Home>Literatura>Clássicos da Literatura>Mark Twain: Vida e Críticas

Mark Twain: Vida e Críticas

Considerado um dos autores de maior importância do oeste dos Estados Unidos. Confira um pouco mais sobre a vida, carreira e as críticas desse lendário escritor Mark Twain

 

Mark Twain foi um renomado escritor estadunidense, autor de livros emblemáticos como “Aventuras de Tom Sawyer”, “As Aventuras de Huckleberry Finn”, “O Príncipe e o Mendigo”, entre outros.

Ele é considerado até hoje como um dos autores de maior importância do oeste dos Estados Unidos, tendo disponibilizado ao mundo contribuições incríveis com suas obras. Confira um pouco mais sobre a vida, carreira e as críticas desse lendário escritor.

 

Biografia

Mark Twain nasceu em uma pequena vila no Estado de Missouri, no dia 30 de novembro de 1835. Nasceu como Samuel Langhorne Clemens, porém adotou o pseudônimo Mark Twain, sendo conhecido somente por esse nome. 

Quando tinha apenas 4 anos, no ano de 1839, a sua família decidiu se mudar para a cidade de Hannibal, um local portuário que fica localizado às margens do rio Mississipi. 

Passou boa parte da sua infância nessa cidade, e desde criança teve contato com a tristeza e desigualdade, principalmente quando foi levado para uma vila onde moravam pioneiros do oeste central. Nesta vila, Mark teve contato com escravos e diversos homens baleados durante a luz do dia.

Twain frequentava uma escola particular desde que começou os estudos, mas aos 12 anos de idade ele perdeu o seu pai, ficando órfão. A partir desse momento, com apenas 13 anos, Mark abandonou a escola e começou a trabalhar como aprendiz de tipógrafo.

Foi nesse período que Mark também começou a ter contato de maneira mais profunda com a escrita, se especializando cada vez mais.

 

Carreira de jornalista e tragédias pessoais

Mesmo já tendo contato com a escrita, ainda não foi nesse período que começou a trabalhar como escritor. Antes disso, em 1850, o então aprendiz de tipógrafo começou a trabalhar em um jornal que pertencia ao seu irmão, o Hannibal Journal.

Nesse novo emprego, Mark atuou como assistente editorial e como impressor. 

Foi aí nesse período que Mark finalmente se encontrou. Ele percebeu que gostava de trabalhar com textos humorísticos, e esse gosto iria mais tarde ser empregado nas suas principais obras.

Mark herdou de seu pai um espírito de aventura e, dois anos depois, deixou a sua cidade para começar a trabalhar em uma tipografia na cidade de St. Louis. Foi nessa época que Mark deu início aos trabalhos escrevendo os seus textos humorísticos, que ele tanto gostava.

Porém, certas situações atravessaram o seu caminho nesse período. O escritor assistiu à morte de um irmão e de uma irmã.  Ainda com 23 anos, um outro irmão de Marx morreu em uma explosão que ocorreu no Mississipi, em um navio. 

Na beira dos seus trinta anos, ele ficou muito abalado e atordoado, tentando o suicídio. Mark encostou uma arma em sua cabeça, mas não sentiu coragem para puxar disparar (ainda bem).

Com os avanços da guerra civil em 1861, Mark optou por seguir para o noroeste e foi morar em Nevada. O espírito aventureiro do escritor fez com que ele também passasse por Virgínia City no ano de 1863.

Foi nesse ano que Samuel Langhorne Clemens, atuando como repórter, utilizou pela primeira vez o pseudônimo de “Mark Twain”. Esse nome era uma expressão muito usada por barqueiros da região, que significava “marca segura para se navegar”.

 

Vida, críticas e carreira

A sua vida atuando como jornalista fez de Mark um homem bastante viajado. Indo para a corrida do ouro, o escritor viajou para a Califórnia, onde trabalhou com mais dois jornais. 

Nesse período, Mark já tinha dado os primeiros passos como um escritor independente. No ano de 1865 ele conquistou pessoas e atingiu a fama com seu conto “A Célebre Rã Saltadora do Condado de Calaveras”. O livro foi publicado pelo Evening Press da cidade de New York.

No ano 1867, Mark viajou por diversos países na procura de material para o seu primeiro livro. Ele foi para França, Palestina e Itália enquanto trabalhava no livro “Os Inocentes no Estrangeiro”. Essa obra só foi publicada dois anos depois, em 1869.

Neste título o autor estabeleceu a sua reputação no humor, que ocultava graças a um coração amargurado e vivido. 

No ano de 1870, Mark foi contratado para trabalhar em dois jornais, onde acabou viajando como correspondente. Ele trabalhou na Europa, na Palestina e na Turquia…

 

Suas Viagens

Essas viagens, carregadas de experiências, acabaram servindo para o escritor trabalhar em seu segundo livro, intitulado como “Roughing It”, lançado em 1972 como uma sequência da sua primeira obra.

A sua consagração mesmo veio com seu livro: “As Aventuras de Tom Sawyer” publicado em 1876. Essa obra é uma reconstituição de sua infância, mas também é vista como uma resposta para os livros moralistas em voga, que acabou se tornando um clássico na literatura juvenil.

Twain ainda continuou fazendo bastante sucesso quando fez o lançamento de: “Vida no Mississipi”, publicado em 1883, e “As Aventuras de Huckleberry”, que é considerada a sua obra prima.

A sua popularidade aumentou bastante quando ele decidiu publicar o seu romance histórico para as crianças “O Príncipe e o Mendigo”, publicado em 1884, e com a sua sátira “Um Ianque na Corte do Rei Artur”.

Em suas obras, as críticas à sociedade e à religião eram bem presentes. O seu humor era considerado por alguns como pessimismo. Sendo um homem ateu, acabou se tornando cada vez mais radical nas suas críticas ao puritanismo predominante nos Estados Unidos.

Em suas obras “O Forasteiro Misterioso” (1916) e “Autobiografia” (1924), que foram publicados depois da sua morte, é encontrada diversas críticas, bem duras e revoltadas, direcionadas para a sociedade estadunidense.

Mark Twain morreu em Redding, em Connecticut, nos Estados Unidos, no dia 21 de abril de 1910, deixando 4 filhos e um legado eterno.

 

 

 

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta