Publicado em Literatura

O Diabo Veste Prada

O Diabo Veste Prada se tornou um Best-seller na literatura chick-lit. Apesar de estar na categoria romance, muitos  acreditam que o perfil das personagens foi baseado em pessoas reis, principalmente da vilã, Miranda Priestly.

Na história Andrea Sachs é uma recém-formada estudante que sonha em trabalhar em um editorial. Pouco tempo depois de começar sua busca ela conquista o tão sonhado cargo, mas não imaginava que seria em algo que ela desconhece e com uma chefe que não é nem um pouco carismática.

Andrea vai trabalhar como assistente pessoal de Miranda Priestly, uma poderosa editora da maior revista de moda dos EUA, a revista Runway. Parecia fácil, afinal, é o emprego dos sonhos de um milhão de garotas.

Mas logo no primeiro mês, com a chefe de férias, ela percebe que não será fácil. Atender as ligações do chefe, nada educada e realizar seus desejos mal esclarecidos em pouquíssimo tempo (como encontrar uma saia e enviá-la para a Europa em 10 horas sem saber que tipo de modelo ela deseja), comprar café a cada meia hora e seu café a cada cinco minutos para que a chefe não reclame que a comida está fria ou ficar esperando, são alguns dos sofrimentos diários da jovem. E ela suporta tudo, já que seu plano é permanecer um ano ali para que as portas de qualquer revista a aceite.

O trabalho é estafante, os colegas levam a risca o padrão estético da moda – extremamente magros, usando as ultimas tendências da moda, saltos altos durante todo o dia e comida (quase) zero. Entrar neste mundo é ter que aceita-lo para não ser devorado, já que as roupas e sapatos de Andrea são considerados inapropriados por serem confortáveis e não possuem marcas. Ter que se adaptar a este mundo a principio parece maravilhoso, mas para quem não conhece nada de moda se torna algo complicadíssimo. Somente o amigo do trabalho e Emily, a outra assistente de Miranda para ajudá-la e assim evitar mais broncas da chefe.

Além do aperto que Andrea passa no trabalho, isso começa a afetar sua vida pessoal. Como a vida passar a girar em torno do trabalho, Andrea não consegue mais honrar compromissos com a família, amigos e até mesmo com o namorado Alex, um jovem professor muito paciente, mas que começa a ter problemas em nunca ver a namorada, e sua amiga Lily, que passa por um sério problema com abuso de álcool, mas Andrea não percebe devido ao extenuante trabalho com Miranda não percebe que a amiga passa por problemas sérios.

O livro é regado de humor negro. A Autora não poupou comentários divertidos feitos por Andrea sempre que Miranda aparece com mais uma tarefa absurda. Sem falar no modo de extravasar a raiva atípica de Andrea, ao invés de reclamar, xingar, ela prefere gasta Runway de modo desnecessário ou que faria Miranda morrer de raiva, como ir de táxi todos os dias e dar uma gorjeta boa para o motorista e até mesmo gastar 28 dólares em café toda vez que vai ao Starbucks comprar o café da chefe. Todo esse gasto não é só com Miranda, mas com diversos mendigos que ficam próximos ao prédio da Runway, que Andrea faz questão de dar bom dia com um belo café da Starbucks pago pela Revista Runway. Se formos fazer a conta disso em 30 dias, já dar pra ver o rombo que essa garota faz no orçamento todos os meses.

A realidade do livro

Anna Wintour
Apesar da autora (Lauren Weisberger) negar, Miranda Priestly possui as mesmas características da antiga chefe de Lauren – Anna Wintour, editora chefe da maior revista de moda do mundo, a Vogue Americana. Anna é símbolo de alguém que atua em todos os setores do editorial e atua com mão de ferro. É autoritária e considerada grossa aos olhos de seus assistentes. Ao se tornar editora da Vogue Americana, mudou o padrão de editoração e fez mudanças significativas que fizeram a revista crescer e ser a mais vendida do segmento do país.
A história da vida também é parecida, assim como detalhes diários como tomar somente café do Starbucks e exigir sempre a mesma quantidade de leite e açúcar e, nunca, nunca deixar de trabalhar, mesmo estando de férias.

Existem também outras características muito próximas entre Anna e Miranda: ambas são britânicas, se divorciaram depois de um caso com outro ricaço e a forma de trabalho (no qual tudo na revista deve ser visto e aprovado por ela antes da publicação) são idênticas. Difícil dizer que não são as mesmas pessoas.

Filme

Lauren Weisberger, a autora do livro

O livro fez tanto sucesso, que Hollywood resolveu fazer um filme que foi um sucesso nos cinemas. Com Anne Hathaway e a genial Meryl Streep, que todos acreditam que foi injustiçada por não levar o Oscar por essa personagem. Como sempre, houve mudanças na construção dos personagens (Andrea aqui é formada em jornalismo, seu namorado é chefe de cozinha e a amiga não tem participação importante na história), mas o roteiro buscou ser fiel ao livro ao máximo,  tendo como fidelidade, mostrar Miranda Priestly como Lauren retrata e até mesmo tendo como cenário um escritório idêntico ao de Wintour.

Visão Final

Já havia visto o filme e me encantado, mas como sempre, o livro é mil vezes melhor. A escrita que Lauren decidiu utilizar, usando a primeira pessoa ao escrever, faz com que os leitores se identifiquem com a personagem e sofra com ela. Não tem como não sofrer com o desespero de Andrea e entender porque ela não sai do emprego quando lhe pedem ou rir quando ela solta uma de suas “tiradas”. Ótima leitura para quem quer descansar e precisa relaxar. Afinal, o chick-lit está aí para isso: nos divertir.

Texto produzido para o Desafio Literário. Para comprar, clique aqui.

Autor:

Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

35 comentários em “O Diabo Veste Prada

  1. Aassisti o filme e achei muito divertido, mas apesar de ser apaixonada pela leitura, não me deu vontade de ler o livro quando descobri que o filme tinha sido feito baseado em algum pq pensei serr muito parecido ou superficial.
    Agora depois do seu texto deu muita vontade de ler, e com certeza, quando tiver oportunidade comprarei o Diabo Veste Prada.

    =D

  2. Nossa, adorei a indicação Luciana! Eu já tinha assistido o filme e adorado, mas como sempre, o livro é sempre melhor né?
    Achei bacana que ele foi escrito em primeira pessoa, isso eu não sabia… É legal que o leitor se identifica mais com a história e com a própria personagem.

  3. Olá, Luciana!

    Não li o livro, mas já tive a ortunidade de assitir ao filme e gostei. Gostei da sua resenha também. Seu texto é completo e ao mesmo tempo leve. Vejo isso em poucos jornalistas hoje. Obrigada pela indicação de leitura. Fiquei interessada.

    Beijos,

  4. Eu achei realmente muito bom o texto, uma resenha bastante apurada. A diagramação e o posicionamento das imagens está muito bom, parabéns. Espero que vá bem no concurso.

  5. Assisti o filme e fiquei impressionado com a história, com a interpretação do atores, principalmente da Anne Hathaway, protagonista no filme, acho ela linda.

    Se foi o livro que deu origem ao filme, ele deve ser ótimo. Até poderia ler, mas acho que não seria tão prazeroso agora, fazer o contrário até pode ser que seja válido.

  6. Como um bom cinéfilo eu adoro dicas de filmes. Esse sem dúvida é um dos meus favoritos. A atuação de Merly é digna de Oscar. Achei injusto o prêmio não ser dela. Tem um roteiro que nos prende do início ao fim. Anne como Andrea tb consegue ser uma antagonista marcante.
    Quanto ao livro eu tb não li, mas não duvido que seja melhor do que a película. Na sua grande maioria todas as adaptações do cinema ficam abaixo do original.

    abraços.

    fabiano

  7. Eu gosto muito desse filme, mas nunca li o livro preciso correr atrás disso para compensar o atraso.

    A história do filme era boa, porém a do livro parece muito melhor. Ótimo post!

  8. Assisti o filme e adorei!!!
    Mas já me falaram que o livro é muito melhor… como sempre…
    To querendo muito ler Diabo veste prado, é que ainda não tive uma oportunidade de compra-lo… se o filme já faz vc pensar em algumas coisas, o livro deve ser muito mais instigante…

  9. Não li o livro, mas vi o filme e posso dizer que é um dos meus favoritos.

    E eu tirei dali, não sei se é a moral do livro, mas foi o que levei para mim, que não vale a pena aceitarmos certas coisas na nossa vida para poder conseguir algo melhor para o nosso futuro. Há situações – e não chamo de oportunidades – que devemos dizer “não”, nem tudo deve ser encarado, porque não tudo vale o nosso sacrifício.

    Bem, foi isso o que eu tirei do filme. Muito bom o filme. Sempre que passa na tv eu vejo \o

    Vanda Ferreira: http://vanda-ferreira.blogspot.com/

  10. Daniel,

    acabamos vendo que não devemos sofrer e deixar toda a nossa vida de lado por causa de um emprego. viver pra poder pagar o aluguel ou ter a experiencia que desejamos e deixarmos familia, vida e até saude de lado nao é bom.

    o livro passa essa mensagem e mostra que trabalhar em revista nao é facil nao.

  11. Post muito bem escrito! Parabéns!

    Particularmente, não li o livro – mas tenho certeza que deve ser muito melhor que o filme. Aliás, só descobri que tinha livro depois que vi o filme (que gostei bastante).

  12. Muito bom o post. Não tive a oportunidade de ler o livro ainda, mas o filme é muito bom. Vai entrar nas minhas próximas leituras..

    Abraços

  13. Também ja assistir o filme… recomendo, muito bom
    Quanto ao livro ja tive em mãos mais nem li… teve um trabalho num curso que fiz referente ao tema principal do filme, sobre o relacionamento muitas vezes conflitantes entre empregados e patrões, nesse caso a secretária…

  14. Oi Luciana,td bem??
    Obrigada pelo comentário no meu blog (:
    Vim conferir o seu e gostei MUITO do seu artigo
    contado a história no qual foi baseado o livro e filme
    O Diabo veste Prada. Muito boa idéia!Parabéns e volte sempre ao meu blog =*

  15. Olá Luciana,

    Parabéns pela resenha, está muito boa. Também li O Diabo veste Prada este mês para o Desafio, e gostei muito. Realmente o livro é bem melhor que o filme, que também é ótimo. 🙂

    Beijos!

    Cristine
    (blog Rato de Bilbioteca)

  16. Então, eu gostou tanto do filme, mas confesso que mal passe das primeiras páginas do livro. Não sei…não me cativou. Que bom que você gostou!

    Beijocas

  17. Pra falar a verdade nunca li o livro, mas o filme já vi e adorei, gostei muito mesmo, tanto que tenho o DVD aqui em casa. Ouvi falar pouco do livro, mas assim que sobrar uma graninho eu compro, rs.

  18. o livro é um pouquinho salgado, mas tem personagens que não vemos no livro fora coisinhas que nos surpreendem. Ri muito quando li ele. Quando puder compre e leia mesmo.

  19. Na biblioteca aqui perto tem o livro, e o filme passou, se não me engano, domingo, mas não deu para eu assisti-lo por completo, acreditem nunca consigo terminar de assisti-lo, as vezes tenho que sair, as vezes pego pela metade….
    Parece ser muito bom.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s