Brooklyn

Você vai sentir tanta saudade de casa, que vai querer morrer. E não há nada que você possa fazer sobre isso, além de suportar. Mas você vai, e ela não vai matá-la, e um dia, o sol vai sair e você vai perceber que este é o lugar onde a sua vida está.”

brooklyn-9781501106477_hrEsse é o trecho de Brooklyn (Colm Tóibín, Companhia das Letras) que resume a história. É um livro sobre recomeço, solidão, saudades, amor e perdas. Nada disso nessa ordem.

Foi um livro sofrido de ler, mas para mim, cada paragráfo doeu muito pois eu estava vivendo parte do que a Eilis (a personagem principal) estava vivendo. Ela saiu da Irlanda sozinha para recomeçar a vida nas Américas. Já eu, saí da América do sul para recomeçar (quem diria) na Irlanda. Continuar lendo “Brooklyn”

A morte do inimigo

a-morte-do-inimigo-hans-keilson-450Hans Keilson foi um romancista alemão que só passou a ser reconhecido como escritor poucos anos antes de morrer, em 2011, aos 102 anos. Porém, quando o descobriram, os críticos se depararam com verdadeiras obras-primas. Entre elas está o romance A morte do inimigo. Como leitora, sou capaz de arriscar que na literatura contemporânea há poucos romances tão bem elaborados e tão genialmente pensados como esse.

Um homem, cujo nome não é citado em momento algum do livro, descreve suas experiências da infância, juventude e vida adulta e de como toda sua vida e de seu povo gira em torno de um inimigo, nomeado como “B.” O maior problema é que esse protagonista não aceita pensar em seu inimigo da mesma maneira que pensam os outros de seu povo. Ele quer entender o porquê dessa inimizade e cultivá-la tanto quanto se cultiva uma amizade. O medo de ser descoberto faz com que ele entregue o manuscrito para um advogado, que o enterra e, somente após o fim da Segunda Guerra Mundial, decide entregar o texto a um amigo, para que este opine sobre o que se deve fazer com aquilo. Continuar lendo “A morte do inimigo”

Tempos fraturados

Até ler este livro, eu não conhecia Eric Hobsbawm. Fiz minha lição de casa e busquei mais informações sobre ele. Alguns artigos, como este da Revista Veja, o classificam como o historiador comunista, ao invés de o ressaltar como um dos melhores historiadores atuais. Falecido em 2012 e de nacionalidade britânica, lecionou em universidades americanas como Cornel, Stanford e MIT. Escreveu mais de quinze livros … Continuar lendo Tempos fraturados

Clube de Leitura Penguin & Companhia das Letras

O  Clube de Leitura Penguin & Companhia das Letras, da Livraria Cultura Iguatemi já escolheu a obra do mês de Outubro. A obra escolhida foi “As Viagens de Gulliver”, de Jonathan Swift. Sinopse: Quem lê pela primeira vez a versão original de Viagens de Gulliver, tendo como pano de fundo uma vaga lembrança de adaptações infantis, espanta-se ao constatar que tem nas mãos um dos textos … Continuar lendo Clube de Leitura Penguin & Companhia das Letras