Home>Biografia>António Lobo Antunes

António Lobo Antunes

No dia primeiro de setembro de 1942, nascia António Lobo Antunes, em Lisboa/Portugal. Um dos maiores representantes da literatura portuguesa dos séculos XX e XXI.

António lançou seus primeiros livros no ano de 1979, são eles: Memórias de Elefante e Os Cus de Judas. Seguido por Conhecimento do Inferno, de 1980 e deste ano em seguida, esse importantíssimo autor lançou mais 29 romances e mais cinco volumes de coletâneas das crônicas que eram publicadas na revista Visão.

 

A formação de António Lobo Antunes

 

Lobo Antunes, apesar de ser um dos autores mais festejados da atualidade portuguesa, formou-se em Medicina pela Universidade de Lisboa e depois de alguns anos, devido aos estudos e dedicação serviu ao exército durante a guerra colonial exercendo a função de médico em Angola (1971-73).

Foi durante esse período – provavelmente – que Lobo Antunes começou a perceber sua intimidade com a palavra escrita. Porém, enquanto estava servindo seu país, Lobo Antunes trocou diversas cartas com a sua primeira esposa, Maria José Lobo Antunes.

Essas cartas, acabaram se transformando em um livro chamado: D’este viver aqui neste papel descripto: cartas da guerra. Seu conteúdo era tão brilhante e sincero, que acabou se transformando em um filme criado por Ivo Ferreira: Cartas de Guerra.

Por esta razão, assim que cumpriu todas suas obrigações com o serviço militar, Lobo Antunes decidiu especializar-se em psiquiatria e passou a trabalhar no Hospital Miguel Bombarda, onde atendeu durante muitos anos. Pelo menos até decidir abandonar tudo para se dedicar à literatura.

 

O reflexo da realidade na obra de António Lobo Antunes

 

Todo livro escrito, pode ser inserido em um determinado tempo/espaço mediante a experiência de seu autor e com Lobo Antunes não poderia ser diferente. Podemos encontrar em seu trabalho a presença da guerra colonial, algo que o autor presenciou de perto.

E falando em presenciar, os livros de Lobo Antunes, para você compreender a grandiosidade e complexidade deste grande autor, para ler seus livros é necessário muita atenção para compreender de uma forma mais clara tudo que está querendo passar em seu trabalho.

Podemos dizer que a escrita difícil deste autor, acabou se tornando sua marca registrada e, mesmo com um estilo que possa indicar um público seleto, António Lobo Antunes, conquistou leitores de todas as classes sociais.

 

Prêmios Nacionais e Internacionais

 

  • Prêmio de Romance e Novela da Associação Portuguesa, por duas vezes;
  • Prêmio Europeu de Literatura, na Áustria;
  • Prêmio Ovídio, na Roménia;
  • Prêmio Internacional de Literatura da União Latina, em Roma;
  • Prêmio Rosalía de Castro, na Galiza;
  • Prêmio Jerusalém de Literatura;
  • Prêmio Ibero-americano das Letras José Donoso; e
  • Prêmio Camões.

 

António Lobo Antunes no Brasil

 

O autor foi lançado no Brasil através da Editora Objetiva e contemplou o país com as seguintes obras: Memória de Elefante, Os Cus de Judas, Boa tarde às coisas aqui em  baixo, Explicação dos pássaros, O meu nome é Legião, entre outros. 

E falando em Brasil… Bom, os brasileiros não costumam ler seus próprios autores, mas não resistem a um bom livro estrangeiro. E por que estou dizendo isso? Por que, influenciado pelo seu avô (que era de Belém/Pará), Lobo Antunes, leu diversas obras brasileiras e acabou se apaixonando por autores, como: José de Alencar, Machado de Assis, Aluísio Azevedo e Monteiro Lobato.

 

António Lobo Antunes hoje

 

Atualmente, o autor vive na cidade de Portugal e já escapou da morte devido a um câncer que acabou sendo curado. No ano de 2018, levou para sua editora mais dois trabalhos espetaculares, A última porta antes da noite e A outra margem do mar. E em uma entrevista, confessou ter ficado mais satisfeito por seu nome ser incluído na Biblioteca Plêiade.

 

Assinatura

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta