Home>Biografia>Mário de Andrade – Um dos Maiores Intelectuais do Brasil

Mário de Andrade – Um dos Maiores Intelectuais do Brasil

Mário de Andrade foi um grande tutor intelectual do século 20. Foi também um poeta, missionário, pianista, um funcionário público e, o mais importante, estava comprometido com a cultura brasileira e contribuiu muito para o desenvolvimento desta.

 

Suas obras se dividem em poesia, prosa novela, folclore, prosa e história das músicas. Até hoje, é um marco da literatura do Brasil, pois ele introduz uma inovadora linguagem literária, diferente do academicismo, e adequada à linguagem das pessoas . Até então, o parnasiano ainda era um dos mais populares.

 

Vida resumida

Nascido Mário Raul de Morais Andrade, veio ao mundo na cidade de São Paulo no dia 09/10/1893. Estudou o piano desde criança e concluiu os estudos na Academia Paulista de Drama e Música em 1917. No mesmo ano, publicou sua primeira coleção de poemas, que ainda seguiam o estilo de Panas, intitulou cada poema com um pouco de sangue.

Ainda no ano de 1917, com o falecimento de seu pai, começou a trabalhar dando aulas de piano. Ele também atuou como um crítico artistico e participou do meio artístico paulistano, onde conheceu Oswald de Andrade e Anita Malfatti, com quem acabou se tornando muito próximo. Ele também co-explicou a Semana da Arte Moderna no ano de 1922 junto com eles.

Ainda em 1922, publica Loucura de Pauliceia, considerada um marco da era modernismo nacional. Desde então, ele se tornou uma das figuras mais importantes da literatura e também da cultura brasileira, combinando sua rica obra literária com pesquisas dedicadas ao folclore, música e artes visuais brasileiras.

Entre 1934 e 1937, foi responsável pelo Ministério da Cultura da capital paulista, fundou a discoteca pública e promoveu a primeira Conferência Nacional de Idioma. No ano de 1937, ele deu origem a Sociedade Paulista da Etnografia e do folclore.

Em 1938, se mudou para a cidade do Rio de Janeiro onde tornou-se reitor da Academia das Artes do Distrito Federal. Depois, ele retornou a São Paulo, e atuou no Serviço de Patrimônio Histórico. Ele foi uma vítima de um ataque do coração e morreu na cidade São Paulo no dia 25/02/1945.

 

Características literárias

Mário de Andrade é considerado um grande nome universitário da era do modernismo nacional e se destaca pelo pioneirismo. Seus poemas iniciais resgataram elementos da vanguarda europeia, como as escritas automáticas, características do movimento surrealista, e posteriormente o autor recombinou algumas teorias líricas inconscientes a partir de sua consciência. Há também a influência de cubismo, que nos poemas de Mário se manifesta como uma transformação abstrata e uma apreciação do primitivismo.

Em primeiro lugar, as obras de poesia do autor visam quebrar o paradigma artístico normativo das poesias acadêmicas com ações modernistas claras. Então, os ritmos e temas cada vez mais populares são baseados no folclore popular do Brasil.

Ele contém muitas obras publicadas e, além disso, Mário deixou ainda vários e grandes volumes de correspondências, que foram publicadas postumamente.

 

Macunaíma, um herói com pouco caráter

Esta é uma das obras mais conhecidas e comentadas de Máriode Andrade. Para escrever este livro, o autor baseia seu trabalho em um projeto que representa as diferenças do Brasil e combina o folclore nacional. O romance surge na forma de um romance Pixar, combinando tradição oral e primitivismo com o gênero burguês típico do romance Combinar.

Sua intenção é resolver os diversos problemas nacionais, como a questão da submissão da cultura e a importação dos modelos socioeconômicos, as indefinições da identidade brasileira, a discriminação da linguística e essencialmente a busca da identidade da cultura brasileira.

A obra reúne romances épicos e selvagens e é chamada de rapsódia moderna por reunir uma riqueza de conhecimentos do folclore e das tradições de diversas culturas nacionais, inúmeras lendas de diferentes regiões, alimentos, crenças, flora e fauna, além de diversas culturas e A manifestação religiosa se refere a qualquer região específica de origem, dando a impressão da unidade étnica.

Macunaíma está cheio das fusões regionais, é crítico do regionalismo e tenta romper as fronteiras da geografia. Este espaço é uma grande mistura de diversas regiões do Brasil, e o tempo muda entre a lenda mítica e o tempo de fundo e o período contemporâneo.

Macunaíma vem como um herói que não possui personalidade porque o que ele construiu em um capítulo se desconstrói em outro. Ele viveu momentos extremamente corajosos e covardes. Era um herói preguiçoso, porém é corajoso. Ao mesmo tempo, um adulto ou uma criança, este é o ambiente primitivo onde vivem os civilizados. Macunaíma não está sozinho, ele é uma grande mistura de línguas.

 

Macunaíma

Em Macunaíma, há uma valorização do “sentimento tropical” e um catálogo com doenças de terceiro mundo que, entre outras coisas, aparecem como formigas ao longo da obra. As formiguinhas também representam o que falta em Macunaíma e no Brasil: organização, cálculo. Comparadas às cigarras, as formigas são animais burgueses notáveis ??e estão associadas à imagem do lazer ou das preguiças mais tropicais.

Mário de Andrade forneceu o contorno inconsistente do Brasil, mas não está claro em Macunaíma se ele possui orgulho ou uma vergonha de seu país. Essa hibridização incoerente reproduz a vitalidade da cultura e a ausência de organização em nosso território e, por fim, leva à chegada do pessimismo

 

Luciana
Uma jovem que estuda, trabalha e respira literatura. E sempre que possível está aqui para dar dicas de livros via internet.

Deixe uma resposta