Home>Biografia>Anuk Arudpragasam 

Anuk Arudpragasam 

Anuk Arudpragasam  é um romancista do Sri Lanka que produz romances em tâmil e também em inglês. O seu primeiro romance só foi publicado em 2016, com o título “A História de um breve casamento”, no ano de 2016, pela revista Macmillan. 

Depois de sua primeira publicação em 2016, o seu romance foi traduzido para variadas línguas, como o mandarim, tcheco, alemão, francês, italiano e holandês. Essa obra se passa no ano de 2009 quando o Sri Lanka atravessa os estágios finais de uma guerra civil. O romance venceu o prêmio DSC de literatura da Ásia.

Além disso, a obra de estreia de Anuk foi selecionada para os prêmios German Internationater Literaturpreis e Dylan Thomas. Essa obra fez de Anuk Arudpragasam um fenômeno da literatura asiática, e seu nome ficou rapidamente conhecido.

Em 2021 ele publicou o seu segundo romance, intitulado “A Passage North”, que foi escolhido para o prêmio Booker. Conheça um pouco mais sobre a trajetória e carreira desse escritor Tâmil. 

 

Biografia

Anuk Arudpragasam nasceu no ano de 1988 em Colombo, no Sri Lanka. Sendo filho de pais Tamil, o escritor para os Estados Unidos com apenas 18 anos para estudar na Universidade de Stanford, onde ele se graduou com um BA no ano de 2010.

Depois de se graduar em terras estadunidenses, ele foi morar no estado indiano de Tamil Nadu, onde viveu por um ano. Depois, deu início ao seu PhD em filosofia na Columbia University, que concluiu somente em 2019.

Nesse período, Anuk já era um escritor promissor, e já desenvolvia as suas habilidades de escrita. Foi em 2016, por exemplo, que ele lançou a sua primeira obra, dando início a sua carreira.

 

A história de um casamento Breve (2016) 

Apesar de só ter publicado a sua primeira obra em 2016, o romance “A história de um casamento Breve” foi escrito entre os anos de 2011 e de 2014.

A obra descreve o dia e a noite na rotina de dois jovens tâmeis, Ganga e Dinesh. Os dois são obrigados a se casarem enquanto o exército de Sri Lanka potencializa ainda mais o bombardeio ao acampamento na costa noroeste onde os dois vivem como refugiados.

Em um depoimento, Anuk Arudpragasam fala: “”Cresci e vivi no sul do Sri Lanka em uma família bem abastada, eu vivia bem isolado quanto alguém poderia estar da guerra”.

Continuando o desabafo à revista Guernica, ele completa: “Essa foi uma grande tentativa de cruzar os certos tipos de experiência e de diferenças entre mim e essas várias outras pessoas no norte do país de quem eu havia me separado.”

Ele recebeu elogios de uma crítica realizada pelo The New York Times, que dizia que o romance “dá aos inocentes um lugar dentro da história”. Além disso, a crítica dizia que a obra conseguia fazer os leitores “se ajoelharem diante da elegância do espírito do homem”.

O Wall Street Journal celebrou esse romance como “uma pequena obra de arte feita dentro da atrocidade”. O romancista Colm Toibin também elogiou a obra, e mais especificamente o estilo atencioso e denso de Anuk Arudpragasam.

Ele diz: “Todas as imagens desse livro, incluindo as mais desoladas, são feitas com precisão e uma aura da mais pura ternura e verdade”.

O romance foi listado como um dos melhores dessa categoria em 2016 pelo The Wall Street Journal, Financial Times e NPR, Ele também ganhou o Prêmio DSC de literatura do Sul asiático e o troféu Shakti Bhatt de Primeiro livro, além de ser indicado para outras diversas honrarias.

 

Uma passagem do Norte (2021)

A segunda obra de Anuk, “A Passage North”, foi publicada pela Granta Books e selecionada para o Prêmio Booker do ano. 

Esse romance foi escrito com a tentativa de conseguir um acordo com a vida depois de toda a devastação causada pelos mais de 30 anos de guerra civil no Sri Lanka.

O autor diz: “A Passage North é muito mais sobre ser testemunha da violência estando de longe do que viver ela de perto” que é o que mais se aproxima de toda a sua experiência durante a guerra civil em seu país.

Hoje em dia Anuk Arudpragasam vem trabalhando bastante no seu terceiro romance. Ele afirma que o livro abordará a vida de mães e filhas na diáspora tâmil, sendo ambientado em Toronto como também em Nova York.

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta