” foi um dos seus primeiros trabalhos e também considerado o primeiro exemplo de quadro impressionista no mundo. A obra representa um concerto ao livre no Jardim das Tulherias e transmite como era aquele ambiente, instiga o observador a imaginar o som e o encontro aristocrático. 

Em 1863 ele pintou “Olympia”, uma paráfrase de uma pintura renascentista. É uma de suas obras mais famosas e foi também um marco no Realismo. Houve bastante influência de Goya nesse trabalho. Esse quadro, particularmente, é bem polêmico porque ele retrata uma prostituta nua, algo que chocou aquela sociedade. 

Édouard Manet usava cores vibrantes e tons fortes — ele se destacou justamente por fugir do tradicional, da gradação de cores ensinada pelos acadêmicos. Por isso, uma das suas maiores heranças para as artes plásticas foi ter alcançado o reconhecimento como precursor do Modernismo. Em 1975 seu trabalho foi catalogado, foram 430 pinturas a óleo e 400 trabalhos em papel.

Algumas obras que valem a pena conhecer são:

  • A Execução de Maximiliano: representa a execução de um monarca mexicano que, mesmo aconselhado por Napoleão Bonaparte a renunciar, tenta continuar no poder, mas é morto pelos adversários.
  • O Almoço na Relva: foi um desafio autoimposto por Manet, media 4×6 metros e mostrava uma mulher nua almoçando com dois homens vestidos. Por dificuldades financeiras ele vendeu, depois conseguiu o dinheiro de volta para compra-lo novamente, mas ele já estava mofado. Por volta de 20 anos depois, ele a recuperou e a cortou em três pedaços, mas o terceiro pedaço está desaparecido.
  • O Café-concerto: simples, porém ousada, captura de um evento social num café do século XIX.

Manet foi amigo de outro artista plástico com o nome parecidíssimo. Depois de ter uma breve apresentação dos dois aqui, que tal conhecer um pouco mais sobre eles com o quizz Monet or Manet? Infelizmente ele está no idioma inglês, mas quem não tiver dificuldade se divertirá!

 

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta