Home>Cultura>O que é barroco

O que é barroco

O barroco é um estilo de pintura, arquitetura, música e literatura que dominou toda a Europa durante o século XVII. Por causa disso, todas as culturas dessa época, incluindo os valores, costumes e relações sociais são denominadas como barroca.

Essa época começou a surgir depois do fim do Renascimento e passou a se manifestar por meio da grande extravagância e ostentação que circulava no meio dos grupos beneficiados pelas riquezas geradas na colonização. Confira um pouco mais sobre os detalhes desse estilo.

 

As principais características do Barroco

Como apontado, o Barroco surgiu no século XVII e foi algo que dominou toda a Europa. Praticamente tudo gerado naquele período é considerado barroco atualmente, mas existem algumas características que facilitam essa identificação. São elas:

  • Arte exagerada e rebuscada;
  • Valorização dos detalhes;
  • Dualismo e as contradições;
  • Obscuridade, sensualismo e complexidade;
  • Barroco literário: conceptismo e cultismo

 

A arte barroca na Europa

O estilo conhecido como barroco teve o seu início mais preciso na Itália sendo, logo depois, desenvolvido nos outros países da Europa em suas pinturas, nas arquiteturas, na escultura, nas músicas e também na literatura.

Mesmo sendo algo amplamente diluído em toda a Europa, os artistas barrocos italianos contribuíram de maneira incisiva para a consolidação desse estilo. 

 

O Barroco na Itália

Foi a Itália o país considerado como o berço do Renascimento e também da arte barroca. Foi lá que surgiram diversos artistas que se destacaram nesse período e que contribuíram para a popularização desses estilos. Conheça brevemente alguns deles:

Caravaggio (1571-1610)

Artista muito caracterizado pela rudeza de suas obras, o pintor Caravaggio produziu diversas obras com temas religiosos onde ele explorava todo o contraste entre a luz e as sombras.

Destacam-se como principais obras: “A Captura de Cristo”, “A Morte da Virgem”, “Flagelação de Cristo”, “A Ceia de Emaús” e “Davi com a cabeça de Golias”.

Bernini (1598-1680)

Bernini foi um grande arquiteto e escultor italiano. As suas obras se encontram na Roma e no Vaticano. As principais são: “Catedral de São Pedro”, Busto de Paulo V, “O Êxtase de Santa Teresa”, “Castelo de Santo Ângelo” e “Praça de São Pedro”

Borromini (1599-1667)

Francesco Borromini foi outro influente escultor e arquiteto da Itália. Entre os seus trabalhos renomados podemos destacar 

Francesco Borromini foi arquiteto e escultor italiano. Entre suas obras destacam-se: a “Catedral de São Pedro”, “Palazzo Spada”, “Sant’Agnese in Agone”, “Palazzo Barberini”, “Igreja de San Carlo alle Quattro Fontane” e “Sant’Ivo alla Sapienza” .

Andrea Pozzo (1642-1709)

Andrea Pazzo foi um renomado pintor, arquiteto e um grande decorador italiano. Entre as suas principais obras podemos destacar como mais influentes: “Glorificação de Santo Inácio”, “A Apoteose de Hércules”, “Anjo da Guarda”, a “Falsa Cúpula de São Francisco Xavier” e o teto do “Salão Nobre do Palácio Liechtenstein”, em Viena.

 

O Barroco na Espanha

As terras espanholas com certeza foi um centro de poetas do Barroco, dos quais se podem destacar: Quevedo, Cervantes, Góngora, Lope de Vega, Tirso de Molina, Calderón, Mateo Alemán e Gracián.

Esses artistas foram os que fizeram a melhor literatura no século XVII, assimilada pelo restante da Europa a partir da segunda metade do século XVII.

Além das literaturas, o barroco espanhol também foi um dos marcantes do período, onde podemos destacar  o pintor Diego Velázquez e as obras: “As meninas”, “Velha fritando ovos”, “Retrato de um homem” e “Cristo Crucificado”.

 

O Barroco em Portugal

Em terras portuguesas, o Barroco percorre um período entre 1508 e 1756. O principal contribuinte do barroco literário em Portugal foi o Padre Antônio Vieira. Porém, ele passou uma parte considerável no Brasil.

O seu principal trabalho, “Os Sermões”, constitui um mundo contraditório e rico. É revelado na sua obra a sua inteligência e domínio de coisas sacras e, ao mesmo tempo, para a vida social dos portugueses e brasileiros.

O Padre Vieira foi um tipo de cronista da história imediata. Dessa forma, ele conseguia elaborar os sermões dentro de uma técnica medieval, deixando explícita as metáforas das linguagens da bíblia.

Além do Vieira, também merecem ser lembrados: o D. Francisco Manuel de Melo, padre Manuel Bernardes, soror Mariana Alcoforado, Francisco Rodrigues Lobo e Antônio José da Silva.

Nas pinturas do barroco de Portugal, merece um destaque especial a pintora Josefa de Óbidos, que mesmo que tenha nascido em terras espanholas, viveu e desenvolveu a sua arte em Portugal. 

Dentre as suas obras com mais destaque estão: “Maria Madalena confortada pelos Anjos”, “A Sagrada Família”, “Calvário” e “Santa Maria Madalena”.

 

O Barroco no Brasil

O Barroco foi introduzido no Brasil graças ao intermédio de Jesuítas, no final do século XVI. Só depois do século XVII, começou a se generalizar esse estilo dentro dos grandes centros da produção de açúcar, principalmente na Bahia por meio das igrejas.

Depois da fase do Barroco baiano, pesado e bem suntuoso, esse estilo começou a atingir no século XVIII a província das Minas Gerais. Foi nesse período que o artista Aleijadinho elaborou uma arte bem nacional.

Nesse período, não existia em terras brasileiras condições básicas para o desenvolvimento de um exercício literário propriamente dito. O que se viu aqui foi alguns escritores se inspirando em fontes de estrangeiros, normalmente espanhóis e portugueses.

 

Principais Autores Barrocos do Brasil

São diversos autores do Barroco dentro do Brasil, mas temos alguns que se destacam mais que outros pelo tamanho de seus impactos na cultura nacional. Confira cinco deles:

  • Bento Teixeira (1561-1618)
  • Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711)
  • Frei Manuel da Santa Maria de Itaparica (1704-1768)
  • Gregório de Matos (1633-1696)
  • Frei Vicente de Salvador (1564-1636)

 

O contexto histórico do barroco: resumo

O concílio do Trento, feito entre 1545 e 1563, acabou gerando grandes mudanças no catolicismo, isso também serviu como resposta à reforma dos protestantes liderada por Martinho Lutero.

Dessa forma, a autoridade de toda a Igreja Católica foi reafirmada com vigor, depois de acabar perdendo diversos fiéis e seguidores.

Os Jesuítas, reconhecidos pelo papa em 1540, passou a dominar praticamente todo o ensino. Eles exerceram um papel muito importante na difusão de todo o pensamento da igreja que era aprovado no Concílio de Trento.

A Inquisição, que foi estabelecida na Espanha a partir do ano de 1480, e em Portugal depois de 1536, ameaçava toda a liberdade do pensamento das pessoas.

Todo o clima da época era de repressão e austeridade. Foi no meio desse contexto que se desenvolveu esse movimento conhecido como Barroco, uma arte bem eclesiástica que pretendia propagar a fé católica.

Em nenhum outro período se produziu uma quantidade tão grande de capelas e igrejas, monumentos e estátuas de santos como nessa época.

Em praticamente todos os locais, a Igreja se associava ao estado. Dessa forma, a arquitetura barroca, antes apenas religiosa, passa a aparecer nas construções de palácios, com o foco de causar poder e admiração.

 

Colaborador Beco das Palavras
Os textos publicados aqui são produzidos pelo colaborador que assina cada artigo, sob supervisão e revisão de Luciana Assunção.

Deixe uma resposta