Home>Literatura>O grande Gatsby ganha novo projeto gráfico pela Tordesilhas

O grande Gatsby ganha novo projeto gráfico pela Tordesilhas

Nova edição ainda recupera as cartas trocadas por F. Scott Fitzgerald e seu editor, Maxwell Perkins, e traz o prefácio do autor à edição americana de 1934.

 

Símbolo fundamental de status e sucesso, a piscina de mármore de Jay Gatsby é um dos elementos mais icônicos da mansão da fictícia West Egg e foi a inspiração para a capa do novo projeto gráfico de O grande Gatsby, publicado pela Tordesilhas Livros e que chega, este mês, às livrarias.

Além da repaginada na identidade visual, a nova edição da obra conta com o prefácio do autor F. Scott Fitzgerald à edição americana de 1934, posfácio de Alex Gilvarry, cronologia sobre a vida e a obra do autor, e ainda recupera as cartas trocadas entre Fitzgerald e seu editor, Maxwell Perkins.

A ideia de usar o fundo da piscina como elemento principal para capa e o simbolismo por trás da história dos mosaicos – usados nas decorações antigas para representar riqueza e poder – se uniram para criar a composição tipográfica em um processo digital conhecido como Fauxaics.

O novo projeto gráfico faz referência ao mundo de extravagância e luxo do excêntrico milionário Jay Gatsby e à sociedade norte-americana retratada na obra. Tendo como pano de fundo o período conhecido como a Era do Jazz, o clássico é um retrato pungente da decadência de uma sociedade materialista e deslumbrada com o poderio do entre guerras.

Publicado originalmente em 1925, foi apenas após a década de 1950 que o romance foi reconhecido como uma obra-prima da literatura norte-americana. Desde então, o título ganhou dezenas de edições ao redor do mundo e adaptações cinematográficas, sendo a mais recente lançada em 2013, dirigida por Baz Luhrmann e com Leonardo DiCaprio interpretando Jay Gatsby.

No posfácio, Gilvarry resume o que torna O grande Gatsby tão grandioso e atemporal: “Esta é a história do enorme desejo de alcançar o inalcançável e das consequências desse desejo. Ela descreve a esperança e a mentira que fazem parte dos sonhos, as narrativas que criamos sobre o passado, a incapacidade de mudá-lo. Seus personagens, como o próprio Fitzgerald, são figuras clássicas e românticas, que vivem, amam e morrem tragicamente jovens. Eis aqui, em nossas mãos, um livro que continua a sintetizar a experiência da vida moderna.”

 

Sobre o autor:

Considerado um dos maiores escritores americanos do século XX, F. Scott Fitzgerald nasceu em 24 de setembro de 1896, em Minnesota. Em 1918, conheceu Zelda Sayre, jovem da alta sociedade com quem viria a se casar pouco depois e ter uma filha, Frances Scott Fitzgerald.

Em 1920 publicou seu primeiro romance, Este lado do paraíso, pelo qual foi aclamado pela crítica e pelo público. Entre suas obras, destacam-se também os romances Os belos e malditos e Suave é a noite, além de diversos contos e peças de teatro. Em 1940, sofreu um ataque cardíaco fatal, enquanto trabalhava em O último dos magnatas.

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta